>
segunda-feira, 4 de julho de 2022 - 03:29 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Dia Mundial Sem Tabaco é lembrado em Barra Mansa

Dia Mundial Sem Tabaco é lembrado em Barra Mansa

Matéria publicada em 31 de maio de 2017, 16:05 horas

 


Na Praça da Liberdade: Houve aferição de pressão, orientações nutricionais, além da distribuição de informativos (Foto: Paulo Dimas/Ascom PMBM)

Na Praça da Liberdade: Houve aferição de pressão, orientações nutricionais, além da distribuição de informativos (Foto: Paulo Dimas/Ascom PMBM)

Barra Mansa – O Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado nesta quarta-feira, dia 31, foi marcado por atividades. A secretaria de Saúde, através do Programa de Doenças Cônicas não Transmissíveis, realizou ações na Praça da Liberdade, no Centro. Houve aferição de pressão, orientações nutricionais, além da distribuição de folders sobre os malefícios do cigarro. A ação contou com a participação de estagiários do curso de Nutrição do UBM – Centro Universitário de Barra Mansa – e técnicos de Enfermagem do Colégio Bom Pastor, que fizeram atendimentos à população.

A coordenadora de Doenças Crônicas Não Transmissíveis de Barra Mansa, Marina Monteiro, explicou que o município oferece à população, tratamento gratuito contra o fumo, com enfermeiros, psicólogos e pneumologistas. Os atendimentos são diários para a realização de testes. Cada paciente é avaliado e direcionado ao melhor grupo de trabalho.

– Atendemos, hoje, 70 pacientes. As reuniões são em horários acessíveis a todos, mesmo quem trabalha consegue fazer o tratamento. Os encontros oferecem contato com os profissionais, para que tenham todo apoio para enfrentar esse problema – destacou Marina Monteiro.

Além de mostrar os malefícios à saúde, o tratamento aborda também o gasto que o paciente tem com o cigarro durante a semana, o mês e o ano, e faz um demonstrativo do que ele poderia comprar com aquele dinheiro.

– Às vezes as pessoas gastam com cigarro no ano, o valor que comprariam um carro – afirmou.

O Programa de Doenças Cônicas não Transmissíveis fica na Rua Santos Dumont, nº 155, Centro. Os atendimentos são diários, das 8h às 17h.

Mulheres são maioria no combate ao fumo em Volta Redonda

Das cinco mil pessoas inscritas no programa de Controle ao Tabagismo e outros Fatores de Risco em Volta Redonda, 70% são mulheres. O dado chama a atenção e causa preocupação, principalmente daquelas que fazem uso de anticoncepcionais, já que o tabagismo associado à dose de hormônio pode provocar complicações.

– Elas procuram tratamento para não adoecer por terem maior risco com os problemas de trombose. O homem quando entra no grupo geralmente logo sai, infelizmente, talvez por ser mais radical. Já a mulher é um pouco mais persistente. Coisas da personalidade, relacionadas a preservação da vida e preocupação com os filhos – comentou a coordenadora do programa no município, Ana Lúcia Peixoto Quaresma.

O tratamento contra o tabagismo é oferecido nas unidades básicas de Saúde e de Saúde da Família de Volta Redonda, além do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda), no bairro Aterrado. Os interessados devem procurar a unidade mais próxima, levar identidade, comprovante de residência e cartão SUS (Sistema Único de Saúde). O usuário passa por um teste, que discrimina o grau de dependência psicológica, comportamental ou física.

Depois, a pessoa é inserida em um grupo cognitivo comportamental, onde deverá frequentar reuniões por cinco semanas.

– A pessoa será acompanhada de um médico especialista, onde irá passar para a fase de manutenção, que dura um ano. Nesse período, o paciente frequenta a unidade nos primeiros dois meses de 15 em 15 dias e depois uma vez ao mês. Mas nada impede de que ela vá mais vezes – ressaltou Ana Lúcia.

No Brasil, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, 23 pessoas morrem por hora por conta do tabaco.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document