domingo, 19 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Bastidores e Notas - Por Aurélio Paiva / Ressurge a matemática das universidades, mesmo com o governo atrasado na resposta

Ressurge a matemática das universidades, mesmo com o governo atrasado na resposta

Matéria publicada em 10 de maio de 2019, 21:12 horas

 


Há uma semana postei que a mídia, os políticos, muitos professores e até reitores expuseram seu analfabetismo matemático no “corte de 36% do orçamento ” do colégio federal Pedro II, do Rio de Janeiro.

Mostrei que o “corte” era de 2,6%, e não 36%, conforme divulgado pela mídia e pelos sabichões (leia meu post anterior).

Nos comentários mostrei ainda que este analfabetismo matemático de tantos jornalistas e doutores se estendia aos cálculos dos cortes de todas as federais.

Que nunca houve – ao contrário do noticiado – corte de 30% no orçamento das universidades federais.

O que houve foi um corte de 30% sobre a pequena verba de “custeio” do orçamento – que representa menos de 4% do orçamento total.

Nenhuma novidade.

Este corte (na verdade contigenciamento) ocorreu em governos anteriores praticamente na mesma proporção – incluindo os governos Lula e Dilma – mas sem esta repercussão sem precedentes.

Como eu disse, postei os cálculos há exatamente uma semana.

Ninguém do governo veio esclarecer a mentira matemática exposta, durante todo o período.

Até que hoje, uma semana depois, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, deu uma vídeo-aula sobre o tema falando exatamente o mesmo que postei.

Com isso, a matemática foi redimida.

Mas a comunicação do governo continua um desastre.

Clique no link abaixo para ver o vídeo do ministro Weintraub.

https://youtu.be/cVpGyqGa6Wc


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Avatar

    Me espanta a arrogância desse jornalista.. a tal “verba mínima” é o que sustenta a universidade, com auxílio permanência aos alunos, bandeijão subsidiado, paga contas de luz, internet, terceirizados. Ainda, o corte de 30% sobre o orçamento desse ano não pode ser visto isoladamente. São anos de diminuição do limite de empenho, o que tem acontecido é um acumulo de cortes ao longo dos últimos anos. Não podemos nos enganar de que é “apenas um corte mínimo”.

  2. Avatar

    Considerando que esse governo não tem planejamento para o futuro do Brasil, o que deveria ser apresentado na convenção do partido que indicou o Bolsonaro há quase 10 meses, incluído aí 2 meses de uma campanha fugindo de debates, mais 2 meses de transição e agora caminhando para os 6 meses de governo, jogando tudo nessa cruel proposta de reforma da previdencia, um ministro ”olavista” demorar uma semana para dar uma resposta é até compreensível.

  3. Avatar

    Tá fácil não meu amigo. Se reitores não conseguem fazer uma regra de três não deveriam ter autonomia pra gerir recursos públicos. Se estão sendo desonestos com seus cálculos não deveriam ser reitores de universidades públicas. Quanto a comunicação do governo ser ruim, concordo plenamente com vc.

    • Avatar

      Meu caro não é só a comunicação do governo que continua um desastre, todo o resto continua um desastre

  4. Avatar

    Eu acho que o ministro ou seus assessores andam lendo o Diário do Vale. kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document