quarta-feira, 24 de abril de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Atos de violência contra a mulher levam a abaixo-assinado por Deam em Barra Mansa

Atos de violência contra a mulher levam a abaixo-assinado por Deam em Barra Mansa

Matéria publicada em 23 de março de 2019, 17:32 horas

 


Tenda foi montada no Centro de Barra Mansa (foto: Tom Teixeira)

Barra Mansa – A quantidade de crimes contra a mulher cometidos dentro do ambiente doméstico fez com que o radialista Tom Teixeira e um grupo de barra-mansenses iniciassem um movimento a fim de chamar a atenção do governo do Estado para a instalação de uma Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) na cidade.

Segundo Tom, no dia 9 de março, após alguns ouvintes participarem de uma homenagem em comemoração ao dia internacional da mulher, surgiu a ideia de reivindicarem através de um abaixo-assinado, outra delegacia em Barra Mansa.

‘’O combate à violência contra a mulher nos motivou. Diversos casos de feminicídio vêm acontecendo em nossa região, principalmente em Barra Mansa. Os casos que são apresentados diariamente na mídia nos chamou atenção. Sentimos a necessidade de assegurar com mais efetividade o combate à violência contra a mulher’’, disse.

Uma tenda foi instalada na Praça da Liberdade Dantes da Fonseca, no Centro. Durante as atividades, pedestres que transitavam no local, ao perceberem a movimentação, resolveram aderir à campanha e assinar o documento que será entregue em mãos para o deputado federal Alexandre Serfiotis e encaminhado para o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. A expectativa é de que cinco mil pessoas assinem o documento.

Equipes envolvidas com a campanha permanecerão na Praça da Liberdade até o dia 15 de abril, de segunda a quarta-feira das 9h até às 17h.

Caso de violência

No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a secretária municipal de Assistência Social, Ruth Coutinho, a Rutinha, falou sobre o crescimento da violência doméstica na cidade:

“Os casos de feminicídio têm crescido. A princípio, os registros ficavam concentrados nas grandes cidades, mas agora, estão ocorrendo por todos os lugares, inclusive na nossa região. São situações que chocam toda a sociedade, como o caso da corretora de Volta Redonda, assassinada no ano passado no Rio de Janeiro, cujo acusado principal do crime é o ex-marido, da mulher agredida com fio de energia elétrica pelo marido em Angra dos Reis; da mulher espancada também pelo marido com um soquete de feijão em Barra Mansa e mais recentemente, também na nossa cidade, da gestante que veio a óbito em decorrência das agressões sofridas pelo companheiro, na segunda-feira de Carnaval. Não podemos nos conformar diante de tamanha violência, por isso é importante a conscientização de que a lei por si só não muda condutas. A educação é o instrumento mais transformador que a gente tem pra mudar essa realidade. Um homem não pode achar que pode matar a mulher porque ela o contrariou ou não quer mais manter o relacionamento”, analisou a secretária, ressaltando a importância da denúncia junto aos órgãos de segurança para garantir medidas protetivas à mulher e, consequentemente, aos filhos.

Uma semana depois da fala de Ruthinha, outro caso de violência doméstica abalou Barra Mansa: uma mulher foi morta pela companheira na Vila Coringa.

Volta Redonda

Em Volta Redonda existe uma Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher no prédio da 93º DP, na Avenida Lucas Evangelista de Oliveira Franco, nº 667, no bairro Aterrado.

Segundo Tom Teixeira, a instalação de outra Deam em Barra Mansa é importante devido o aumento do índice de agressões às mulheres na cidade. ‘’As últimas notícias sobre violência contra as mulheres na região foram em Barra Mansa. Muitas não têm o conhecimento da delegacia em Volta Redonda, além de não terem condições de se deslocarem para a cidade vizinha’’, finaliza.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Já foi usada politicamente a DEAM em Barra Mansa na gestão do criminosos chefe de policia Alvaro Lins, condenado pela justiça. Agora vem outra tentativa politica de alguem ganhar com a violencia contra a mulher. Imagina de fosse ter que colocar uma delegacia de homicídios em cada municipio? Absurdo sem contar que não tem policiais civis para atuarem nessa especializada devido ao sucateamento da civil pelos governadores e deputadoa estaduais presos.

Untitled Document