quarta-feira, 28 de outubro de 2020 - 16:33 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Campanha da fraternidade foca no saneamento básico e na saúde

Campanha da fraternidade foca no saneamento básico e na saúde

Matéria publicada em 10 de fevereiro de 2016, 19:16 horas

 


Objetivo da campanha é colocar em discussão o saneamento básico e suas periculosidades

Coletiva CFE2016 red

Encontro na Cúria Diocesana de Volta Redonda lança campanha da fraternidade deste ano
(Foto: Divulgação Cúria)

Volta Redonda – A Cúria Diocesana de Volta Redonda e Barra do Piraí concedeu ontem uma entrevista coletiva para lançar a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 na região Sul Fluminense. Com o tema “Casa comum, nossa responsabilidade”, o encontro contou com a presença do bispo, dom Francisco Biasin, da vice-presidente do Comitê de Bacia do Médio Paraíba, Vera Lúcia Teixeira, dos padres Juarez Sampaio e José Vidal de Amorim e da representante do Conselho Municipal de Saúde, Luzia Quintino.
O objetivo da campanha é colocar em discussão o saneamento básico e suas periculosidades. O bispo frisou a necessidade em dar mais importância para esse tema.
– A campanha da fraternidade desse ano tem um foco muito relevante: o saneamento básico.  É preciso entender que saneamento básico vai além de tratamento de esgoto.  Em primeiro lugar, trata-se de garantir abastecimento de água para todos. Em segundo lugar, atentar para os cuidados necessários das aguas pluviais. Em terceiro lugar, cobrar um tratamento de água mais eficiente. Em quarto lugar, orientar e cobrar os cidadãos e autoridades sobre o manejo dos resíduos sólidos que também degradam o meio ambiente – comentou Dom Francisco.
Ainda de acordo com o bispo, aproximadamente metade da população brasileira não tem saneamento básico. São 100 milhões de pessoas que não possuem esse direito que está na Constituição Federal.
-É por isso que o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic) realiza projetos que ajudam pessoas carentes em áreas pobres, incentivando a criação de iniciativas populares para dar dignidade a trabalhadores rurais, indígenas, quilombolas e outros grupos que não recebem atenção das autoridades. Por tanto ao longo dessas quatro campanhas da fraternidade, passos significativos foram dados no Brasil. Sobretudo em áreas mais carentes – Completou o Bispo.
A vice-presidente do Comitê de Bacias Hidrográficas do Médio Paraíba, Vera Lúcia Teixeira, aproveitou o encontro para comparar o aumento da população com a diminuição da eficácia do tratamento de água.
– Em 2015 nós tivemos a pior seca que o Rio Paraíba já sofreu, ultrapassando a que aconteceu em 1955. Antigamente havia menos habitantes e fábricas na região. Com o aumento da população vem o aumento do acúmulo de resíduos no rio. Por consequência, as estações de tratamento precisam utilizar mais produtos químicos para realizar o tratamento. Além disso, o nível do rio vem diminuindo ao longo dos anos, aumentando a concentração de resíduos – Explicou Vera.
De acordo com o padre Juarez, que também participou do encontro, Volta Redonda trata apenas 40% do esgoto que produz. O restante vai para o Rio Paraíba sem passar por nenhum tratamento.
A assessoria de imprensa da Cúria informou que a missa de lançamento da Campanha da Fraternidade deste ano será realizada na Ilha São João, em Volta Redonda, no próximo domingo (14), às 9 horas.
Campanha ecumênica
A primeira campanha da fraternidade ecumênica foi realizada em 2000, com o tema Dignidade Humana e Paz e lema “Novo milênio sem exclusões”. A segunda, em 2005, teve como tema Solidariedade e Paz e lema “Felizes os que promovem a paz”. A campanha de 2010 tratou de Economia e Vida, a partir do lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Chegou a hora de mandar menos dinheiro para o Vaticano e investir
    um pouco no social do Brasil.
    A Católica também faz para dos 22,5 bilhões de reais arrecadados no
    Brasil em 2015 sem pagar um centavo de imposto.
    Envio de receitas 0800 para outro país.
    Isso pode, Arnaldo?

  2. Avatar

    Lurdes, Marcos e Verdade. Cuidado com as colocações que fazem. Intolerância religiosa é crime. Não falem daquilo que não conhecem. Chamar quem quer seja de mercenário é uma acusação muito grave. Procurem se informar melhor antes de sair por aí falando besteira.

    • Avatar

      O Marcos, perdôo seu pouco discernimento. Mas deixo claro que não cometi nenhuma intolerância religiosa, até porquê sou católica. Reafirmo que a Campanha da Fraternidade e uma inutidade cara
      A minha Igreja hoje não faz nada e isso não passa de jogo de mídia.

  3. Avatar

    concordo plenamente com a Lurdes Tenório,reunião pra se tomar cafézinho,menos de um mês e ninguém fala mais em campanha da fraternidade.

  4. Avatar

    Campanha da fraternidade para que? O que o bispo atual menos sabe e fraternidade. Ele so sabe sobre dinheiro. E o bispo mais mercenÁrio que volta redonda ja teve. Igual ao Dom Waldir que era do povo jamais vr tera outro.

  5. Avatar

    Qual a finalidade da Campanha da Fraternidade além do blá blá blá das reuniões que nada resolvem??? Com todo respeito.

Untitled Document