quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Ações de prevenção ao suicídio acontecem em Volta Redonda

Ações de prevenção ao suicídio acontecem em Volta Redonda

Matéria publicada em 11 de setembro de 2019, 18:30 horas

 


Atualmente são realizados cerca de 7.500 atendimentos nos Centros de Atenção Psicossocial

Volta Redonda possui cinco CAPS sendo três deles destinados ao atendimento de adultos
(Foto: Secom PMVR)

Volta Redonda- Ações de conscientização de prevenção ao suicídio vão acontecer durante todo o mês de setembro, em Volta Redonda, com o objetivo de alertar a população sobre a realidade do suicídio no Brasil e no mundo, além das suas formas de prevenção. A programação da secretaria municipal de Saúde segue até o dia 27. O início das ações começam nesta sexta-feira (13), às 18h, quando o chafariz da Vila Santa Cecília acenderá luzes amarelas, cor da campanha. Durante a ação, profissionais da saúde mental distribuirão material informativo para a população.
Também serão realizadas palestras em instituições públicas e rodas de conversas em diversos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou a importância das ações na promoção do amplo debate do tema junto à população.
– A saúde mental é uma das nossas prioridades. Temos uma equipe qualificada para ajudar as pessoas e atuar na prevenção do suicídio, que muitas vezes ainda é tratado como tabu pela sociedade – pontuou o secretário.
O prefeito Samuca Silva ressalta que o ‘Setembro Amarelo’ tem total apoio da administração pública.
– Contamos com uma ampla rede voltada para a saúde mental. É importante essa conscientização da população e a conversa sobre prevenção ao suicídio – disse o prefeito.

Como buscar ajuda

Volta Redonda dispõe de profissionais capacitados à orientação dentro do setor de Saúde Mental, que pertence a média complexidade do município. Atualmente o município possui cinco CAPS, sendo três deles destinados ao atendimento de adultos, um infantil e um para dependentes de álcool e outras drogas.
Cada um deles conta com uma equipe multidisciplinar composta por assistente social, psicólogo, técnico de enfermagem, enfermeiro, terapeuta ocupacional, educador físico, psiquiatra e médico clinico. Nos espaços, que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, acontecem oficinas terapeutas, como música, artesanato, higiene, saúde e jogos.
De acordo com a coordenadora de Saúde Mental, Renata Vasquez, atualmente são atendidos cerca de 1.500 pacientes ativos em cada uma dessas unidades, perfazendo um total de 7.500 atendimentos por mês.
– O CAPS funciona com portas abertas, sem precisar ter encaminhamento e agendamento para ser atendido. Todas as pessoas com algum sofrimento psíquico como depressão, crise de ansiedade ou qualquer outro transtorno que chegam, são acolhidas imediatamente – disse a coordenadora.
Para a psiquiatra Marilu Nascimento Freitas, que atende no Centro de Atenção Psicossocial Usina de Sonhos, destaca que entre os principais casos estão os psicóticos e pacientes em depressão graves, com risco de suicídio.
– Eles são acolhidos, acompanhados e medicados imediatamente após nos procurar. As consultas são realizadas semanalmente e depois sendo espaçadas para quinzenalmente e mensalmente até eles melhorarem – disse a médica.
Mariane de Oliveira, 21 anos, moradora da Vila Brasília, conta que foi salva pela acolhida que teve no CAPS.
– Tive duas tentativas de suicídio em seguida e fui parar no hospital por causa de três paradas cardíacas. Então procurei ajuda aqui. Eu era responsável por manter a minha família e perdi meu emprego. Então entrei em depressão – disse Mariane. Sete meses depois ela diz que sua vida está totalmente mudada. “Agora minha realidade é bem diferente e consigo ver várias pessoas lutando para sobreviver. Eu sou uma delas. Minha semana é praticamente aqui dentro”, comemora a paciente.

Programação

Dia 13 – 8h – Palestra na escola Rotary, no bairro Água Limpa;

14h – Palestra no IFRJ, Aterrado;

Dia 17 – 7h – Palestra no Saae, no bairro Bela Vista;

10h – Palestra no Saae, no bairro Aterrado;

15h – Palestra no Saae, no bairro Belmonte;

Dia 19 – 9h – Roda de conversa com familiares, no Cras do Santo Agostinho;

14h – Roda de conversa com familiares, no Cras do Vila Brasília;

Dia 20 – 14h – Roda de conversa com familiares, no Cras do Monte Castelo;

Dia 22 – 8h – Rua de Lazer – práticas integrativas, na Radial Lesta;

Dia 23 – 14h – 14h – Roda de conversa com familiares, no Cras do Candelária;

Dia 25 – 9h30 – Roda de conversa com a população em situação de rua, no

Aterrado;

14h – Roda de conversa com a população em situação de rua, no

Na Vila Santa Cecília;

Dia 26 – 9h – Evento dos trabalhadores de Saúde Mental, Caps do Belvedere;

Dia 27 – 9h – Roda de conversa com familiares, no Cras do Rústico


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document