Engenharia em alta no mercado de trabalho

Por Diário do Vale

Professor Vidal com alunos do curso de engenharia

foto.Volta Redonda

 

Um estudo divulgado neste ano pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostrou que os profissionais da área de engenharia estão entre os mais requisitados do mercado de trabalho e apresentam maior taxa de ocupação em relação a outros profissionais de nível superior. A oferta proativa de vagas em outros países também está em alta, inclusive, alguns manifestam interesse específico em profissionais brasileiros.

Segundo uma matéria publicada na internet, neste mês, pela revista Exame, da editora Abril, os governos da Nova Zelândia, Canadá e Noruega estão buscando imigrantes com diploma de nível superior. A Nova Zelândia possui um programa anual de trabalho temporário feito exclusivamente para o Brasil. No Canadá, entre as formações mais requisitadas está a Engenharia Civil. Já no site oficial da Noruega, o governo apontou que os engenheiros foram os profissionais mais escassos no país no primeiro semestre de 2014, com déficit estimado de 14 mil profissionais. Os especialistas mais desejados são das áreas de perfuração, automação, mecânica, mecatrônica e hidráulica.

Para o professor e coordenador do curso de Engenharia de Produção do UBM – Centro Universitário de Barra Mansa, Pedro Penedo, os profissionais brasileiros são muito bem vistos fora do país. “A aceitação do engenheiro brasileiro como mão-de-obra é muito boa. Apesar de a base do curso ser praticamente a mesma em todos os países, o perfil do profissional é diferenciado”, analisa. “O engenheiro brasileiro é flexível, está pronto para lidar com as ferramentas que possui para desenvolver um trabalho”, acrescenta o auxiliar de coordenação do curso, Tiago Seixas.

 

Formação acadêmica

 

Engana-se quem pensa que para ingressar nos cursos da área de engenharia, o aluno deve ser um gênio das exatas. De acordo com os professores e especialistas da área, o importante é que o estudante demonstre interesse e aptidão para a lógica e o pensamento rápido.

Além disso, dentro da engenharia é possível escolher diversos ramos. O UBM oferece seis especialidades com duração total de 10 semestres. São os cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Petróleo, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica e o novo curso, Engenharia Mecânica. Este último surgiu da necessidade de atender a demanda do mercado regional, como explica o coordenador, Leonardo Vidal.

 

Pesquisa científica

 

Nos dias 23 e 24 de outubro, o professor do curso de engenharia, Leonardo Vidal, esteve representando o UBM, junto com empresários, membros do governo do Estado e das prefeituras da região, numa visita ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), localizado no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). Essa visita faz parte de um projeto para implantação de uma estrutura semelhante na Região Sul Fluminense.

Advertisement

O Parque deverá ser uma concentração de empresas, universidades, centros de pesquisa e investidores que, à medida que passam a compartilhar do mesmo ambiente, criam as condições favoráveis ao desenvolvimento de inovação.

 

Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996