domingo, 18 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Escolas de idiomas mostram que alunos desejam ir além do inglês

Escolas de idiomas mostram que alunos desejam ir além do inglês

Matéria publicada em 25 de novembro de 2017, 16:20 horas

 


Por melhores empregos e intercâmbios estudantis, pessoas buscam aprender francês, espanhol e alemão

Volta Redonda – Falar inglês fluentemente ainda é um senhor diferencial em um país no qual o combate ao analfabetismo ainda é uma realidade. No entanto, outro dado também se mostra real: escolas de idiomas apontam que os alunos vão além da língua falada na “Terra da Rainha”. Espanhol, francês e alemão estão entre as preferências de quem busca um terceiro idioma.

De acordo com Geísa Cardoso de Menezes, proprietária de um curso de idiomas na Rua 21 C, na Vila Santa Cecília, a cada ano tem aumentado o número de alunos que buscam aulas de Francês em sua escola.

– Já tem bastante tempo que tenho observado um crescimento de alunos interessados em aprender o francês como mais uma opção. Acredito que em razão da implantação de novas empresas automotivas na região. Outro motivo que também tem atraído novos alunos para as aulas de francês, no caso de universitários da UFF (Universidade Federal Fluminense), é com o objetivo de tentar uma bolsa de estudo na França – afirma.

Segundo Geísa, além de universitários, o curso também recebe pessoas que já estudaram o inglês e querem aprender outro idioma, como forma de enriquecer o vocabulário e buscar se aperfeiçoar em busca de uma promoção no emprego.

– Essas pessoas buscam outro idioma para ter um diferencial no mercado de trabalho. Por esse motivo, tem crescido bastante a procura por uma nova língua que não seja o inglês. E apesar do inglês ainda ser bem procurado, apenas 5% das pessoas tem noção deste idioma no Brasil – destaca.

Para Joelma Venceslaw, professora de inglês e proprietária de um curso de idiomas na Rua 42, também Vila, o francês tem tido bastante procura e vem apresentando um crescimento nos últimos 10 anos.

– Os investimentos da indústria automotiva na nossa região com a implantação de diversas montadoras foi com certeza o que contribuiu para um aumento de interessados por cursos de francês e alemão na minha escola. E de 50% dos alunos que procuram outros idiomas, 30% optam pelo francês. O perfil dos meus alunos é constituído por estudantes universitários ou por quem trabalha na área e que buscam aperfeiçoar ou melhorar o currículo. Muitas pessoas estão buscando outro idioma além do inglês para tentar uma nova colocação ou um cargo melhor no trabalho – explica Joelma.

Além: Espanhol, francês e alemão estão entre as preferências de quem busca um terceiro idioma (Foto: Divulgação)

Além: Espanhol, francês e alemão estão entre as preferências de quem busca um terceiro idioma (Foto: Divulgação)

O assistente social Éder Frossar afirma ter optado por estudar espanhol pelo fato de ser uma “língua agradável”, mas também visando o mercado de trabalho.

– Como sou assistente social, alguns textos que utilizo para pesquisa não tem em português e só em espanhol. Estudei por três anos e confesso que o espanhol está me favorecendo bastante. Acredito que aprender outro idioma é primordial para quem busca um sucesso profissional. No meu caso eu tenho vontade de morar no Uruguai, mas por enquanto são só planos – afirma.

Aluno do oitavo período do curso de engenharia mecânica na UFF, o universitário Alexandro Schreiber, nasceu na Alemanha e tem fluência em alemão.

– Tenho observado que as pessoas estão cada vez mais buscando um idioma diferente. No caso da engenharia, o alemão é muito usado, sendo a segunda opção, depois do inglês, juntamente com o francês devido à qualificação profissional. E na nossa região o alemão é muito requisitado através das montadoras que foram instaladas em Resende, como por exemplo, a MAN Latim América. Ainda não me formei, mas já recebi proposta de algumas empresas em razão do meu alemão, por isso acredito que uma segunda língua é um diferencial bem grande para quem busca uma boa oportunidade no mercado de trabalho – conclui.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Um país de monoglotas…

Untitled Document