domingo, 20 de setembro de 2020 - 04:42 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Associação de Proteção à Maternidade e a Infância solicita ajuda para continuar ações sociais

Associação de Proteção à Maternidade e a Infância solicita ajuda para continuar ações sociais

Matéria publicada em 5 de agosto de 2020, 17:30 horas

 


Volta Redonda – O belo trabalho desenvolvido pela APMI (Associação de Proteção à Maternidade e a Infância) junto a crianças e famílias carentes não foi interrompido nem mesmo com a pandemia do coronavírus.

Com exceção da creche, que teve o seu atendimento interrompido em decorrência da Covid-19, os demais projetos da entidade como, por exemplo, o projeto kit alimentação e o projeto enxoval de bebê continuam sendo preparados e confeccionados pelos voluntários da APMI.

De acordo com a coordenadora Valéria Turbay, apesar de a creche não estar funcionando, os voluntários continuam distribuindo os kits alimentação todo mês, além do enxoval para quem já estava inscrito.

Mas, infelizmente, segundo Valéria, com a pandemia muitas pessoas que ajudavam doando alimentos para a preparação das cestas, e até as contribuições em dinheiro e carnês, deram uma reduzida bem significativa.

– E como não estamos conseguindo receber o suficiente, precisamos com urgência da colaboração de todos na ajuda de suprimentos das cestas como leite, açúcar, fubá e amido de milho e também para a preparação dos enxovais de bebês. A ajuda financeira também está sendo necessária, pois temos que pagar luz, salário entre outras despesas do local – destacou.

A coordenadora explica que como a instituição é mantida por doação, há um carnê pelo qual cada pessoa pode pagar o que puder mensalmente. Para complementar a arrecadação, Valéria lembrou que são promovidos pela direção da entidade eventos como almoços e rifas, mas com a pandemia não foi mais possível dar continuidade a esses eventos.

– Alguns sócios são de grupos de oração, que também contribuem com o que podem, mas, infelizmente, devido as medidas de isolamento social e a situação econômica do momento, alguns reduziram no valor contribuído – lamentou Valéria.

Segundo ela, os kits alimentação vão com uma quantidade suficiente para um mês e no momento beneficiam em torno de 40 famílias.

– Eles são entregues todo primeiro sábado do mês, lembrando que estes kits beneficiam crianças de seis meses a dois anos, e é destinado às crianças cuja família não tem condições financeiras. O enxoval de bebê também é entregue neste dia, sendo que a maioria das peças é feita por costureiras voluntárias que vão à instituição para produzir as roupinhas – disse.

De acordo com a responsável pela APMI, devido a pandemia a preparação dos kits é feita por apenas três voluntárias por vez e todas usando máscaras e álcool em gel.

– Os encontros são realizados em um dia da semana em que todos estejam mais disponíveis, já os kits são distribuídos todo primeiro sábado do mês aos cadastrados. Gostaria muito de beneficiar mais famílias, mas infelizmente no momento não temos condições de aumentar o número de kits – explicou Valéria.

Para quem estiver interessado em colaborar, as doações de alimentos podem ser entregues nas paróquias de Santo Antônio e Santo Agostinho. Basta falar que é destinado à APMI. Já as colaborações em dinheiro podem ser feitas no banco Santander.

AG: 4708

CC: 13.000.140-0

CNPJ: 30.434.856/0001-36

Favorecido: Associação de proteção à Maternidade e Infância (APMI)

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document