domingo, 9 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Barra Mansa reforça vacinação contra o sarampo

Barra Mansa reforça vacinação contra o sarampo

Matéria publicada em 13 de janeiro de 2020, 14:30 horas

 


Campanha Rio sem Sarampo segue até 13 de março. Público alvo é formado por pessoas de seis meses a 49 anos de idade

Crianças a partir de seis meses devem ser imunizadas
(Foto: Chico de Assis)

Barra Mansa- Seguindo o calendário vacinal estabelecido pela Secretaria de Estado de Saúde, Barra Mansa iniciou nesta segunda-feira, 13, a intensificação da vacinação contra o sarampo. Todas as pessoas com idade entre seis meses e 49 anos devem ser imunizadas. As doses da vacina tríplice viral estão disponíveis em todas as unidades de saúde do município, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h.

A expectativa é que, este ano, ocorram no estado mais de 10 mil casos da virose. Em 2016 a doença estava erradicada no Brasil. Segundo a coordenadora do Departamento de Imunização da Secretaria de Saúde de Barra Mansa, Marlene Fialho, o cenário epidemiológico do Estado do Rio de Janeiro é preocupante, daí a importância da vacinação.

– Entre janeiro de 2019 e os dias atuais foram registrados 371 casos da doença. A situação é preocupante não somente pelo quantitativo de sarampo registrado nos últimos 12 meses, mas também pela possibilidade de 10 mil novos casos – destacou Marlene.

A imunização é a única forma de prevenção. A campanha, denominada ‘Rio sem Sarampo’ segue até o dia 13 de março e terá dois dias Ds de combate à doença, em 1 º de fevereiro e 7 de março. O sarampo é uma doença grave e o contágio ocorre pela respiração. Assim, a tosse, o espirro e a simples ato de falar podem contaminar outras pessoas. Se não detectada e tratada em tempo hábil pode ocasionar a morte do paciente.

Sintomas

Entre os sintomas da doença estão mal-estar geral, febre acima dos 40 graus e manchas vermelhas pelo corpo. Dois ou três dias depois do início dos sintomas formam-se no interior da boca pequenos pontos brancos, denominados sinais de Koplik. Entre três a cinco dias depois do início dos sintomas aparece uma mancha vermelha e plana que geralmente tem início na face e daí se espalha para o resto do corpo.

Os sintomas começam a se manifestar entre dez e doze dias depois do contágio e duram entre sete a dez dias. Em cerca de 30% dos casos ocorrem complicações, as quais podem incluir, entre outras, diarreia, cegueira, inflamação do cérebro e pneumonia.

A vacina é contra indicada a pessoas com suspeita de sarampo, com a imunidade comprometida, gestantes e crianças com menos de seis de vida.

Alérgicos a proteínas do leite de vaca devem informar a condição ao profissional de saúde no posto de vacinação para que recebam a dose feita sem esse componente. É preciso apresentar a caderneta de vacinação no posto de saúde para a atualização do esquema vacinal.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document