quinta-feira, 13 de maio de 2021 - 15:51 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Em Volta Redonda, atendimento a autistas é referência

Em Volta Redonda, atendimento a autistas é referência

Matéria publicada em 30 de abril de 2016, 13:00 horas

 


Rede de ensino municipal tem 231 estudantes com autismo matriculados; 24 deles são oriundos de outras localidades

Volta Redonda – Sede da primeira escola da América Latina com atendimento para autistas – a Escola Municipal Especializada Dayse Mansur da Costa Lima – Volta Redonda tem atraído famílias de municípios e estados vizinhos em busca do serviço especializado oferecido pela rede de ensino municipal. Atualmente, são 231 estudantes com diagnóstico de autismo matriculados, sendo 93 na rede regular e 138 nas unidades especializadas.

Um dos casos é o da dona de casa Fabiana Rosa de Souza de Oliveira, 33 anos, que saiu de Volta Redonda para morar na região metropolitana do Rio de Janeiro e retornou, buscando atendimento para o filho José Luiz Emanuel de Oliveira, de 11 anos, que atualmente estuda na Dayse Mansur.

– Eu sou de Volta Redonda e fui embora para o Rio de Janeiro quando tinha 14 anos. O José Emanuel estudava em Paracambi e retornei para buscar o atendimento da escola Dayse Mansur”, contou Fabiana, lembrando que começou a identificar o comportamento diferente do filho quando ele tinha cerca de 1 ano e meio. “Ele não gostava de lugar fechado, com muita gente. A diretora de outra escola também percebeu algo diferente com ele e procuramos atendimento na Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais). Só conseguimos o diagnóstico definitivo quando ele tinha 4 anos – explicou.

Em Volta Redonda, Fabiana conseguiu o atendimento que procurava e elogia o progresso que o filho obteve nesse tempo estudando na rede de ensino do município. “A Dayse Mansur é maravilhosa. Quando ele fez o pré-escolar foi uma fase muito sofrida, porque não tinha um instrutor para ele. Para um pai e uma mãe de autista, a Dayse Mansur é excelente. É um privilégio ver o José Luiz estudando lá. A independência que ele adquiriu foi enorme. Hoje ele consegue pegar uma maçã, lavar, descascar e comer sozinho”, contou.

Além das famílias que migram para Volta Redonda, os moradores do município também elogiam o atendimento especializado aos autistas. Quem exemplifica isso é a dona de casa Rosangela Alves dos Santos de Oliveira e do aposentado Antonio Augusto de Oliveira. A filha Thaisa dos Santos de Oliveira tem 28 anos e está matriculada no Sítio Escola Municipal Espaço Integrado do Autista (Semeia) Thereza Chicarino de Carvalho, que atende autistas a partir dos 16 anos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document