terça-feira, 19 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Captação de órgãos e tecidos é realizada no Hospital de Emergência em Resende

Captação de órgãos e tecidos é realizada no Hospital de Emergência em Resende

Matéria publicada em 8 de novembro de 2019, 18:01 horas

 


Os órgãos foram transportados por uma ambulância até os seus receptores
(Foto: Carina Rocha- Secom PMR)

Resende- O Hospital Municipal de Emergência (HME) Henrique Sérgio Gregori foi palco de captação de órgãos e tecidos para transplantes no Estado do Rio de Janeiro, na quarta-feira (06). O procedimento de alta complexidade foi realizado em uma pessoa do sexo masculino, pelas equipes médicas do HME e do Programa Estadual de Transplantes (PET) da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. A cirurgia durou aproximadamente duas horas e meia, na sala cirúrgica da unidade localizada no bairro Jardim Jalisco. A intervenção, que ocorreu após constatação de morte encefálica, pode ajudar até cinco vidas, com a doação de dois rins, duas córneas e um fígado.

Após a cirurgia, os órgãos foram transportados por via terrestre até os seus receptores, que são pacientes que têm seus nomes mantidos sob sigilo. Os órgãos doados seguem para pacientes que necessitam de transplantes e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT).

Os casos de captação de órgãos ocorrem quando há morte encefálica, e envolvem diversos processos para serem bem-sucedidos. Entre janeiro e setembro deste ano, o PET do Rio contabilizou apenas 38 captações de órgãos na região Sul Fluminense, além de Paracambi, na Região Metropolitana do Rio. Já o ‘transplante intervivos’ é uma modalidade em que permite, por exemplo, a retirada de uma parte do fígado de pessoas perfeitamente sadias para doá-la ao paciente acometido por alguma doença neste órgão.

O prefeito Diogo Balieiro Diniz destacou que doar órgão é um ato nobre que pode salvar vidas, lembrando que sua captação é um procedimento que requer uma série de cuidados.

– O transplante de órgãos pode ser a única esperança de vida ou a chance de um recomeço para pessoas que precisam de doação. Doar órgãos é doar vidas. O transplante de órgãos é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um órgão ou tecido de uma pessoa doente por outro órgão ou tecido normal de um doador, vivo ou morto. O procedimento realizado no Hospital de Emergência de Resende é notório devido à complexidade, mostrando mais uma vez que a unidade é bem preparada e possui equipamentos modernos capazes de agilizar todo o processo. Foram captados dois rins, duas córneas e um fígado. Para se ter uma ideia, existe o tempo de isquemia que é o intervalo aceitável de retirada de um órgão e transplante deste em outra pessoa. No caso do fígado, 48 horas, enquanto para o rim são apenas 12 horas de espera. Por isso, a unidade deve estar pronta para comunicar e efetivar casos de captação. O HME, que passa por uma grande reforma por meio do Programa ‘Revitaliza Resende’, contabiliza uma média de 100 cirurgias de diversos tipos por mês. O processo de modernização ainda inclui a aquisição de vários equipamentos médicos, capacitação de profissionais e outras melhorias – reforçou.

O Hospital Municipal de Emergência, inaugurado em 1994, é referência em casos de emergência no Sul do Estado do Rio, tendo em média nove mil atendimentos mensalmente.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document