quarta-feira, 15 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Doadores ajudam a melhorar estoques de hemonúcleos na região

Doadores ajudam a melhorar estoques de hemonúcleos na região

Matéria publicada em 26 de novembro de 2015, 09:10 horas

 


Campanha tem a finalidade de estimular doação de sangue em bancos de toda a região

DOACAO DE SANGUE NO VITA  (13)

Solidariedade: Doadores ajudaram a aumentar estoque de sangue em bancos da região
(Foto: Melissa Carísio)

Sul Fluminense- Os hemocentros da região Sul Fluminense lembraram a Semana Nacional do Doador de Sangue. Diversos locais fizeram uma programação diferenciada para que pudessem captar mais doadores e, assim, aumentar o estoque dos bancos. A divulgação de alguns hemonúcleos começou desde o início da semana. Outros trabalharam com horários diferenciados.

De acordo com os principais responsáveis dos bancos de sangue da região, as doações superaram as expectativas. Em Volta Redonda, no Hospital Vita, o hematologista Luiz Gonzaga Lula explicou que o local ficou aberto até mais tarde para que os interessados pudessem fazer as doações, já que os estoques estavam baixos.

– Diferentemente de outros países, que tem números de doadores expressivos, aqui, o brasileiro não tem o hábito de doar sangue. Exceto quando o faz por algum amigo ou familiar. Essa prática precisa ser mais frequente – opinou.

O hemonúcleo do Hospital Vita Volta Redonda existe desde setembro de 1997 e, ao longo de todo este tempo, passaram pelo local mais de 81 mil pessoas. Assim que o doador chega ao local, ele faz um cadastro e seu nome fica registrado no sistema, o que faz com que o hemonúcleo tenha um controle das doações são feitas diariamente.

– Assim que chega aqui, o doador faz um cadastro e depois passa por um processo de triagem, respondendo mais de 30 perguntas de caráter privado que foram elaboradas por pessoas capacitadas – explicou Lula. O ideal é que os homens façam cerca de quatro doações por ano, enquanto as mulheres podem fazer até três.

O Hospital Vita também abastece outros hemonúcleos, como o Hospital Hinja, o São Camilo, o Hospital São João Batista, todos em Volta Redonda. O Santa Maria, em Barra Mansa, e também o Hospital Escola Luiz Giosef Jannuzzi, em Valença. Por causa da demanda, Lula faz um apelo para que as pessoas continuem doando.

– A nossa expectativa é grande. Vamos continuar pedindo ajuda para divulgar e encontrar doadores. Estamos tranquilos – encerrou.

Os horários de doação esta semana serão de 07h às 13h, de segunda à sexta e no sábado de 07h às 09h.

Ainda em Volta Redonda, a coordenadora do núcleo de hemoterapia do Hospital São João Batista, Cristina Guimarães, disse que ficou muito contente com o alto número de doações, mas lembra de que ele precisa ser mantido.

– As doações estão dentro da expectativa e as pessoas estão comparecendo. Gostaria de aproveitar este espaço para parabenizar os doadores. Muito obrigada. Temos uma demanda grande e sempre estamos precisando. Sangue não se fabrica, nunca sobra e está sempre em falta – disse.

Hemonúcleo do HSJB funciona de segunda à sexta-feira

Em Barra Mansa, o hemonúcleo funciona anexo à Santa Casa, no Centro. De acordo com Flávio Fagundes, o coordenador do local, a demanda do dia do doador foi excelente e foram contabilizados cerca de 100 doadores. Aqueles que se interessarem podem comparecer ao local de segunda à sexta-feira, das 07h às 11h.

– O dia foi ótimo, excelente. Esse mês as doações foram mais baixas, mas viemos trabalhando desde o início e agora os resultados estão começando a aparecer. Convidamos alguns doadores do nosso sistema e eles compareceram. Hoje conseguimos coletar cerca de 59 bolsas e a tendência é o nosso estoque melhorar – disse Flávio.

Os doadores

A microempreendedora Valéria Cândida estava no hemonúcleo do Vita realizando a primeira doação do ano. Ela explicou que desde que sua mãe passou por uma situação e que precisou de sangue, sempre foi fazer doações.

– Eu tenho o costume de doar sangue e geralmente o faço de seis em seis meses. Nós precisamos proporcionar uma melhor saúde para as pessoas que necessitam – disse.

Ao lado dela estava Ernani Gonçalves, que frequentemente também comparece ao hemonúcleo do Vita para fazer doações.

– Fiquei dois anos parado, pois estava sem tempo de doar. Mas como sei que estão sempre precisando, dei um jeito de comparecer e ajudar. Doar sangue é muito importante – encerrou.

Como doar

Para doar, é necessário que o interessado tenha mais de 16 anos e menos de 69, pesar mais de 50 kg, não esteja em jejum e tenha tido uma boa noite de sono. Todos os hemonúcleos pedem que o doador leve consigo qualquer documento de identificação oficial com foto.

Por Melissa Carísio

melissa@diariodovale.com.br

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    a cruz vermelha de volta redonda que faz campanha para doar sangue não da a folga que todo trabalhador pega quando doa sangue para seus funcionário.

Untitled Document