El Niño deve castigar o Sul do Estado até abril de 2024

Em Volta Redonda e Barra Mansa, temporal derrubou árvores e destelhou casas; vários pontos de alagamento foram registrados

by Diário do Vale

Foto: Divulgação/PMVR

Sul Fluminense – O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) já avisou: a partir de novembro, o volume de chuvas será intensificado a partir deste mês e a situação pode se estender até o final de abril do ano que vem. No Sul Fluminense, a ‘chuvarada’ já começou e causou estragos.

Em Volta Redonda, por exemplo, o temporal de terça-feira (31) causou quedas de árvores nos bairros Santa Rita do Zarur e Santa Cruz, além de obstrução de ruas e pontos de alagamento. As duas tempestades que atingiram o município vieram acompanhadas de fortes ventos, muitos raios e causou elevação do nível do Rio Paraíba do Sul, que ficou 1,28 metro acima do normal. De acordo com a Defesa Civil, a cidade registrou 37 mm de chuva em apenas um dia.

Já em Barra Mansa, as chuvas acompanhadas de ventos fortes e raios causaram queda de energia, pontos de alagamento, queda de árvores e muito transtorno. Nesta quarta-feira (1º), a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec – BM) deu início à operação voltada ao período de chuvas de verão.

“Nos próximos meses, esperamos um volume de chuva acima do normal, podendo gerar ocorrências como inundações, alagamentos, enxurradas, deslizamentos e escorregamentos de áreas de encostas, destelhamentos de casas e quedas de árvores”, disse o coordenador João Vitor Ramos, pedindo às pessoas que mantenham os cuidados nessa época. “Os moradores devem tomar algumas precauções para não causarem possíveis danos, como não efetuarem escavações e movimentações de terra em áreas de encostas, não trafegar em áreas alagadas, evitar sair de casa durante chuvas bruscas, além de não procurar abrigo debaixo de árvores”, afirmou . “Estaremos atuando 24 horas para atender a população. A Defesa Civil somos todos nós. Devemos manter nosso alerta, constantemente”, destacou João Vitor.

‘ALERTA DE VERÃO’

Em Volta Redonda, entrou em vigor nesta quarta-feira (1º) o ‘Alerta de Verão’, que disponibiliza toda a estrutura da prefeitura à Defesa Civil para ações emergenciais até 31 de março de 2024. A ação, segundo a prefeitura, busca minimizar os efeitos das chuvas na cidade e colocar em prática os protocolos de resposta imediata às ocorrências. De acordo com o responsável pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compedc – VR), Rubens Siqueira, a Defesa Civil realiza entre abril e outubro o mapeamento e monitoramento dos pontos críticos da cidade, além dos serviços de manutenção para minimizar os impactos nos períodos de fortes chuvas, executados em conjunto com outros órgãos da administração municipal.

“A Defesa Civil faz vistorias de antecipação e prevenção, visando às melhores respostas de forma rápida e imediata. Com base neste trabalho, as equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (SMI) fazem a limpeza e a desobstrução de córregos e bueiros da cidade, a fim de otimizar a vazão de água e evitando, assim, transbordamentos e enchentes”, explicou o coordenador.

“O Furban-VR (Fundo Comunitário de Volta Redonda) atua em obras de contenções e a Semop (Secretaria Municipal de Ordem Pública) em intervenções como poda preventiva de árvores, para garantir a segurança da população. As fiscalizações da Defesa Civil também mapeiam escavações, capinas e construções irregulares para evitar deslizamento
de terra”, acrescentou Rubens.

Rio tem recorde histórico de chuva em outubro

Um levantamento feito pelo Sistema Alerta Rio identificou que no mês de outubro choveu 197,4 milímetros na cidade do Rio de Janeiro, recorde histórico para o mês. O resultado foi 119,5% acima do esperado para o período, maior que o dobro da média, que é de 89,9 milímetros. Até então, a marca de maiores volumes de chuva para outubro ocorreu em 1998 (189,2mm) e 2003 (187,9mm).

El Niño provocará mais chuvas

Rubens Siqueira adiantou que o município vai sofrer no período com o fenômeno El Niño, já que provocará aumento das temperaturas e da frequência dos temporais. Com isso, segundo Rubens, haverá registro de pancadas de chuvas não só durante a parte da tarde, mas também no período da manhã e à noite.

“O El Niño é uma preocupação para nós. Então, a participação da população é muito importante. Teremos todo o sistema de Defesa Civil atuante 24 horas por dia durante todo este período, podendo ser prorrogado se necessário. A Defesa Civil de Volta Redonda está pronta e preparada para o emprego de pronta resposta em qualquer cenário”, garantiu
o coordenador.

Orientações e adoção de atos seguros

Ao longo do ano, a Defesa Civil também atuou na orientação da população de Volta Redonda sobre a adoção de atos seguros no período de chuvas – e elas valem para todos os municípios da região: não ocupar ou jogar lixo em áreas de preservação próximas ao Rio Paraíba do Sul e córregos, ou próximo a encostas; não realizar escavações, aterros ou construções irregulares sem acompanhamento de responsável técnico; evitar transitar e trafegar no período de chuva forte ou em local alagado; e não procurar abrigo debaixo de árvores.

“Neste período é importante ressaltar a necessidade e a participação efetiva da população no que se refere aos atos seguros. Ou seja: não cometer atos irregulares como capina, escavações e construções, principalmente próximo a encostas; e lançamentos indevidos de materiais de entulho, restos de obras e lixo perto da calha de rios e córregos. Respeitar os dias e horários da coleta seletiva de lixo é fundamental para evitar que essas bolsas plásticas sejam carregadas para bocas de lobos e bueiros, onde podem provocar o entupimento desses escoadouros, bem como o risco de alagamentos”, enumerou Rubens, completando: “Fique atento para qualquer alteração estrutural em sua residência, e, se precisar sair de casa por qualquer cenário de ameaça, desligue o gás de cozinha, a rede elétrica, pegue documentos, remédios e busque um local seguro. Para acionar a Defesa Civil, basta ligar para o número 199”, finalizou o coordenador da Defesa Civil.

Em Barra Mansa, os moradores – principalmente os que moram em áreas ribeirinhas e de encostas –, ao perceberem qualquer situação de risco, devem entrar em contato imediatamente com a Defesa Civil pelo telefone de emergência 199 ou através do WhatsApp: (24) 98121-3427.

You may also like

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996