sexta-feira, 18 de outubro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ‘Educação Escoteiro’ vai contemplar escola no Retiro

‘Educação Escoteiro’ vai contemplar escola no Retiro

Matéria publicada em 5 de maio de 2019, 17:42 horas

 


Bertier explica aos alunos sobre o projeto (Foto: Júlio Amaral)

Volta Redonda – A escola municipal Amaral Peixoto, localizada no bairro Retiro, recebeu a visita do presidente do 22º Grupo Escoteiro São Judas Tadeu, Bertier da Silva Werneck, considerado o mais antigo grupo do Sul Fluminense, com 75 anos de existência. No encontro, Bertier detalhou junto à diretora da unidade, Lissane Hélida de Souza, como será a 3º edição do evento ‘Educação Escoteiro.

De acordo com Bertier, para este tipo de evento o grupo de escoteiro geralmente atende a escola mais próxima da sua localidade.

– A ‘Educação Escoteira’ é um evento estratégico dos Escoteiros do Brasil, que já está em sua terceira edição e que é realizado anualmente dentro de espaços de instituições de ensino em todo o país. Em Volta Redonda, serão quatro escolas participantes na edição deste ano, que serão atendidas pelos quatro grupos de escoteiros atuantes no município: o 14º grupo escoteiros Combatentes Eternos, o 22º grupo São Judas Tadeu, o 53º grupo Vigilante da Acácio e o 70º grupo Nossa Senhora da Conceição – explicou.

O representante do Grupo São Judas Tadeu destacou que atualmente no Sul Fluminense estão em atividade 14 grupos de escoteiros.

– O objetivo principal deste evento é propor uma ação onde a comunidade escolar possa vivenciar com a comunidade escoteira atividades de valores educativos. São atividades escoteiras em concordância com o BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e que se relacionem com o tema deste ano “Aventura Saudável”. A ideia é que os professores também participem e interajam com os adultos do movimento escoteiro na organização das atividades, lembrando que a proposta deste tema abrange em todo o Brasil, mas cada grupo de escoteiro escolhe a atividade de acordo com a sua necessidade local – detalhou.

Lissane afirmou que só teve conhecimento do evento ‘Educação Escoteira’ depois que Bertier a procurou e ofereceu a proposta de realizar o evento na escola.

– E após apresentar a proposta à Secretaria de Educação, a diretora do departamento pedagógico, Ionara Muniz, gostou da ideia e nos autorizou de imediato a realização deste evento – declarou satisfeita a diretora.

A professora Lissane acha válida esta experiência, que vai ajudar os alunos a conhecerem um universo que desconhecem oferecendo uma experiência única sobre o escotismo. “É uma oportunidade de resgatar valores e princípios e a nossa escola se sente muito honrada de participar pela primeira vez deste avento escoteiro”, diz.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document