segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Temer participa de início da fase de integração de submarinos à Marinha

Temer participa de início da fase de integração de submarinos à Marinha

Matéria publicada em 20 de fevereiro de 2018, 21:01 horas

 


(Itaguaí - RJ, 20/02/2018) Cerimônia de Início da Integração dos Submarinos Classe Riachuelo. Foto: Beto Barata/PR

(Itaguaí – RJ, 20/02/2018) Cerimônia de Início da Integração dos Submarinos Classe Riachuelo.
Foto: Beto Barata/PR

 

Itaguaí – Uma cerimônia realizada nesta terça-feira (20), em Itaguaí – onde está localizado o complexo naval do Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) – marcou o início da fase de integração dos quatro submarinos convencionais da Classe Riachuelo previstos no projeto, considerado um dos maiores em termos de desenvolvimento tecnológico em andamento no País.

O evento contou com a presença do presidente da República, Michel Temer (MDB), que, em seu discurso, destacou a importância do Prosub, não só para a proteção da imensa costa marítima brasileira, como também para a geração de emprego e do desenvolvimento tecnologia nacional.

— A reconhecida excelência de nossa indústria naval nos dá a certeza do êxito dessa empreitada. Vamos avançando em passos firmes nesse projeto abrangente e audacioso — disse.

“O Prosub é peça-chave, não apenas em nossa política de Defesa, mas em nossa estratégia de desenvolvimento científico e tecnológico”, afirmou o presidente, que pediu à plateia uma salva de palmas em homenagem aos profissionais envolvidos na fabricação e montagem dos submarinos: “construídos pelas mãos de brasileiros e brasileiras que colocam o seu talento a serviço da nação”.

A fase do Prosub iniciada hoje envolve processos de elevada sofisticação tecnológica e é a última etapa antes do lançamento do submarino ao mar, previsto para o segundo semestre deste ano.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, ressaltou as dimensões brasileiras que, no futuro, contarão com a proteção desses submarinos: 7,4 mil quilômetros de costa, sendo a maior costa do Atlântico Sul.

— É preciso lembrar que aproximadamente 90% de toda a nossa reserva de petróleo se encontra no mar brasileiro. Precisamos ter capacidade de defender, fiscalizar, e de dissuasão, e esse é um instrumento essencial para o Brasil, seu progresso e desenvolvimento, e para assegurar paz e soberania — disse o ministro.

O comandante da Marinha, almirante Eduardo Leal Ferreira, lembrou que o programa conta com intensa participação de universidades e de centros de pesquisa, o que gera, entre outros benefícios, transferência de tecnologia para o país. O almirante destacou ainda que o Prosub resultou na capacitação de profissionais e na geração de aproximadamente 16 mil empregos diretos e indiretos.

— O Programa tem efeito multiplicador para setores da economia, com a formação de centenas de engenheiros e técnicos, além da colaboração de empresas nacionais, tecnologia de alto valor agregado e de profissionais capacitados que estimulam a Base Industrial de Defesa, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico — destacou o comandante da Marinha, lembrando que, por se tratar de um programa de longa duração, o Prosub precisa da segurança do aporte de recursos para não ter seu cronograma prejudicado.

O Prosub prevê, além da construção dos quatro submarinos convencionais, o projeto e a construção do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear e a infraestrutura necessária à construção, operação e manutenção dos dois modelos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. BOM MESMO É O MOLUSCO, NÉ RECRUTA ZERO, PRESIDENTE NÃO DEVE SE PREOCUPAR COM IBOPE E SIM TRABALHAR.

  2. Pela foto achei grande o submarino diesel. Imagina o tamanho do nuclear …

  3. O Vampirão é malandro, sua avaliação positiva é próxima de ZERO, então ele está cada dia mais se aproximando das forças militares do país pois elas são as instituições de maior credibilidade que nós temos,
    está usando oficiais generais para ver se dá uma alavancada na sua candidatura para a reeleição, triste um oficial general por força do ofício se tornar lacaio de um bandido como este.

Untitled Document