sexta-feira, 3 de dezembro de 2021 - 04:27 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Defesa Civil retira pedras na Rio Santos, em Angra dos Reis

Defesa Civil retira pedras na Rio Santos, em Angra dos Reis

Matéria publicada em 22 de junho de 2015, 16:45 horas

 


pedra rio santos -Filipe carneiro (20)

Angra dos Reis – A Defesa Civil de Angra retirou nesta segunda-feira (22), quatro blocos de rocha que corriam o risco de desabar na rodovia Rio Santos, no bairro Pontal, na altura do quilômetro 487. A operação durou quase cinco horas e contou com o apoio do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e da Polícia Rodoviária Federal.

O primeiro bloco de rocha, identificado pela Defesa Civil, media quase 2 metros cúbicos, pesava mais de 4 toneladas e estava a quase 20 metros da pista. Para retirá-lo, a equipe usou a técnica de rapel para colocar um macaco hidráulico entre a pedra e o morro e então desprendê-la. Para a operação, foi necessário fechar a rodovia totalmente por alguns períodos e liberá-la em meia pista a cada intervalo da equipe.

– O nosso papel é o de resguardar as vidas que passam pela rodovia. Apesar de ser uma área de ingerência do Dnit, nós atuamos nessa operação para que a população não corresse risco algum ao passar por esse trecho da estrada. Além disso, temos expertise em rapel, técnica necessária para retirar o bloco de rocha que estava pendurado – frisou o secretário de Defesa Civil, Marco Oliveira.

Assim que a primeira pedra foi ao chão, os técnicos da instituição identificaram mais três blocos pendurados logo abaixo, que pesavam, no total, cerca de 10 toneladas. A retirada desses outros blocos foi mais rápida. Às 15h, a ação já estava chegando ao fim.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Isso é realmente importante. Que seja feita uma vistoria detalhada a respeito da iminencia de queda dessas rochas em toda a via. Que todas sejam retiradas para eliminar o risco aos motoristas, pois nao somente as que estao caindo merecem cuidados como as outras também, que podem vir a cair após uma intempérie.

Untitled Document