sábado, 23 de junho de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Donos de postos de combustíveis temem desabastecimento com greve de caminhoneiros

Donos de postos de combustíveis temem desabastecimento com greve de caminhoneiros

Matéria publicada em 22 de maio de 2018, 17:01 horas

 


Gerentes e donos de postos de combustíveis de Volta Redonda afirmam que estão abastecidos; Firjan divulga nota sobre o movimento

Volta Redonda –  Após dois dias de manifestação dos caminhoneiros contra os aumentos nos preços dos combustíveis nas principais rodovias do país, o fornecimento de combustível nos postos de combustíveis de Volta Redonda pode ser afetado.  Gerentes de postos disseram ainda contar com estoque para operar por no máximo dois dias, mas ressaltaram que a situação pode se agravar se o movimento nas estradas perdurar.

Antônio Pereira, gerente de um posto de combustível na Avenida Nossa Senhora do Amparo, no bairro Voldac, disse que o motorista que fez a última entrega teve de pegar um “caminho alternativo”.

– Por enquanto estamos abastecidos e só não tivemos problemas porque o nosso motorista veio por outro caminho. Na hora do tumulto ele passou por Barra do Piraí. Normalmente, recebemos combustíveis cinco vezes por semana. Só não recebemos nas terça e domingo. Se houver uma interrupção direta nas estradas, conseguimos nos manter dois dias abastecidos. Normalmente não chegou o que deveria chegar. O que nós temos dá para trabalharmos até quarta (hoje). Se não chegar na quarta, já começa a faltar em algumas bombas – alerta o gerente Antônio.

Em outro posto a situação é parecida:

“Ainda não fomos abastecidos, mas porque recebemos combustível na semana passada e ainda temos nas bombas. Normalmente, recebemos carregamentos duas vezes por semana, mas estamos aguardando um pedido para esta terça (ontem) e espero que chegue”, disse Kelly dos santos, funcionária responsável por fazer os pedidos de combustível em um posto na Avenida Amaral Peixoto.

Proprietária de um posto de combustível da Avenida Sérgio Braga, na Ponte Alta, Raquel Aparecida Pereira está receosa com a continuidade da greve. Ela acredita que se a paralisação continuar poderá influenciar no abastecimento de combustível na região. Segundo ela, assim que soube que uma possível greve iria acontecer se antecipou e foi abastecida de combustível na sexta-feira, dia 18.

– Provavelmente nesta quinta ou na sexta devo abastecer novamente. De gasolina estamos com um estoque bom, já o diesel ainda tem, mas não estamos vendendo muito atualmente. Dá para ficarmos quatro dias sem receber outro fornecimento – diz.

 

 

 

 

– Provavelmente nesta quinta ou na sexta devo abastecer novamente. De gasolina estamos com um estoque bom, já o diesel ainda tem, mas não estamos vendando muito atualmente. Dá para ficarmos quatro dias sem receber outro fornecimento – diz.

Apesar de estar preocupada, a comerciante apoia a greve.

– Até para nós que somos proprietários de postos, o aumento contínuo do preço dos combustíveis atrapalha nas vendas. Nós acabamos sendo prejudicados, pois com o aumento do combustível também aumenta os lubrificantes, afetando no serviço de troca de óleo. Com o constante aumento do óleo diesel os seus derivados também sofrem reajustes nos obrigando a reajustarmos continuamente os preços. Só que os nossos custos não diminuem, ao contrário, só aumentam. Sou a favor da greve e tem que ser geral, não acho justo ficarem reajustando os preços do combustível a toda hora – lamenta.

Firjan divulga nota sobre paralisação dos caminhoneiros

Em nota divulgada nesta terça-feira, o Sistema FIRJAN manifestou sua grande preocupação com a paralisação que os caminhoneiros estão promovendo desde ontem em vários estados. Como o transporte rodoviário de cargas é o mais importante dentro da logística nacional, há risco de desabastecimento.

– Isto se mostra ainda mais grave no caso da indústria fluminense.  A crise econômica dos últimos anos foi mais grave no Estado do Rio do que no resto do Brasil. Tal conjuntura levou as empresas a trabalharem com estoques muito reduzidos, e qualquer paralisação no transporte leva rapidamente a desabastecimento – diz um trecho da nota. E continua: “Também é importante destacar que as empresas do Rio de Janeiro já enfrentam o grave problema das maiores ocorrências de roubos de carga do Brasil. Estas ações criminosas, além de afetarem o abastecimento, inibem os investimentos e desestimulam a geração de emprego e de renda”.

