sábado, 23 de junho de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Região / PRF apreende uma tonelada de maconha e dez quilos de cocaína em Itatiaia

PRF apreende uma tonelada de maconha e dez quilos de cocaína em Itatiaia

Matéria publicada em 19 de maio de 2018, 09:25 horas

 


Material estava em caminhão que seguia para Avenida Brasil, na Zona Norte da capital


Itatiaia –
Um carregamento com uma tonelada de maconha e mais de dez quilos de cocaína foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os entorpecentes seriam distribuídos em comunidades da Zona Norte do Rio. A apreensão aconteceu na rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Itatiaia, Sul Fluminense, neste sábado (19).

No final da madrugada, equipes da PRF faziam uma blitz nas proximidades do quilômetro 319. Após desconfiarem do motorista de um caminhão, decidiram abordá-lo. Durante a fiscalização, o condutor apresentou bastante nervosismo, o que aumentou a desconfiança. Em uma revista mais detalhada, os policiais perceberam que a carga transportada – cubas de resfriador – parecia ter sido alterada.

Ao abrirem os cilindros, foram encontrados 1.234 tabletes de maconha. No total, havia pouco mais de uma tonelada da droga. Além disso, também localizaram 14 quilos de cloridrato de cocaína. O motorista, de 43 anos, confessou que receberia R$ 20 mil pelo transporte dos entorpecentes. Ele trouxe o material de Matelândia, Paraná, e faria a entrega num posto de combustíveis na avenida Brasil, Zona Norte do Rio. As drogas seriam distribuídas em comunidades cariocas.

A ocorrência foi encaminhada à Polícia Federal. O suspeito foi indiciado por tráfico de entorpecentes, com pena de 5 a 15 anos de reclusão. A ação faz parte da operação Égide, que reforça o policiamento nas rodovias federais do estado.

5 comentários

  1. Parabéns ao belo trabalho desses policias Rodoviários de Itatiaia e Serra das araras porque essas drogas e armas vem de longe passando por vários postos de policiamento da PRF e só aqui que muita das vezes é apreendidas isso que é seriedade e profissionalismo

  2. Carlos Magno de Oliveira

    Trabalho semore eficiente e exclusivo da PF, nada haver com as forças armadas.
    Temos que valorizar o trabalho da PF e de todos que lutam por melhorar e tirar nosso país do controle de incompetentes que entregaram nossa nação para intetesses dos exploradores que dominam nosso Brasil.
    Parabéns para a Polícia Federal.

    • Na área de Segurança Pública, nada vai dar certo se houver “trabalho exclusivo”…o que vem ocorrendo se chama “Trabalho Interagências”, que é um conceito vindo dos países de primeiro mundo. A PRF tem um núcleo de inteligência que se comunica com o Exército, ABIn, PF – que é outra instituição diferente da PRF -, e mesmo sabendo da carga em andamento, deixam para fazer a apreensão dentro do Estado Rio, por questões estratégicas. O pessoal de Itatiaia e da Serra estão de parabéns sim, é inegável, mas não possuem bola de cristal…

  3. É só observarmos que toda semana temos grandes apreensões de armas e ou drogas nas rodovias que chegam ao Rio. Só tem um detalhe: os carregamentos tem sido monitorados desde sua origem, porém a apreensão é feita dentro do Estado do Rio, e por quê? Tática de guerra psicológica! Isto faz com que o preço do frete encareça para os traficantes, que passam a ter de pagar até R$20.000,00 pelo carregamento, e desestimula aqueles que porventura estariam dispostos a prestar tais serviços…aí é a lei da economia imperando: crise da atividade econômica por escassez do produto e alto custo logístico. Este general Santos Cruz, da Senasp, é flórida! Parabéns aos guerreiros da PRF!

  4. Parabéns a PRF! É o tráfico sendo sufocado pela Operação Égide…menos drogar, menos armas…o crime vai migrar pra outras modalidades (assaltos a lojas; bancos; residências; roubos nas ruas, etc)…vai dar a impressão real que piorou muito antes de melhorar. Pelo o que alguns militares tem falado, o Exército está cortando o ganha pão e o fluxo de armas para o tráfico do Rio, antes de esmagá-lo. O levantamento de inteligência está sendo feito, depois é só cortarem as cabeças das hidras, como fizeram no Haiti.

Untitled Document