terça-feira, 12 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Administrador deixa de fumar com programa oferecido pela prefeitura

Administrador deixa de fumar com programa oferecido pela prefeitura

Matéria publicada em 15 de setembro de 2019, 19:22 horas

 


Programa de Controle ao Tabagismo e outros Fatores de Risco oferece, gratuitamente, o suporte para quem quer orientações para permanecer sem fumar

Volta Redonda – Foram quase quatro décadas empunhando o cigarro. O primeiro trago foi aos 16 anos e agora, aos 55 anos, o administrador Juarez Magalhães encontrou determinação e apoio para deixar o tabagismo através do Programa de Controle ao Tabagismo e outros Fatores de Risco da secretaria municipal de Saúde de Volta Redonda. Assim, está há sete meses sem fumar como participante do programa da secretaria municipal de Saúde que oferece, gratuitamente, o suporte para quem quer orientações para permanecer sem fumar.
“Informei aonde e em que horário aconteciam as reuniões e me inscrevi para uma vaga. O grupo foi decisivo para que eu parasse de fumar. Lá, orientado pela coordenadora e motivado pelos casos bem sucedidos de pessoas que deram seu depoimento durante a reunião, encontrei a motivação que eu precisava para deixar o vicio, um desejo antigo”, disse Juarez.
Quando Juarez começou a fumar, ainda não existiam leis que proibiam o tabagismo em locais fechados. “Cansaço físico e dificuldade em respirar foram os sinais que eu deveria para de fumar. Além disso, já não tinha a mesma liberdade e resolvi que era hora de parar. Com apoio, descobri outros caminhos de satisfação no lugar do tabagismo”, conta.
A coordenadora do grupo de Controle do Tabagismo Ana Lucia Quaresma, destaca que o maior desafio para os que procuram o serviço é manter-se no programa após os primeiros meses. “Queremos que os participantes entendam que o cigarro é um vício e não estamos falando de cura. Temos um cuidado muito grande com esse indivíduo que está em fase de manutenção. Nos grupos elas aprendem como conviver em sociedade e com amigos. Parar de fumar é como aprender a andar de bicicleta. Quando uma criança começa a aprender a andar de bicicleta alguém segura e depois solta. Ela cai, mas levanta e continua”, ressalta a coordenadora.

Serviço

O programa funciona nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF). Atualmente a cidade foi dividida em pólos que dão assistência a uma determinada área. O Programa de Controle ao Tabagismo e outros Fatores de Risco está funcionando em 11 desses pólos e é o primeiro programa descentralizado do interior do Estado do Rio e Janeiro.
A equipe é composta por uma odontóloga, médico, psicóloga, enfermeira, voluntária e a coordenação. Durante o tratamento individual são utilizados medicamentos como adesivos de nicotina e o uso da bupropiona. Esse ano foi implantado também no município um programa de prevenção ao uso do tabaco denominado O Saber Saúde na Escola, que é desenvolvido nas escolas do município.
“É realizada uma entrevista onde o profissional da saúde irá conhecer um pouco desse paciente, como doenças, tratamentos, tempo que ele está fumando, se é uma dependência física, psicológica ou comportamental, ou as três associadas. Ele participa de quatro sessões de um trabalho cognitivo comportamental em grupo, onde é visto como grande responsável pelo seu tratamento. Nós profissionais somos os facilitadores desse processo. Esse indivíduo é acompanhado por um ano, após cessação do uso do tabaco”, explicou a coordenadora do programa.
O prefeito Samuca Silva destaca que, cada vez mais, a saúde do município está investindo em ações que cuidem da população. “Queremos ofertar apoio para que o fumante deixe o cigarro, encontre qualidade de vida para ele, seus familiares e para a saúde coletiva. Incentivar o máximo de pessoas a parar de fumar é fundamental porque o tabagismo é responsável por uma série de doenças crônicas que podem ser evitadas”, ressalta o prefeito.
O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explica que as pessoas que querem participar do programa devem se dirigir a unidade de saúde mais perto da sua residência. “Após uma avaliação individual, será convidado a participar dos encontros coletivos onde serão abordados temas como comportamentos, pensamentos e sentimentos dos participantes que são obstáculos para permanecerem sem o cigarro”, explica Alfredo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document