Empresa que guarda veículos rebocados pode faturar mais de R$ 25 milhões

by Diário do Vale

Sul Fluminense –

A empresa Poly Rio Ambiental, com sede em Japeri, na Baixada Fluminense, e responsável por rebocar e guardar os automóveis apreendidos nas regiões Serrana e Sul Fluminense, pode faturar mais de R$ 25 milhões com taxas de reboque e diárias provenientes das operações que os “marimbondos”, como são conhecidos os agentes do Detran, vêm fazendo em Volta Redonda e Barra Mansa para reduzir a inadimplência com o IPVA.
A empresa fica com tudo que é arrecadado em termos de taxa de reboque e diárias, e esse valor, só com as operações que estão sendo feitas na região, pode ser superior ao total previsto no contrato para três anos.
O valor é repassado depois que o proprietário do carro quita as despesas, e tem como limite trinta diárias, quando o carro ou moto é recuperado pelo dono, e noventa, quando o veículo é leiloado.

Estimativa

A estimativa de faturamento da Poly Rio considera as frotas de Volta Redonda e Barra Mansa, que têm juntas 145.669 carros e 25.709 motos, segundo o próprio Detran. Levando em conta que, segundo o órgão, 52% desses veículos estariam inadimplentes com o IPVA, isso daria 13,3 mil motos e 75,7 mil carros que podem vir a passar algum tempo no depósito do Jardim Guanabara, em Barra Mansa.
Considerando que as operações recolhessem todos os veículos inadimplentes e que cada um deles passe dois dias no depósito, o faturamento da Poly Rio Ambiental chegaria a R$ 837.900 com reboques de motos, mais R$ 912.114,00 com as diárias desse tipo de veículo.
No caso dos carros, os números serão significativamente maiores, já que os valores e a quantidade de veículos são mais altos. Seriam R$ 11.970.441 de reboque, mais R$ 11.341.374 de diárias. A empresa teria uma receita total, com carros e motos, de R$ 25.061.829.

Faturamento supera estimativa total do contrato

Como o Detran decidiu fazer as operações extraordinárias de verificação do IPVA – junto com vistorias surpresa – na região, concentrando em Volta Redonda e Barra Mansa, , esse faturamento pode superar em muito a previsão existente no contrato entre a empresa e o Detran. O valor estimado do contrato era de pouco mais de R$ 19 milhões para três anos de vigência.
A Poly Rio assinou o documento com o Detran em novembro do ano passado. Coincidentemente, logo em seguida os “marimbondos” iniciaram a invasão de Volta Redonda e Barra Mansa, em busca de veículos para rebocar.

Previsão

A empresa tinha uma meta de remoções de 470 motos e 1.037 automóveis por mês, definida na minuta do contrato que acompanhou o edital de licitação.
No caso dos “marimbondos” que operam nas regiões Serrana e Sul Fluminense, eles têm uma previsão, de acordo com o contrato assinado com o Detran, de 470 recolhimentos de motos, que renderiam R$ 29.610, e 1.037 recolhimentos de automóveis, que representam R$ 163.980,81. O total da remuneração por recolhimentos, portanto, vai a R$ 193.590,81 por mês.
Isso só para começar, porque o “grosso” do faturamento da Poly Rio vem das diárias: a previsão contratual é de 4.528 diárias de motos – a R$ 34,29 cada – rendendo R$ 155.265,12 e 8.195 diárias de automóveis – a R$ 74,91 cada – rendendo R$ 613.887,45 por mês. O faturamento com diárias, portanto, iria a R$ 769.152,57.
Esse número valeria para a soma dos recolhimentos ocorridos em 39 municípios (veja a relação mais adiante nesta reportagem), mas, somente em Volta Redonda e Barra Mansa foram feitos, em menos de duas semanas, mais de 220 recolhimentos.
Somando o faturamento de diárias com o de recolhimentos, o ganho da empresa dos “marimbondos” chega a R$ 962.743,38 por mês, de acordo com as previsões do edital.

