sexta-feira, 3 de dezembro de 2021 - 04:11 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Atividades do projeto Superação têm início em Volta Redonda

Atividades do projeto Superação têm início em Volta Redonda

Matéria publicada em 12 de abril de 2016, 22:07 horas

 


Participantes, ex-moradores de rua, fizeram trabalho de limpeza na Vila Santa Cecília e participaram de oficinas no Centro POP

Reinserção: Atendidos pelo projeto receberam uniformes e equipamentos para poderem trabalhar nesta terça, na Vila Santa Cecília (Foto: Divulgação PMVR)

Reinserção: Atendidos pelo projeto receberam uniformes e equipamentos para poderem trabalhar nesta terça, na Vila Santa Cecília (Foto: Divulgação PMVR)

Volta Redonda – O projeto Superação da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac) de Volta Redonda, lançado na segunda-feira (11) pelo prefeito Antônio Francisco Neto (PMDB) e pelo secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, já iniciou as atividades, atendendo a 20 pessoas que estavam em situação de rua, com assistência psicossocial e médica, além de trabalho em meio período. Na manhã de terça-feira (12), os assistidos pelo projeto fizeram a limpeza, com varrição e capina, do Memorial Getúlio Vargas (térreo da Biblioteca Municipal Raul de Leoni) e do Largo 9 de Abril (Largo do Cecisa), na Vila Santa Cecília.

– Acompanhei pessoalmente todo o primeiro dia, e foi bastante produtivo. Eles tomaram café da manhã no Abrigo Seu Nadim, depois o microônibus da Smac os levou para a Vila. Após o trabalho do período da manhã, eles almoçaram e foram para as oficinas ou seguiram para o tratamento no CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Especializada em Álcool e Drogas – unidade do Programa de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde) – explicou Munir. De acordo com o secretário, o projeto é piloto: “Iríamos iniciar com 17 pessoas, e acabamos colocando 20. Mas não vamos aumentar o número de participantes por enquanto, o projeto está no início”.
Munir afirmou que o projeto pretende dar uma nova chance às pessoas em situação de rua.
– O objetivo principal é dar dignidade e cidadania para estas pessoas, as reintegrando às suas famílias e à sociedade – disse Munir, ressaltando que paralelo ao projeto Superação, a prefeitura está fazendo uma campanha para que as pessoas não dêem esmola.
– Começamos a campanha nos outdoors, para que as pessoas ajudem de forma legal, orientando que a população de rua procure os serviços sociais do município, ou mesmo ofereçam oportunidades de trabalho – pontuou.

Chance

Um dos beneficiados pelo projeto Superação, Erick Ferreira, de 41 anos, afirmou que é uma oportunidade única e que vai agarrar a chance.
– Fiquei algum tempo, e este projeto é uma oportunidade excelente nas ruas. Em vista de estar 24 horas nas ruas, isso aqui é muito bom. Hoje vi muitos amigos nossos (moradores de rua) e não quero essa vida de novo não – afirmou Erick. Falando com muita clareza, Erick disse que estudou até o 1º ano do curso de Direito, mas foi diagnosticado como alcoolista aos 26 anos, e desde então passou por internações em clínicas de desintoxicação e períodos nas ruas. Citando o nome de vários integrantes das equipes dos projetos da Smac e da Secretaria Municipal de Saúde, ele destacou o apoio dos funcionários para que integrasse o projeto.
– Foi uma decisão minha, estou fazendo isso por mim, mas o incentivo de todos nas equipes foi fundamental para que eu acreditasse em uma mudança, o que está sendo muito bom – disse Erick, afirmando que pretende voltar a estudar.

Projeto

O projeto Superação tem como objetivo a reinserção na sociedade de pessoas em situação de rua, oferecendo atendimento psicossocial, de Saúde, e buscando capacitação para o mercado de trabalho.
Pela ideia inicial serão atendidas pela rede municipal de assistência social pessoas entre 18 e 59 anos. Na parte da manhã, elas farão um trabalho orientado pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos (SMSP), na limpeza de espaços públicos e unidades da Smac, trabalho pelo qual eles receberão meio salário mínimo, como Bolsa Aprendizagem. À tarde serão realizadas oficinas – música, convivência, cinema com debate – oferecidas pela Smac, e o tratamento no CAPS AD, unidade do Programa de Saúde Mental da SMS. Os atendidos pelo projeto passam a receber ainda uniformes e equipamentos, café da manhã, almoço e jantar, além de pernoite do Abrigo Municipal Seu Nadim.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Vizinho do CAPS da Vila

    Sou morador da Vila Santa Cecília há 16 anos e infelizmente, inauguraram no ano retrasado em minha rua, o CAPS – Centro de Atenção Psicossocial Usina de Sonhos. Isso trouxe diversos problemas para o convívio social e moral da vizinha, vou listar para vocês teram ideia do que estou falando:

    1) Os “pacientes” passam fumando MACONHA e tomando CACHAÇA no horário da MANHÃ;
    2) Sentam na calçada e leem REVISTAS ERÓTICAS;
    3) Jogam bitucas de cigarro pela rua a fora;
    4) Mexem com as mulheres na rua;
    5) Urinam e defecam nas calçadas;
    6) Pedem esmola nas casas;
    7) O CAPS fornece aos “pacientes” o refresco NUT, os mesmos jogam no chão;
    8) Há vários “pacientes” que são extremamente violentos e diversas vezes, presenciei brigas entre eles;
    9) De vez ou outra, aparece caminhões/ambulâncias de Bombeiro para retirar algum “paciente” transtornado.

    Há muitas outras coisas que andam acontecendo, e extremamente desgastante, há recém nascidos e senhores/senhoras de quase 100 anos que tem passar por isso TODOS os dias. Pagamos um IPVA caríssimo e esse é o retorno. DEPENDENTES QUÍMICOS TEM DE SERTRATADOS EM CLÍNICAS ESPECIALIZADAS, que costumavam ficar afastadas da cidade, por que será?

  2. Parabéns pela iniciativa.
    Mas um excelente projeto…
    Só vigiar para as pessoas de má fé não “tirarem aproveito”.

  3. a iniciativa da smac foi excelente, espero poder vê los tbm no bairro vila mury e demais praças da cidade .Fica meus aplausos ao senhor Munir e equipe.

Untitled Document