;
sexta-feira, 27 de novembro de 2020 - 08:45 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / ‘Escritório da Cidadania’ faz 10 mil atendimentos ao ano

‘Escritório da Cidadania’ faz 10 mil atendimentos ao ano

Matéria publicada em 16 de junho de 2018, 11:38 horas

 


UniFoa tem projetos que promovem atendimentos gratuitos ao público


Volta Redonda – 
O Escritório da Cidadania foi criado para funcionar como um núcleo de prática profissional dos cursos do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda). Dividido em quatro partes, o projeto faz 10 mil atendimentos ao ano no Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ); Núcleo de Serviço Social(NSS); Núcleo de Práticas Contábeis (NPC) e Núcleo de Práticas Humanas(NPH).

São ofertados serviços gratuitos para a chamada “comunidade externa de Volta Redonda” (fora do meio acadêmico) e região. De acordo com o advogado Dário de Aragão Neto, responsável pelo Escritório da Cidadania desde 2008, todo curso da área humana tem como parte da grade curricular o atendimento à comunidade. Além disso, diz ele, os núcleos trabalham em conjunto.

– A partir do sétimo período de Direito, os alunos são obrigados a participar do NPJ, onde permanecem por dois anos. Eles ficam seis meses em cada área do curso de direito. O NPJ continua trabalhando em parceria com a prefeitura em atendimentos sociais, promovendo jornadas de conciliação e mediação dos processos – destaca.

O Escritório da Cidadania ainda oferece aos alunos oportunidades de estágio em convênios exclusivos com a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro e com o Núcleo de Primeiro Atendimento no Juizado Especial Cível de Volta Redonda e Pinheiral.

Projeto Tutelas Coletivas

Outra iniciativa do UniFoa é o projeto ‘Tutelas Coletivas’, que foi criado em fevereiro de 2017 com o objetivo de desenvolver um trabalho de consultoria jurídica, contábil e administrativa. O público alvo são associações sem fins lucrativos, que em geral precisam de apoio para obter legalização.

O diferencial desse projeto, segundo Dario, é que qualquer aluno dos cursos envolvidos pode participar desta ação de forma voluntária.

– Atualmente temos cerca de 70 alunos atuando no projeto de Tutela Coletiva, oriundos de cinco cursos do UniFoa. Lembramos que a instituição é a única da região que tem dentro do NPJ este atendimento de tutela Coletiva gratuitamente. Hoje, este projeto interdisciplinar atende 13 associações simultaneamente de toda a região do sul fluminense – explicou.

De acordo com o orientador do estágio criminal dentro do NPJ, Felipe Leão, graças ao trabalho da tutela Coletiva essas associações passam a existir juridicamente.

– Temos associações religiosas, o Gacci (Grupo de Apoio Contra o Câncer Infantil) e o Coletivo Azul (Grupo de Apoio a Pais, Parentes e Amigos dos Autistas) em Pinheiral. Além de associações quilombolas e associações de bairros – afirmou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document