>
quinta-feira, 26 de maio de 2022 - 14:24 h

TEMPO REAL

 

Capa / Boletins Covid-19 / Boletim de segunda-feira em VR registra 1.385 casos confirmados por Covid-19

Boletim de segunda-feira em VR registra 1.385 casos confirmados por Covid-19

Matéria publicada em 17 de janeiro de 2022, 21:07 horas

 


Volta Redonda- O boletim epidemiológico desta segunda-feira, dia 17, em Volta Redonda, registrou um total de 1.385 casos confirmados por Covid-19, elevando o total para 44.056 confirmações.

De acordo com o novo boletim, mais 4 óbitos por Covid-19 foram registrados no município, aumentando para 1.301 mortes pela doença.

O boletim de segunda-feira registrou um aumento na taxa de ocupação na rede pública (SUS) em leitos clínicos para 26% e reduziu para 43% nos leitos de UTI. Já na rede privada, a taxa de ocupação referente aos leitos clínicos aumentou para 16% e nos leitos de UTI aumentou para 11%.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Reino Unido registra 438 mortes por Covid em 24 horas, maior número diário em mais de um ano
    País teve um rápido aumento no número de novas infecções nas últimas semanas em decorrência da variante ômicron do coronavírus

  2. Sim ao ensino hibrido! Sim ao ensino remoto!

    Durante toda a pandemia, nós tínhamos um atendimento de crianças assintomáticas com a família já sabidamente positiva ou apresentando sintomas. Agora, não raramente, até com uma certa frequência, a criança é o primeiro membro da família a apresentar o sintoma e a testar positivo”, diz Ricardo Fonseca, pediatra do Hospital Sírio-Libanês.

    O que a gente vem observando é que há um aumento na transmissão dentro de casa. Alguém da família está saindo e não está tomando os cuidados necessários. Então, é necessário que haja uma consistência no uso dessas medidas para todos os membros da família”, afirma Mariângela Simão, diretora para Medicamentos e Vacinação da OMS.

    Um estudo publicado pela agência de saúde do Reino Unido constatou que, em 8,3% dos casos, pessoas infectadas com a variante delta contaminaram mais alguém da família. Com a ômicron, o número sobe para 19%.

    Os epidemiologistas dizem que o que se vê nos hospitais faz todo sentido. As crianças são hoje o grupo mais vulnerável porque ainda não estão protegidas pela vacina. Se elas ficam doentes, a carga viral é alta e, portanto, têm mais chance de transmitir o vírus do que uma pessoa que pegou Covid, mas está imunizada.

  3. Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém

    Prefeito, Governador deixe a critério dos pais a decisão até abril pelo menos , já que será quando crianças terão imunidade completa a decisão de ensino remoto ou presencial.

    Daqui há pouco haverá 2 explosões de casos, no volta às aulas e no pós Carnaval.

  4. Sim ao ensino remoto, pessoas com comorbidades e alunos que convivem com pessoas com comorbidades necessitam

    O que estamos vivendo não é uma nova onda, é um tsunami”, afirma a médica Rosana Richtmann, do Instituto de Infectologia xEmílio Ribas, em São Paulo, e membro da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia).

    Segundo ela, há uma quantidade de casos que jamais foi vista antes. “Quem ainda não teve a covid-19 logo terá ou, então, já teve e não sabe, porque está impossível ir para qualquer local sem cruzar com essa nova variante”, chega a ponto de dizer.

    Ômicron tem uma altíssima transmissibilidade, cerca de dez vezes maior em relação ao vírus original”, observa João Viola, presidente do comitê científico da Sociedade Brasileira de Imunologia

    Isolamento, claro, continua sendo necessário para quem está infectado, especialmente se convive com indivíduos mais vulneráveis — como idosos, crianças ainda não vacinadas, imunossuprimidos.

  5. 2 anos de pandemia , vários parentes faleceram, eu não peguei covid até agora graças a máscaras profissionais e ao fato de meus filhos estarem no remoto .

    Se tiver só presencial não enviarei a escola.

    Antes perder um ano que perder vida.

  6. Crianças e adolescentes não cumprem protocolos

    Pelo amor de Deus, precisamos do ensino hibrido!

    Crianças com comorbidades sem imunização completa.

    Crianças sem nenhuma imunização , sendo que 70% dos casos de internação de crianças são sem comorbidades.

    Adolescentes com comorbidades com 2 doses que dá 22 % de proteção.

    País com comorbidades em casa.

    Quem quiser manda pra escola e quem não quiser ou puder fica no on-line

Untitled Document
close