quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ‘Defesa Civil nas escolas’: Projeto ensina estudantes como evitarem acidentes ambientais

‘Defesa Civil nas escolas’: Projeto ensina estudantes como evitarem acidentes ambientais

Matéria publicada em 5 de maio de 2018, 16:40 horas

 


Volta Redonda – A Coordenadoria de Defesa Civil está trabalhando com sete turmas de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de quatro escolas municipais – Fernando de Noronha, Maria Carraro, Othon Reis Fernandes, Otacilia da Silva de Mendonça, com o “Defesa Civil nas Escolas”. O projeto é baseado na campanha lançada pela ONU (Organização das Nações Unidas) de Cidades Mais Resilientes, que são cidades que se preparam contra ameaças de tragédias.
Os agentes levaram uma maquete de uma cidade construída na beira de encostas, no topo de barrancos e na beira de rio, para mostrar aos estudantes como é uma cidade insegura, construída de forma errada, em área de riscos. Esse é um trabalho que está sendo feito junto com a secretaria de Educação.
Outro brinquedo didático foi o jogo Riscolândia, onde se aprende como prevenir desastres, apontando soluções erradas e as decisões corretas de preservar a natureza, evitar corte de árvores, condenando construções em beira de rios e encostas, apontando os locais de fuga em casos de acidentes naturais e onde se proteger. Duas escolas foram visitadas na quarta-feira (02) e mais duas na quinta-feira (03). A previsão é que o curso seja de 15 em 15 dias, até o mês de setembro, com palestras e demonstrações.
O coordenador da Defesa Civil, Rafael Champion, explicou porque foram escolhidas as escolas da Vila Brasília. “Este projeto piloto está sendo feito nas escolas mais próximas das incidências naturais, estamos mostrando os riscos e as medidas de prevenção. Distribuímos um questionário para medir o que eles estão aprendendo e no final do curso, faremos outro questionário para analisar todo o aprendizado dos alunos do 5º ano. Estamos apresentando aos estudantes a realidade da Defesa Civil no dia a dia”, resumiu.
As crianças estão sendo preparadas para serem multiplicadores de opinião dentro dos lares. Com isso, segundo ele, os alunos passarão a entender melhor os riscos de acidentes naturais provocados por atitudes erradas dos adultos ou pais, como construções perigosas em locais irregulares, cortes de árvores, o perigo de jogar lixo em córregos e rios, o desperdício de água, entre outras coisas.
O prefeito Samuca Silva falou da importância de preparar as crianças, que vão ajudar os pais a agir contra acidentes.
– Estas crianças são multiplicadores de opinião dentro dos lares junto aos pais e serão formadas para serem agentes mirins da Defesa Civil. Queremos programar uma visita delas nas sedes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros – informou o prefeito.
O alunos do 5º ano da Escola Maria Carraro, Lucas Baldran, de 10 anos, disse o que aprendeu: “Eu sei que não pode cortar árvores porque faz mal a natureza. A gente tem que preservar”. Outra aluna, Sara de Souza, também de 10 anos, concluiu: “Não podemos construir casa na beira do rio, porque é muito perigoso”, disse.

Em sala: Projeto com base nas Cidades Resilientes da ONU traz jogo que orienta os alunos a construírem uma cidade segura (Foto: Secom)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document