quinta-feira, 21 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Delegacia especializada intensifica monitoramento nas redes sociais

Delegacia especializada intensifica monitoramento nas redes sociais

Matéria publicada em 22 de outubro de 2016, 17:25 horas

 


Investigação: Delegacia foi pela necessidade de controlar os crimes de internet (Foto: Governo do Estado)

Investigação: Delegacia foi pela necessidade de controlar os crimes de internet (Foto: Governo do Estado)

Rio – À frente da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), a delegada-titular, Daniela Terra, tem atuado, juntamente com sua equipe, para punir os crimes de informática. A policial civil conversou com o D.O Notícias sobre o trabalho realizado na unidade, que tem um setor formado por técnicos especializados no tema e fica localizada na Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

 

D.O Notícias – Qual a finalidade da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática?

Daniela Terra – A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática foi criada justamente pela necessidade de controlar os crimes de internet. A tecnologia foi avançando, temos hoje as redes sociais, uma rede globalizada.

 

D.O Notícias – Quais os principais crimes notificados na delegacia?

Daniela – Os delitos mais comuns são os ofensas pelas redes sociais, sejam crimes contra a honra ou de injúria por preconceito (cor e credo). Infelizmente, também encontramos muitos casos de pedofilia. Há ainda casos de perfis falsos para conseguir fotos de crianças, além de fraudes e extorsões. Estes são os crimes mais notificados na delegacia.

 

D.O Notícias – Como se caracteriza o crime de extorsão?

Daniela – O crime de extorsão pela internet sempre ocorreu, mas atualmente houve um crescimento deste tipo de situação criminosa. Isso se deve porque hoje as pessoas têm mais acesso a estas plataformas de rede. A extorsão acontece quando alguém é chantageado e acaba dando dinheiro ou realizando alguma ação solicitada pelo criminoso. Por isso, é preciso ter muito cuidado na internet.

 

D.O Notícias – Nos últimos meses, temos visto uma série de notícias envolvendo artistas. Como você explica este fato?

Daniela – Muitos artistas têm sido alvos de haters. Os chamados haters são aquelas pessoas que se reúnem na internet e formam comunidades com o objetivo único de manter um discurso de ódio. Na grande maioria das vezes são menores de idade. Eles resolvem, por exemplo, atacar a funpage do artista X ou Y num determinado dia e horário. A ação destas pessoas acaba sendo propagada no ambiente virtual e traz muitos danos para as vítimas.

 

D.O Notícias – De que maneira a população pode se proteger?

Daniela – É preciso que as pessoas tomem cuidado nas redes sociais. Sempre digo que antes de se expor é preciso pensar nas consequências deste ato. Gosto de dar sempre um exemplo: quando você vai pegar um empréstimo no banco, a instituição pede seus documentos e averigua as informações relativas a você. Na internet, você não sabe quem está ali, se a pessoa produziu um perfil falso e se está falando a verdade.

 

D.O Notícias – Como é possível fazer denúncias?

Daniela – As denúncias podem ser encaminhadas para a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC). O órgão foi criado pela Polícia Civil para ampliar a comunicação entre a instituição e a sociedade, sendo possível fazer denúncias, sugestões, reclamações, elogios ou mesmo, tirar dúvidas. O serviço está disponível 24 horas e 7 dias por semana pelos telefones (21) 2334-8823 e (21) 2334-8835 e pelo chat https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.br/. A CAC faz o contato com as unidades e encaminha as denúncias.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    E as empresas ou pessoas que vendem produtos on-line via Internet e dão cano ?

Untitled Document