– Quanto à questão dos altos preços dos combustíveis as empresas instaladas em território fluminense também são mais afetadas. É no Rio de Janeiro que ocorre a maior incidência de ICMS no óleo diesel, entre os estados das regiões Sudeste e Sul. Dos R$ 3,75 cobrados pelo litro de diesel, em média, no Estado do Rio, R$ 0,58 correspondem ao recolhimento de ICMS. Em São Paulo, maior economia do país, o preço médio do diesel é de R$ 3,52/litro e o ICMS corresponde a R$ 0,41 – conclui a nota.

18 comentários

  1. É necessário parar tudo, todo país. Chega! Pagamos muito caro pela gasolina, é aumento a todo dia, é muito imposto, pagamos o MAIOR imposto do planeta e não temos nada em troca, nada funciona. Estão nos fazedndo de otários. #pararopaís

  2. Por um país melhor

    Caminhoneiro desse Brasil vocês estão de parabéns é assim que vence uma luta Unidos unidos venceremos!!!!!!!

  3. São os mais pilantras, pois sobem a gosolina e sobem o Álcool também. Tomaram que vão a falência!

  4. a greve tem que continuar, o povo brasileiro não aguenta mais tantos impostos, parabéns a esta classe que esta lutando por todo o povo brasileiro.

  5. O petróleo já custou 140 dólares o barril e a gasolina era vendida por 2,16. Agora o barril custa 70 dólares e a gasolina 5 reais. Tem algo muito errado nessa matemática

  6. Tomara que eles vejam e entendam que o povo que comanda. O país inteiro está parado, os jornais que estão mentindo para o povo. Mais uma vez a Rede Globo enganando o povo.

  7. Até ontem todos estavam tranquilos, pois tinham estoques suficientes para alguns dias. Hoje já estão preocupados? Fazendo parte da banda podre!

  8. Tô de olho em tudo

    Agora eles estão usando o transporte público como desculpa para pressionar a opinião pública. E o sindipass vai cair nesta?

  9. Tô de olho em tudo

    Tem mais é que continuar a movimentação, a mobilização da classe eles estão fazendo um protesto ordeiro. Quanto aos donos de postos de gasolina eu não estou nem aí para eles, são uns aproveitadores. Gostaria que eles me esclarecessem a matemática deles.

  10. Tomara que acaba mesmo tudo p ver se os ladrões de Brasília e outros acorda p ver o sofrimento do povo brasileiro vamos da resposta na eleição não podemos eleger esses vagabundos antigos ou que já teveram oportunidade e não fez nada renovação já pelo amor de Deus não vamos da mais oportunidade a político safados

  11. Tadinho dos donos vão ficar sem dinheiro tomara que dure mais seque os tanques

  12. Coitadinhos dos donos dos postos de Volta Redonda. Sinto muita pena deles, porque exercem a atividade empresarial em nossa cidade oferecendo renda e cobrando um preço justo nos combustível para manter uma vida digna para sua família.
    Minhas lagrimas escorregam ao ler os relatos dos proprietários, mas nada posso fazer, então vida que segue…

    • são l´grimas de crocodilios,volta redonda tem os combustíveis mais caros do brasil.

    • Já será um pretexto p, esses sofridos empresários, elevarem os preços dos combustíveis, principalmente a gasolina, q chegaria, fácil, aos R$ 6,00, e bradando q a culpa é dos caminhoneiros e com alguns pobres métidps a besta, achando q eles estão certos.
      Quem viver verá.

  13. Todos são safados, pois vendem estoque barato com supervalorização no final.
    Aproveitam as altas da Petrobras e vendem até o estoque passado com o preço novo.
    A diferença fica pros abutres do combustível.
    Cadê o Procon?
    Fiscalização do ICMS deve ficar de olho, pois o credito de estoque vai aumentar ilusoriamente.

  14. José Anarfa Beto

    Começou! Com a notícia de hoje da redução do preço nas refinarias vai ter estoque antigo até 2030, só para manter o preço final.

  15. Enquanto pensa assim os familiares paga 100 reais em um botijão de gaz enquanto o salario minimo e 900

  16. mentira!!

    em Barra Mansa já tem postos com falta de combustíveis.

Untitled Document