segunda-feira, 23 de outubro de 2017

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Projeto social de Volta Redonda se torna celeiro de talentos

Projeto social de Volta Redonda se torna celeiro de talentos

Matéria publicada em 11 de julho de 2017, 21:24 horas

 


Futebol: Resultado do 'Nova Esperança' vem colhendo bons frutos, com crianças que já se destacam em campeonatos (Foto: Divulgação)

Futebol: Resultado do ‘Nova Esperança’ vem colhendo bons frutos, com crianças que já se destacam em campeonatos (Foto: Divulgação)

Volta Redonda – Projetos sociais idealizados por voluntários vêm ganhando cada vez mais espaço na cidade. Mas um deles é o “Nova Esperança”, que funciona há 19 anos e reúne cerca de 500 crianças e adolescentes, com idades entre oito e 18 anos. O objetivo é tirar os menores das ruas, ocupando o tempo livre deles e incentivando a prática do esporte em diversas modalidades. O resultado desse trabalho vem colhendo bons frutos, com crianças que já se destacam em campeonatos.

Um deles é o jovem Iago Baesco, de 17 anos, que conquistou o Campeonato Regional de Atletismo do Sul Fluminense, nas modalidades de 100m, 200m e 400m. Ele, que mora no bairro São Luiz, participa do projeto desde os 12 anos. Além de Iago, o projeto tem como carro chefe os times de futebol de campo, onde três categorias – pré-mirim, mirim, infantil – chegaram à final do Campeonato da Copa da Cidadania.

Os jogos, que acontecem neste sábado, às 8h30, no Estádio Raulino de Oliveira, no Aterrado, reúnem atletas não só do “Nova Esperança”, mas de diversas crianças assistidas por outros programas sociais, semelhantes e existentes na cidade. Contando com 10 voluntários, o “Nova Esperança”, atende cinco bairros: São Sebastião, Nova Primavera, Três Poços, Roma e Candelária. Cada localidade desenvolve suas atividades em dias alternados.

Além do incentivo ao esporte, os voluntários atuam ainda em outra frente: eles participam regularmente de campanhas para doações de sangue e a maioria dos integrantes do projeto tem registro no banco de doações para medula óssea. Um dos responsáveis pelos treinos das crianças, o ex-atleta do Vasco, Flamengo e Botafogo, Dener Bento Luiz, de 34 anos, apesar de comemorar as vitórias obtidas pelo programa, fez um apelo para a manutenção do projeto as equipes precisam de doações e patrocinadores.

– A cada dia as despesas estão ficando mais pesadas e o número de crianças e adolescentes vem aumentando. Para darmos assistência a todos, precisamos de apoios – ressaltou Dener, lembrando que o projeto foi convidado a participar do 1º Torneio Internacional de Brazópolis, em Minas Gerais, na categoria futebol. O evento acontece entre os dias 18 e 23 deste mês. As doações ao projeto podem ser feitas através do Facebook (Nesec Silva) ou pelos telefones (24) 9-9915-9200 ou (24) 9-9975-2453.

O projeto

Desde a fundação, o “Nova Esperança”, vem funcionando com recursos próprios dos voluntários, em especial, do fundador do projeto, o engenheiro civil, Wendel Silva, que paga a maioria das despesas com as crianças, como lanches, ônibus para transporte do time, uniformes, entre outros. O engenheiro civil também conta com apoio de amigos que realizam. através de redes sociais, campanhas para adoção dos meninos, onde cada “madrinha ou padrinho”, escolhe uma criança e custeia a despesa desse atleta.

4 comentários

  1. Está aí um grande exemplo de cidadania!
    Normalmente, quando o Poder público se ausenta, a bandidagem se apropria. Nesse caso foi diferente!
    Pessoas decentes ocupando de forma cidadã, a lacuna deixada pelo poder público!
    PARABÉNS AOS VOLUNTÁRIOS!

    • Gustavo Sena de Carvalho

      Nova Esperança precisa de ajuda, é um trabalho muito bom, e não pode para ! quem se interessar entrar em contato.

  2. O Diario do Vale poderia fazer uma cobertura melhor das finais da Copa da Cidadania…. O Projeto Futura Geração, da Água Limpa e o time do bairro Padre Josimo, disputam o título na categoria juvenil…..
    Os meninos precisam de incentivo….

    • Gostaria de fazer uma observação o projeto Nova Esperança já existe a 9 anos e não 19 como está na reportagem…

Untitled Document