segunda-feira, 3 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Conferência Municipal elege novo conselho em Volta Redonda

Conferência Municipal elege novo conselho em Volta Redonda

Matéria publicada em 29 de junho de 2015, 19:40 horas

 


Evento durou três dias e definiu propostas de melhoria do setor em Volta Redonda; diversos grupos da sociedade participaram

Volta Redonda –  A 10ª Conferência Municipal de Saúde de Volta Redonda, realizada pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e Conselho Municipal de Saúde, terminou com saldo positivo. Durante o evento, realizado entre sexta-feira e domingo, 207 propostas visando fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) foram aprovadas. Além disso, houve a eleição da nova composição do Conselho Municipal de Saúde para o próximo mandato.

As entidades eleitas como titulares para o segmento usuário foram o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Montagem e Construção Pesada do Sul Fluminense; Igreja Metodista; Pastoral da Criança; Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI); Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense; Diocese de Barra do Piraí/Pastoral da Saúde; Associação de Moradores de Santo Agostinho; Federação das Associações de Moradores (FAM); Sindicato dos Metalúrgicos; Instituto de Desenvolvimento de Ação Comunitária (IDEAC); Rotary Club e Fórum Popular de Saúde.

Para representar os trabalhadores de saúde foram eleitas somente duas entidades: o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito) e a Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn).

– Como não houve inscrição de entidade para garantir a paridade de representação deste segmento, iremos convocar uma nova plenária em 30 dias para completar a composição – informou a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Luzia Quintino.

A representação do segmento do gestor e prestador de serviços de saúde ficou constituída com duas vagas para a Secretaria Municipal de Saúde e as demais distribuídas para o Hospital São João Batista, Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Físicos (Apadefi), Instituto de Desenvolvimento, Estudo, Ações e Implementações Sociais (Ideais) e UniFOA.

– Temos um Conselho para este novo mandato com a participação de novas entidades que se mobilizaram e entenderam a necessidade de garantirmos um controle social cada vez mais forte e a defesa do SUS no município – ressaltou Luzia Quintino.

No evento também foram eleitos a delegação municipal que representará a cidade na VII Conferência Estadual de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, composta por 12 delegados, sendo seis do segmento usuários, três dos trabalhadores e três do gestor/prestador.

 Melhorias na saúde

Já em relação às propostas aprovadas, elas são voltadas as áreas de assistência à saúde, financiamento, participação popular, gestão do cuidado, valorização do trabalho e educação em saúde, irão integrar o Plano Municipal de Saúde, em vigor até o ano de 2017.

A 10ª Conferência Municipal de Saúde ainda referendou duas Moções de Repúdio – uma contra a PEC 451/2014, que propõe mudanças na constituição, descaracterizando o direito universal a saúde como dever do estado, e outra contra o projeto de Redução da Maioridade Penal – mais uma Moção de Aplauso aos defensores do SUS em Volta Redonda, e uma Moção de Apoio ao Projeto 2295/2000, que regulamenta a jornada de trabalho dos profissionais de enfermagem.

– As propostas aprovadas na Conferência Municipal de âmbito estadual e nacional serão encaminhadas para apreciação nas devidas conferências – explicou a secretária municipal de Saúde, Marta Magalhães.

Ela considerou a 10ª Conferência um êxito, principalmente pela participação expressiva da comunidade.

– Atingimos a marca de 500 credenciamentos, conseguindo cumprir a meta de mobilizar a sociedade para discutir sobre políticas de saúde no município – destacou a secretária.

Outra deliberação foi a realização da XI Conferência Municipal de Saúde de Volta Redonda em 2017, não mais em 2019. A mudança foi aprovada com o objetivo de atender à Lei Complementar 141/2012, e acertar o calendário para que as Conferências de Saúde sejam realizadas em consonância com o ano de posse dos novos gestores municipais. O objetivo é contribuir para que as resoluções aprovadas nas conferências sejam viabilizadas no decorrer da gestão municipal em andamento.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Será que isso vai adiantar em alguma coisa? SQN 🙂

Untitled Document