>
quinta-feira, 7 de julho de 2022 - 03:53 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Comerciante de Volta Redonda afirma que ‘nem todo muçulmano é terrorista’

Comerciante de Volta Redonda afirma que ‘nem todo muçulmano é terrorista’

Matéria publicada em 22 de novembro de 2015, 08:31 horas

 


Descendente de libanês diz que mundo sabe pouco sobre o islamismo e que verdade sobre a religião ainda será amplamente conhecida

muculmano

Baxir Omar acredita no crescimento do islamismo, mesmo com frequentes ataques terroristas

Volta Redonda – Com os atentados de Paris, há pouco mais de uma semana, mais uma vez, os olhares do mundo se voltam para a religião islâmica. Nas redes sociais, os debates são marcados por opiniões inflamadas sobre culpados e justificativas para os ataques, que deixaram mais de 129 mortos e 352 feridos na capital francesa.

O comerciante Baxir Omar El Ghazzaoui, de Volta Redonda, é descendente de libaneses. Muçulmano praticante da religião, ele defende que ataques violentos são ruins quando ocorrem na Europa, mas também quando acontecem no Oriente Médio. Ele explica que o islamismo prega a vingança contra um inimigo, se este o atacar primeiro.
– No Alcorão diz: “Que Deus te autorize a vingança, mas é melhor não fazê-lo”. Isso quer dizer que cada um sabe o que tem no coração, mas todos serão julgados por Deus. O tempo de Deus é mais lento do que o nosso, mas o julgamento acontece – ressaltou.
Para o comerciante, a mídia, muitas vezes, é tendenciosa e a palavra “terrorista” acaba sendo usada de maneira generalizada. Ele afirma que o mundo ainda sabe pouco sobre o islamismo e que a verdade sobre a religião ainda será amplamente conhecida.
– Os frequentes ataques na Síria e no Iraque acabam motivando ataques como esses na França. Por que chamar sempre o nosso povo de terrorista? Os Estados Unidos, por exemplo, investem milhares de dólares em bombas e armas. Se esses valores fossem convertidos em alimentação, educação, e não em guerra, a situação seria bem diferente – opinou.
Baxir conta que, atualmente, o povo muçulmano vem enfrentando dificuldades não só na Europa, mas também em países como China e Rússia. Apesar disso, ele acredita que, independentemente da “propaganda negativa”, o islamismo se mantém forte e em pleno crescimento.
– Recebo frequentemente mensagens de pessoas interessadas em converter ao islamismo. E a maioria é brasileira, sem ter qualquer ligação com a religião. Está escrito no Alcorão: “Chegará um tempo em que as pessoas vão entrar na religião em bandadas”. Eu acredito que esse tempo está chegando – afirmou.
Ele acredita que, mesmo que a migração seja fortemente motivada pelos conflitos no Oriente Médio, a presença do islamismo em todos os países também reflete a profecia.
– Eu acabei me tornando uma espécie de orientador sobre a religião. As pessoas acabam me encontrando com interesse em conhecer, saber mais sobre o assunto. Busco colocá-las em contato umas com as outras para difundir esses conhecimentos. Esse crescimento do islamismo faz parte dos planos de Deus – completou.

Por Clarissa Coli

(Especial para o DIÁRIO DO VALE)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Procuro argumentos contra os fatos…Na prática 95% dos muçulmanos pacíficos não se pronunciam e nem fazem a diferença contra os 5% de extremistas. Não se veem grandes líderes de países muçulmanos repudiando abertamente nem tomando medidas para coibir estas ações.
    Em quase toda totalidade dos países de maioria muçulmana é PROIBIDO alguém professar alguma fé publicamente que seja diferente ao Islã. Os muçulmanos que vivem em países democráticos do ocidente tem maior liberdade e tranquilidade do que nos países com governo Islâmico.

  2. Êta, acho que em vez de queimado vc seria empalado no estilo “Vlad Tepes” numa daquelas hastes, como se fosse uma bandeira municipal, enquanto o prefeito e seu secretariado se banqueteariam enquanto assistiriam ao triste espetáculo…

  3. Eu acredito que existam sim muçulmanos pacíficos, aqueles mais inteligentes, ponderados e em boa situação financeira, que prezam a vida, mas não creio que a religião seja de paz e pregue a convivência harmônica com o diferente. Não vi nenhuma manifestação popular de repúdio à barbárie acontecer nos países muçulmanos. Pelo contrário, vi atos de apoio e incitação à violência… Os muçulmanos, quando não participam ativamente da guerra santa, se omitem…

    Se vc vê a atrocidade e se cala, diz que não tem nada com isso, vc é conivente…

  4. Interessante falarem que Deus é vingativo. Se fosse assim Ele não poderia ser considerado Deus.

    O POVINHO faz todo tipo de maldade se afastando de Deus depois entram em fria e querem jogar a culpa em Deus.

    Deus nos deu os 10 mandamentos (10 orientações sociais de melhor modo de vida). Aceita quem quer. Quem não quer vai ver o sol nascer quadrado.

    Uma piada antiga diz que o padre ensina a justiça e o delegado cobra a transgressão dessa justiça. Ou seja um dos 10 mandamentos diz “Não matar” – o semelhante -, sendo assim o delegado te cobra por que Vc “matou o semelhante.

  5. Acabem com as religiões e o mundo terá paz. Deus é contra as religiões, não foi ele que as inventou.

  6. Religião cada um tem a sua , respeite a dos outros e inclusive dos que não tem religião.
    Oração é orar e agir.
    As ações são mais importantes que qualquer religião.
    Pois através das ações se pratica o bem.
    Não adianta orar se não praticar.
    Conheço pessoas de diversas religiões que só vão a igreja para pedir e acham que podem fazer o que quiserem durante a semana que indo no final de semana tudo será perdoado.

  7. Amiguinho, apareça com uma Bíblia lá em Beirute pra ver o que acontece. Maomé tratava os “infiéis” no fio da espada.

    • Coxinha de cidade-operária

      A Igreja catolica mandava as, assim chamadas, “bruxas” para a fogueira…

    • As bruxas eram os opositores dos reis da época. Como os reis governavam com a ajuda da igreja católica, está em nome de Deus queimava os opositores.

      Se fosse hoje e os bispos, padres e pastores atuais tivessem um gabinete na PMVR, certamente eu o ÊTA POVINHO que denuncia o prefeito corrupto seria considerado herege e com certeza absoluta seria encontrado e queimado na praça da prefeitura com a ajuda dos 95 mil eleitores corruptos de VR.

      Hoje é só um pouquinho diferente daquela época. Os padres, pastores e bispos recebem títulos de cidadão voltaredondense para pedir votos para os politiqueiros de plantão.

    • Em Beirute talvez nada aconteça. No Líbano quase metade da população é cristã e o país é democrático, diferente dos outros da região…

Untitled Document