Culinária alternativa é tema de curso na Fundação Beatriz Gama - Diário do Vale
sábado, 25 de setembro de 2021 - 20:53 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Culinária alternativa é tema de curso na Fundação Beatriz Gama

Culinária alternativa é tema de curso na Fundação Beatriz Gama

Matéria publicada em 9 de outubro de 2017, 18:33 horas

 


Volta Redonda – Com uma nova visão sobre reaproveitamento alimentar, a Fundação Beatriz Gama está realizando um curso de culinária alternativa, em sua sede no bairro Retiro. O objetivo é capacitar os alunos e fazer com que eles, através da reutilização de alimentos, possam ter uma nova renda.

– Estamos atuando em todas as frentes com o objetivo de gerar emprego e renda. O cuidado com a saúde alimentar, por meio da culinária alternativa, está em ascensão em todo o país. Oferecer um curso gratuito que possa ensinar as pessoas a trabalhar com esse segmento é investir na qualidade de vida, na geração de renda e pensar no futuro – afirmou o prefeito Samuca Silva, que incentiva o projeto.

Cerca de 10 alunos participam das aulas que acontecem às sextas-feiras na instituição. O curso de culinária alternativa tem chamado a atenção por ser um tema com bastante visibilidade nacional. Muita gente famosa assume que é adepta de dietas cujas receitas são advindas dessa culinária, que oferece brigadeiro de banana, doces sem açúcar e diversas guloseimas.

– O curso de culinária alternativa possibilita a pessoa gerar uma renda e, principalmente, reaproveitar os alimentos gerando economia doméstica e saúde. Cozinhar é uma arte e transformar esses alimentos comuns em outro alimento natural é proveitoso. Evitar o desperdício é um dos principais objetivos da culinária alternativa. O brasileiro desperdiça mais do que consome e isso é ruim para o meio ambiente, saúde e tantas outras coisas – disse a diretora presidente da Fundação Beatriz Gama, Cláudia Dornelas.

Para a nutricionista e aluna do curso, Vivian Arcanjo, o conhecimento adquirido nas aulas vai acrescentar profissionalmente. “Sempre gostei de cozinhar. Sou nutricionista e esse curso só tem a somar em coisas que já conhecia. Ele é muito importante para ensinar o reaproveitamento dos alimentos de forma saudável, principalmente para pessoas mais simples e com pouca renda”, disse Vivian.

Higienizar os alimentos é uma das mais importantes lições do curso. Lavar de forma adequada os talos de couve, cascas de banana e outras frutas e transformar em um alimento de qualidade surpreende até os próprios alunos. Vitor Moreira, de 19 anos, empolgou-se com o curso e começa a ver os resultados.

– Já fiz alguns cursos da fundação, porque detesto não ter nada para fazer, e buscar conhecimento é muito bom. Comecei fazendo o curso de lanternagem e agora estou nesse de culinária alternativa. Fiquei surpreso de ver que tenho habilidade e feliz com os resultados. Não imaginava que dava para fazer tantas coisas com os restos dos alimentos. Já fiz algumas receitas em casa e minha família aprovou – contou Vitor.

Renda: Alunos aprendem a aproveitar os alimentos que iria, normalmente, para o lixo (Foto: Geraldo Gonçalves/Secom-VR)

Renda: Alunos aprendem a aproveitar os alimentos que iria, normalmente, para o lixo (Foto: Geraldo Gonçalves/Secom-VR)

Dia Mundial da Alimentação

Na última sexta-feira (6) o curso de culinária alternativa realizou uma aula especial para o Conselho de Alimentação Escolar (CAE). O objetivo foi passar as informações sobre o reaproveitamento de alimentos que iriam para o lixo. De acordo com a presidente, Cleia Camilo, esse encontro faz parte da comemoração do Dia Mundial da Alimentação, comemorado em 16 de outubro.

– Nós viemos aqui para adquirir conhecimento sobre o assunto e passar as informações aos alunos. Acabamos descobrindo que a casca da melancia pode ser utilizada até em saladas. A casca da laranja pode ser aromatizante e tantas coisas mais – comentou Cleia.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document