 

Municípios em que a Poly Rio atua no contrato atual

Região Serrana

1. Bom Jardim
2. Cantagalo
3. Carmo
4. Cordeiro
5. Duas Barras
6. Macuco
7. Nova Friburgo
8. Petrópolis
9. Santa Maria Madalena
10. São José do Vale do Rio Preto
11. São Sebastião do Alto
12. Sumidouro
13. Teresópolis
14. Trajano de Moraes
15. Areal
16. Comendador Levy Gasparian
17. Engenheiro Paulo de Frontin
18. Mendes
19. Miguel Pereira
20. Paraíba do Sul
21. Paty do Alferes
22. Sapucaia
23. Três Rios
24. Vassouras

Região Sul Fluminense

1. Angra dos Reis
2. Barra do Piraí
3. Barra Mansa
4. Itatiaia
5. Mangaratiba
6. Paraty
7. Pinheiral
8. Piraí
9. Porto Real
10. Quatis
11. Resende
12. Rio Claro
13. Rio das Flores
14. Valença
15. Volta Redonda

Termo ‘marimbondo’ vem do filme Tropa de Elite

O termo ‘marimbondo’, aplicado aos agentes do Detran que estão apreendendo veículos na região, se originou de uma cena do filme “Tropa de Elite”, em que um oficial da PM recebe uma queixa de um comerciante: muitos veículos estavam sendo rebocados nas proximidades do seu estabelecimento, o que estava reduzindo sua freguesia e a disponibilidade de recursos para “colaborar” com a corporação.
O oficial, então, chama o PM que estava rebocando os veículos. Segue-se o diálogo:
“- Ô Marimbondo! Voa aqui Marimbondo!
– Tudo bem, meu capitão!
– Tudo bem é o c……, voa aqui Marimbondo, vem p….!… Aí Marimbondo que p….. é essa ? Tu tá metendo a caneta, a área é minha, não pode, p….!!
– Aí, capitão, tô cumprindo ordem do Bira…
– Bira? Quem é esse Bira, p….?
– Ô Bira! Vem aqui…
– Agora não dá…
– Bira, que p…. é essa ? Aqui não pode não, mermão…
– Capitão, o reboque é do (capitão) Oliveira, tô com ele na linha, vocês se entendem aí… pra mim tá tudo na mesma!”

You may also like

10 comments

junior jorge 1 de março de 2015, 17:33h - 17:33

pois é fui fazer uma breve pesquisa dessa empresa e me apareceu uma empresa de produção de polimeros e equipamentos de sustentabilidade ambiental, ai me pergunto como essa empresa pode entrar nesse ramo????

Júlio 27 de fevereiro de 2015, 08:33h - 08:33

O Governo deveria fazer mudanças no calendário do IPVA.
Começar a pagar a partir de julho ao invés de janeiro.
Festas de fim de ano(NATAL E ANO NOVO) gasto, JANEIRO “ipva” gasto. FEVEREIRO material escolar,iptu gasto e fora o carnaval que gera mais problemas provocado pelo próprio governo que quer que o POVÃO encham a cara.

mario 26 de fevereiro de 2015, 15:56h - 15:56

deputados e governadores sao f………………… eu keria ver é se eles teriam coragem de faze uma lei contra roubo na politica isto ai tem gente comendo gordo nas custa do cidadao comum outra m…………. é lei seca o que aconteceu com aquele juiz que tava todo errado onde foi parado na blitz ainda quer indenizaçao bora pra rua meu povo contra tudo isso

gilberto 26 de fevereiro de 2015, 15:31h - 15:31

Perfeita a reportagem, mas devido a fábula arrecadada, os “marimbondos” vão tentar descaracterizar a reportagem…….isso c certeza.

Wagner: Os políticos são donos, os Marimbondos, apadrinhados

paulo 25 de fevereiro de 2015, 22:47h - 22:47

Esta explicado então…a operação marmibondo

SOFREDOR 25 de fevereiro de 2015, 22:03h - 22:03

Como pode uma empresa de recolhimento de lixo e caçambas de entulho trabalho retirando das ruas e armazenando os veiculos de muitos trabalhadores? Cada dia ficamos mais descrentes de justiça.

ÊTA POVINHO 25 de fevereiro de 2015, 21:54h - 21:54

Não é novidade o povinho gostar de ajudar milionários. Anualmente ajudam os banqueiros a faturarem bilhoes de reais em lucros com empréstimos a juros altíssimos, e na compra de carros em 60 longuíssimos meses quando pagam por 03 carros, levam 01 para casa e dão 02 para os banqueiros.

ÊTA POVINHO CORRUPTO 25 de fevereiro de 2015, 21:48h - 21:48

O contrato foi assinado em novembro e curiosamente o Detran entrou em operação?? PEZÃO, PEZÃO, PEZÃO, PEZÃO, PEZÃO meteu o pé na … de quem o reelegeu e por cascata que votou para derrotá-lo leva tbm um PEZÃO na…. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ÊTA POVINHO BABÃO que votou nele!

wagner 25 de fevereiro de 2015, 21:45h - 21:45

pergunta …….qual politico ou apadrinhado é dono dessa empresa?

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996