domingo, 17 de outubro de 2021 - 20:01 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Bairros de Barra Mansa receberão orientações sobre o diabetes

Bairros de Barra Mansa receberão orientações sobre o diabetes

Matéria publicada em 15 de novembro de 2017, 16:47 horas

 


Barra Mansa – Na semana em que um dos assuntos em pauta foi o diabetes, a Adibam (Associação dos Diabéticos de Barra Mansa) anunciou que vai levar suas atividades para bairros da cidade. A entidade, sem fins lucrativos, quer alertar a população sobre o aumento no número de casos da doença tanto no país, como na região. Estimativas da Adibam apontam que somente em Barra Mansa houve um crescimento, neste ano, em pelo menos 10% nos índices da doença, totalizando cerca de sete mil pessoas.

Esses dados se confirmam com números do Ministério da Saúde, apontando que na última década, o total de pessoas com diabetes tipo 1 e 2 no Brasil, subiu 61,8%. A exemplo das demais localidades do país, o diabetes no município atinge em maioria as mulheres. Uma em cada 10 estão diagnosticadas com a doença. O sedentarismo e a obesidade estão entre os fatores predominantes em pacientes com a doença.

As mulheres, geralmente aquelas com mais de 35 anos com obesidade abdominal, hipertensão arterial e triglicérides elevados, surgem como fator de risco propício para desenvolver a doença. Dados da Adibam revelam ainda que o diabetes atinge, em maioria, pessoas com idades entre 40 e 75 anos, onde os índices de crescimento de casos em Barra Mansa, também subiram em 27% neste ano.

– As pessoas não se dão conta desta doença que chega de mansinho e quando é constatada, o quadro clínico já está bem adiantado – ressaltou a presidente da Adibam, Eterna Quintão, lembrando que a taxa normal de glicose no sangue – denominada glicemia – deverá seguir valores entre 70 e 99mg glicose/dl de sangue. “Acima disso o indivíduo entra em uma zona de risco, podendo, inclusive, sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral)”.

Eterna disse que devido ao aumento dos casos da doença na cidade, a entidade decidiu sair em campo alertando a população sobre os riscos do diabetes. Nos eventos realizados nas ruas, Eterna Quintão revelou ter encontrado casos em que pessoas estavam com taxa de glicose em 600mg. “Assim que detectamos encaminhamos o paciente rapidamente para o hospital”, comentou a presidente da entidade, lembrando que vários outros casos semelhantes estão sendo detectados nas atividades desenvolvidas pela Adibam nas ruas.

Orientações: Atividades nos bairros começam na próxima semana e deverão ser realizadas em parceria com as associações de moradores (Foto: Divulgação)

Orientações: Atividades nos bairros começam na próxima semana e deverão ser realizadas em parceria com as associações de moradores (Foto: Divulgação)

Bairros

As atividades em bairros da cidade começam na próxima semana e deverão ser realizadas em parceria com as associações de moradores. A Adibam, que funciona desde 2006, conta com um quadro clínico de quatro médicos – cardiologista, nutricionista, psicólogo e especialista em diabetes. Estes profissionais ao detectarem os fatores de risco entram em campo com medidas preventivas para que o paciente possa levar uma vida saudável, a partir do controle da doença.

Atualmente, passam pela sede da Adibam cerca de 30 pessoas diariamente, que recebem assistência para o controle e tratamento da doença. “Fazemos tudo de graça, porque nosso objetivo é salvar vidas”, ressaltou Eterna Quintão, anunciando que bairros como Boa Vista, Vila Delgado e Cotiara já estão na lista de atividades da entidade.

O que se deve observar

Entre os itens a serem observados estão a obesidade abdominal, com circunferência da cintura acima de 88 cm no caso das mulheres, e de 102 cm nos homens. Há ainda os casos de diabete gestacional, desencadeada por alterações no metabolismo materno e agravada por fatores de risco, como ganho de peso excessivo durante a gestação, idade materna mais avançada e quadro de hipertensão arterial.

Segundo Eterna Quintão, sensação de boca seca, sudorese, muita sede, pele seca, são alguns sintomas comuns à doença. A presidente da entidade lembra ainda que pacientes com diabetes têm três vezes mais de chances de desenvolverem doenças cardiovasculares, como derrame e infarto. Além de maior risco de AVC e de infarto, o diabetes é uma das principais causas de cegueira, falência do rim e amputações de membros inferiores. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2030 o diabetes será a sétima principal causa de mortes no mundo – hoje, é a nona.

Prevenção

O diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente – hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue – ou quando o corpo não consegue utilizar de maneira efetiva a insulina que o organismo produz. A doença se divide em dois tipos, além do diabetes gestacional.

Uma das formas de prevenir o diabetes tipo 2 é a reeducação alimentar, redução do consumo de açúcar e de gorduras saturadas, além da prática de exercícios físicos regulares. A OMS recomenda pelo menos 30 minutos de atividade física na maioria dos dias da semana.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document