domingo, 8 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Em Arrozal, agentes coletam larvas do mosquito

Em Arrozal, agentes coletam larvas do mosquito

Matéria publicada em 14 de fevereiro de 2016, 16:42 horas

 


dengue arrozal

Nas ruas: Agentes da prefeitura fizeram vistoria em casas com possíveis focos do Aedes aegypti
(Foto: Divulgação)

Piraí – Agentes de Controle de Endemias da Vigilância Ambiental em Saúde
verificaram imóveis com possíveis focos do Aedes aegypti, em Arrozal, na manhã de anteontem. Foram encontradas e coletadas larvas em três localidades, que seguem para análise. Do início do ano até o momento, 132 casos de dengue foram notificados em todo o município.
De acordo com o supervisor da Vigilância Ambiental, Marco Antônio de Souza Pereira, o cenário de Arrozal é preocupante. “Arrozal é onde temos os maiores números de infestação do Aedes aegypti, tanto de acordo com o LIRAa – Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti, quanto pelo monitoramento com armadilhas”, frisou Marco.
Além de verificar imóveis já sinalizados por agentes de saúde, em visitas periódicas, como vulneráveis a criadouros do mosquito, a equipe do Controle de Endemias alertou os moradores sobre as medidas que devem ser tomadas, como a limpeza constante do quintal, descartando materiais inservíveis. Outras localidades do município também serão visitadas.

Colaboração da comunidade

A dona de casa Geralda da Silva, 76, recebeu os agentes e ressaltou que sempre toma conta para não deixar água parada. Embora não tenham sido encontradas larvas no imóvel, os agentes orientaram sobre sua caixa d’água que não estava tampada corretamente. “Estou sempre monitorando o quintal, a casa e até acabei com as plantas que ficavam na água. Até hoje não tive dengue e tenho medo dessa zika também. Agora que eles me falaram sobre a minha caixa d’água, vou tomar providência o mais rápido possível”, garantiu a exemplar moradora.
Segundo o supervisor Marco, a receptividade da população melhorou muito em relação às demais visitas. “A recepção tem sido excelente. Eles nos atendem, aceitam bem as recomendações e compreendem a gravidade da situação. E também estão cientes de que eles precisam fazer a parte deles, porque cada um tem responsabilidade sobre o seu próprio quintal”, ressaltou o supervisor da Vigilância Ambiental.

Multa para reincidência de focos

A Secretaria de Saúde tem atuado com mais rigor no combate aos focos do Aedes Aegypti, com multas de R$ 120 a R$ 480 para casos de reincidência de criadouros do mosquito em áreas particulares. Até o momento, um morador de Arrozal foi multado, após ser orientado duas vezes por agentes. Entretanto, no prazo de 15 dias para recorrer, foram cumpridas as orientações e assim a multa foi cancelada.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document