segunda-feira, 25 de junho de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Doações reduzem em 43% e Hemonúcleo de Barra Mansa decreta estado crítico

Doações reduzem em 43% e Hemonúcleo de Barra Mansa decreta estado crítico

Matéria publicada em 22 de fevereiro de 2018, 11:14 horas

 


Unidade abre neste sábado 24 para evitar desabastecimento no estoque de sangue

Doações de sangue tem queda e hemonúcleo decreta estado crítico (crédito Paulo Dimas)

Hemonúcleo decreta estado crítico por queda nas doações de sangue  (crédito Paulo Dimas)

Barra Mansa – O Hemonúcleo decretou estado crítico por conta da redução, em 43%, no número de doadores de sangue, entre janeiro e fevereiro deste ano. A medida visa evitar o desabastecimento da unidade que funciona neste sábado, 24, para doações de sangue das 7 às 11h.

Em janeiro, foram 413 voluntários, sendo que 342 pessoas puderam realizar as doações  e 65 estavam inaptas para o procedimento. Em fevereiro, até a última quarta-feira, dia 21, no entanto, o número de voluntários caiu para 251, sendo 195 aptas e 53 inaptas. A diferença entre estes meses resulta na queda de estoque em 43%.

O coordenador do Hemonúcleo de Barra Mansa, Sérgio Murilo Conti, acredita que a redução  no número de doadores se deve às comemorações de Carnaval. Além disso, muitos voluntários foram considerados inaptos na triagem, por terem sido vacinados contra a febre amarela, há menos de 30 dias. “O índice de inaptidão clínica teve um aumento de 5,1% em relação a janeiro. Acredito que a vacinação contra a febre amarela contribuiu para o aumento deste índice, já que quem se vacina precisa ficar 30 dias sem doar sangue”, ressaltou.

As cidades abastecidas por Barra Mansa estão sendo aconselhadas a fazer uso racional dos hemocomponentes. “O Hemonúcleo é responsável pelo abastecimento de 100% das cidades de Barra Mansa, Valença e Rio das Flores. Com o estado crítico do estoque de sangue, está sendo pedida uma avaliação mais criteriosa usando apenas para casos de extrema emergência como cirurgias”, pediu.

Apesar do estado crítico a saída de sangue e hemoderivados do Hemonúcleo de Barra Mansa para os municípios atendidos, no mês de fevereiro, foi mantida na média de 17 bolsas por dia. Por conta dessa medida as contas, não fecham, já que a média de doações diárias não passa de 15 voluntários.

“Para que o estoque de sangue ficasse totalmente seguro precisaríamos de 30 doações por dia, o que não acontece com frequência”, acrescenta o coordenador, ressaltando que atualmente a necessidade do banco é de sangue  tipo “O Positivo” e “A Positivo”. Demais tipos sanguíneos, no entanto, são bem recebidos pela unidade, conforme lembrou o coordenador do hemonúcleo.

Para doar sangue é preciso ter mais de 16 anos de idade. Menores de idade precisam de autorização dos responsáveis. O doador tem que estar bem de saúde e pesar mais de 50 quilos. Outra indicação importante é que o doador deve ter sido vacinado contra a febre amarela há mais de 30 dias. O Hemonúcleo funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 11h, anexo à Santa Casa de Barra Mansa situado à Rua Pinto Ribeiro, 205, Centro.

Requisitos básicos para doar sangue

» Estar em boas condições de saúde.

» Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, necessitam de autorização).

» Pesar no mínimo 50 kg.

» Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).

» Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).

» Ter se vacinado contra a febre amarela há mais de 30 dias

» Não ter visitado áreas consideradas de risco para a transmissão da febre amarela em menos de 30 dias

» Apresentar documento original com foto recente (Carteira de Identidade, Identidade Profissional, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Um comentário

  1. Os times do Rio fizeram uma parceria com o Hemonúcleo que existia no Hospital da Unimed em Volta Redonda, que todo mês um dava uma camisa do time de algodão identificando a ação e o Hemonúcleo com o Símbolo do Time. É apenas uma sugestão e o estoque lá vivia cheio. Sei que teria que ser algo voluntário, mas não custa tentar uma iniciativa nova.

Untitled Document