sábado, 20 de abril de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Cães a gatos soltos serão apreendidos

Cães a gatos soltos serão apreendidos

Matéria publicada em 1 de fevereiro de 2019, 19:28 horas

 


Em apenas uma semana, nove animais foram apreendidos, a maioria deles no Centro da cidade

Quatis – Desde a sexta-feira passada, dia 25 de janeiro, nove animais de pequeno foram apreendidos nas vias públicas de Quatis pela Secretaria Municipal de Saúde, sendo seis cachorros e três gatos. O balanço foi divulgado pelo Serviço de Vigilância Sanitária e Ambiental do Município como um dos resultados das ações iniciadas em janeiro com o objetivo de diminuir os transtornos causados à população por cães e gatos soltos pelas ruas da cidade.

A maioria das apreensões ocorreu no Centro da cidade, mas houve um registro também no bairro São Benedito, onde um homem foi mordido no ano passado por um cão e acabou sofrendo uma queda ao chão. A atuação mais intensa dos agentes do Serviço Municipal de Vigilância Sanitária e Ambiental no enfrentamento do problema se tornou possível recentemente com a assinatura de um contrato entre a Prefeitura de Quatis e o CIRAC (Centro Integrado de Recolhimento, Assistência e Controle de Animais), que se localiza no distrito de Bulhões (Porto Real). Para este local, vão ser levados todos os cães e gatos apreendidos na cidade, onde os animais receberão os cuidados necessários, poderão ser resgatados pelos proprietários ou até mesmo serem encaminhados para adoção. Até a assinatura deste contrato, não havia um local para abrigar os animais apreendidos nas ruas de Quatis.

Segundo a coordenadora do Serviço de Vigilância Sanitária e Ambiental, Marta Maria da Silva Pires, o setor tem recebido pelo menos oito reclamações por semana relacionadas a transtornos causados por cães e gastos soltos pelas vias públicas da cidade, “daí o reforço nas ações visando diminuir os transtornos provenientes deste problema”. Entre os animais apreendidos esta semana estavam cachorros que ficavam quase sempre na Praça dos Expedicionários, no Centro, e vinham sendo alvos de muitas reclamações por parte da população.

Pelo contrato da prefeitura com o CIRAC, caberá à instituição contratada, entre outros serviços, a captura, o alojamento, a identificação dos animais e o controle sanitário. A retirada dos cães e gatos apreendidos pelos seus respectivos proprietários poderá ser realizada até sete dias após a apreensão, mediante o pagamento de multa e taxa diária de permanência no alojamento. Em valores atuais, a taxa diária está fixada em R$ 30,55.

A coordenadora do Serviço de Vigilância Sanitária do Município destaca ainda a importância de os proprietários dos animais mantê-los presos, em suas respectivas residências, “evitando dessa maneira as apreensões e os problemas que eles possam causar à segurança e à saúde da população nas vias públicas”. A legislação municipal estabelece que os vigilantes sanitários poderão advertir, multar, intimar e notificar os donos que deixam os seus animais abandonados pelas ruas.

– O ideal seria que não houvesse a necessidade de apreensão dos animais. Mas eles causam inúmeros problemas quando ficam soltos pelas ruas, motivo pelo qual precisamos adotar essa medida, prevista em lei. É preciso ressaltar que este problema pode causar danos irreparáveis à saúde pública, por exemplo, principalmente quando ainda não foram vacinados. O cão não cuidado de forma adequada pelo seu dono está sujeito a contrair raiva animal e transmitir a doença ao ser humano através da mordedura. Não devemos nos esquecer de que a raiva pode ser fatal, ou seja, ela pode levar tanto o animal quanto o ser humano ao óbito – disse Marta.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Espero q volta redonda faça o mesmo cheio de gatos soltos no bairro São João. .

Untitled Document