quarta-feira, 19 de janeiro de 2022 - 01:12 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Católicos vivenciam a Quaresma na região com ritos e costumes

Católicos vivenciam a Quaresma na região com ritos e costumes

Matéria publicada em 11 de março de 2017, 17:05 horas

 


Jejum, orações e ajuda aos mais pobres caracterizam período que termina no Sábado de Aleluia

Volta Redonda – A Quaresma ou Tempo Quaresmal tem para os Católicos um significado todo especial. Trata-se de um período usado na preparação para a Páscoa, que começa na Quarta-feira de Cinzas, que este ano caiu no dia 01 de março, e termina no Sábado Santo ou de Aleluia, anterior ao Domingo de Páscoa, totalizando 46 dias.

Na opinião do Padre Vanderley Alves Pereira, Pároco da Igreja Santa Cecília, na Vila, a Quaresma é um período onde a Igreja se prepara para viver mais profundamente o Mistério Pascal, que é a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Neste período, segundo Vanderley, tem início na cerimônia da imposição das cinzas na Quarta Feira de Cinzas.

– As cinzas significam o desejo de conversão e o propósito de adesão ao projeto de Jesus. Já o período da Quaresma, como é um período de reflexão, se caracteriza no jejum, na oração e na ajuda aos pobres. E isso tudo para ajudar o cristão na conversão, que é voltar o coração para Deus – diz.

Durante as missas neste período quaresmal, os padres se vestem da cor roxa e durante as celebrações não se canta o hino de Louvor e o de Aleluia. De acordo com Vanderley, isso fica reservado para o dia da Páscoa.

– Todo fiel cristão é convidado neste período à prática do jejum, principalmente na quarta feira de cinzas e na Sexta Feira da Paixão. O Papa Francisco comentou que jejuar significa também ajudar os pobres e também para se libertar de algo que se prende para o cristão dar espeço ao espírito. O jejum é usado também para fazer algo de bem ao próximo. A questão da carne é que é muito comum o consumo deste tipo de alimento e deixando de comê-lo o fiel está deixando de consumir algo que ele goste muito. Esta abstinência também pode ser de chocolate ou do cigarro ou algo que ele é muito dependente – orienta.

Em muitos casos, afirma o padre, este jejum tem o propósito de mudança de vida para melhor se preparar para a Páscoa.  Já a confissão é um sacramento da Igreja em qualquer tempo é não é uma imposição. Mas neste período da Quaresma a confissão tem um papel destacado para ajudar no processo de conversão, além de ser uma experiência da misericórdia de Deus.

Revisão de suas vidas

Para a católica Sandra Carlito, que faz parte do grupo de oração Nova aliança do Senhor, da Igreja Bom Jesus, no Bairro Retiro, a Quaresma é um tempo em que os Cristãos aproveitam para fazer uma revisão de suas vidas.

– A Quaresma nos convida para um processo de conversão diária, mudança de vida e forma de pensar. E este tempo a meu ver se divide em três dimensões, o jejum, a oração e a esmola. Além de fazer o jejum e a oração, o cristão deve reverter este tempo quaresmal em benefício de alguém, ajudando o próximo senão se torna uma oração vazia. Ajudando pessoas necessitadas através de uma doação de alimentos, roupas ou até mesmo ouvi-las e dando-lhe um pouco de atenção, um abraço – sugere.

Com relação ao jejum, Sandra afirma que a Igreja pede aos católicos que durante a Quarta Feira de Cinzas e Sexta Feira da Paixão se abstêm de carne.

– Cada pessoa tem que avaliar de que forma pode realizar este jejum, que também pode ser feito se privando de algo que goste muito como tomar refrigerante, fumar, beber cerveja ou comer chocolate. Este penitência tem como objetivo fortalecer o seu domínio próprio e o seu crescimento na espiritualidade – comenta.

Nas missas durante este tempo quaresmal, explica Sandra, os fieis são preparados para a celebração da ressureição do Senhor e durante as missas os católicos através das liturgias são lembrados sobre este período que antecede a ressurreição.

Segundo Sandra, neste período da Quaresma é muito importante a confissão, mas não é imposta pela Igreja, ela apenas oferece a oportunidade dos fieis se confessarem através dos mutirões de confissões nas igrejas, onde eles geralmente são chamados durante as celebrações.

Campanha da Fraternidade de 2017

Com o tema “Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida” e o lema: “Cultivar e Guardar a Criação (Gn 2,15)”, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abriu na Quarta-feira de Cinzas (1º) a Campanha da Fraternidade 2017.

Em Volta Redonda, a diocese de Barra do Piraí–Volta Redonda fez a abertura oficial da Campanha através de uma coletiva de imprensa no auditório da Cúria Diocesana, na Vila Santa Cecília. Segundo o Bispo Diocesano, Dom Francisco Biasin, o objetivo da ação é dar ênfase à diversidade de cada bioma brasileiro, promover relações respeitosas com a vida, o meio ambiente e a cultura dos povos que vivem nesses biomas.

Na manhã do último domingo, dia 05, foi a vez de o bispo dom Francisco lançar oficialmente a Campanha da Fraternidade de 2017 na Região Pastoral de Resende. Durante um ato público no Parque das Águas foi realizada uma breve reflexão sobre a CF 2017.

Na ocasião, os padres acompanhados de crianças das paróquias realizaram o plantio de mudas para simbolizar a importância de preservar e recuperar a Mata Atlântica. Outro gesto concreto foi a leitura e assinatura de uma carta por dom Francisco e padres da região a ser entregue aos secretários de meio ambiente dos municípios de Resende e Itatiaia. O conteúdo da carta destaca principalmente a urgência da criação do Plano de Saneamento Básico, gerenciamento dos resíduos sólidos e a conservação da mata ciliar das margens do Rio Paraíba do Sul e afluentes.

 

Por Júlio Amaral


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document