quarta-feira, 23 de junho de 2021 - 18:48 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Estudante diz ter sido agredido por funcionário do Detran

Estudante diz ter sido agredido por funcionário do Detran

Matéria publicada em 25 de junho de 2016, 19:00 horas

 


Ele fazia um vídeo contra as blitzes do órgão em Itatiaia quando a confusão aconteceu; Detran diz que apura o caso

Itatiaia – O protesto isolado de um estudante de odontologia contra as blitzes do Detran em Itatiaia foi parar na delegacia. Leonardo Amandio de Souza denunciou ao DIÁRIO DO VALE, pelo Facebook, que foi agredido com um tapa na mão por um funcionário do Detran, quando estava fazendo um vídeo de uma blitz, através do celular, expondo sua indignação, devido ao problema no agendamento das vistorias. O desentendimento aconteceu no bairro Jardim Itatiaia. Segundo o estudante, no local ocorre blitzes todo final de semana com apreensão de veículos, inclusive com o IPVA de 2016 pagos.

De acordo com o depoimento de Leonardo na delegacia, um carro da PM, que dava apoio à fiscalização, interviu no protesto que ele fazia, a pedido de um funcionário do Detran. Ele disse que conversava com os policiais, quando o agente se aproximou dizendo que ele não tinha o direito de protestar no local.

O funcionário do Detran, ainda segundo ele, retirou o colete de identificação, o ameaçou e deu um tapa na mão dele, tentando acertar o celular. O estudante enfatizou que o funcionário declarou que ia agredi-lo no rosto.

– Rebati a intervenção da PM e disse que não mostraria o rosto de ninguém no vídeo, mas como cidadão tinha o direito de protesto. Foi aí que o funcionário do Detran se aproximou, alterado, com uma folha na mão, dizendo que eu não tinha o direito de protestar, pois eles estavam amparados por lei. Eu me referi a ele de forma educada – explicou, acrescentando que fez registro do caso na delegacia.

O estudante foi levado na viatura da PM para a 99ª DP. De acordo com Leonardo, no caminho, os policiais falaram que se a ocorrência fosse registrada, ele seria acusado de desacato à autoridade.

– Dentro da viatura os policiais disseram que se eu fizesse a queixa, eles iriam me acusar de desacato a autoridade, me senti intimidado. Porém, não voltei atrás da minha decisão. Chegando à delegacia fui tratado como um bandido, e de vítima passei a ser agressor, os policiais não relataram a agressão verbal, física e nem as ameaças que o funcionário fez. Com a chegada do meu advogado, a situação melhorou, fui tratado com mais respeito – disse.

Leonardo Amandio foi autuado no artigo 331, por desacato ao funcionário público. O estudante disse que tem provas que irão esclarecer os fatos e que o vídeo mostra a agressão. Ele disse ainda que já entregou a filmagem ao advogado e tem uma testemunha.

– Irei processar o estado, o Detran e o funcionário que me agrediu e também vou encaminhar uma denúncia a corregedoria da polícia, pois os policiais ocultaram os fatos, com a finalidade de proteger o fiscal do Detran – esclareceu, acrescentado que está com medo de represália.

Detran e PM emitem nota

Em nota, o Detran informou irá apurar o caso enquanto aguarda a conclusão da investigação policial. A assessoria do 37º BPM (Batalhão da Polícia Militar) de Resende disse que o estudante tem o direito de dizer o que quiser, mas consta contra ele na delegacia o crime de desacato. Em relação as acusações feitas a corporação, a nota diz que não há provas da intimidação por parte dos policiais.

Protesto de estudante repercute em rede social

Não é a primeira vez que Leonardo protesta contra as blitzes do Detran. No dia 11 de junho, o estudante fez o primeiro vídeo no mesmo bairro que aconteceu o desentendimento. Segundo o estudante, o vídeo foi postado numa rede social e teve mais de seis mil visualizações. Ainda de acordo com ele, os internautas concordaram com as críticas mencionadas na filmagem e o informaram, pela internet, que no domingo estava tendo outra blitz no mesmo local. Leonardo foi então novamente ao bairro Jardim Itatiaia com a intenção de fazer um novo vídeo.

– Estava saindo de casa quando recebi várias mensagens dos internautas que comentaram meu vídeo prestando apoio, informando que no mesmo local onde gravei o primeiro protesto estava acontecendo outra blitz, foi então que resolvi ir com a intenção de fazer novamente um novo vídeo – explicou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Cidadão que anda em dia com a lei não se sente ameaçado quando se para com um blitz. Se um carro com doc 2016 for preso em uma blitz é pq tem alguma irregularidade. É muito comum as pessoas alugarem pneu para passar na vistoria, pois, se esquecem que trata-se de um item de segurança. Por isso, começo a concordar com a hipótese de se acabar com a vistoria no detran e de ter a vistoria nas ruas, como acontece em alguns estados. Seria o fim dos engraçadinhos!!!!

  2. Pior que ainda tem gente que acredita nessa cara….eta povinho….nao compreendem que isso tudo é uma jogada pra tentar impedir o detran de atuar e com isso algum político por trás virá como o salvador da pátria, pedindo votos e a população vai dar.

  3. Sempre é bom ouvir os dois lados e esperar o julgamento, até lá, o que temos é a versão do rapaz, contra as versões das outras pessoas.

    Assim como o rapaz acusa, se realmente aconteceu, que processe. Agora, se ao contrário for e os servidores estiverem com razão, que processem o rapaz.

  4. Está cansado da intervenção estatal na sua vida? Filie-se ao Novo!

  5. Está corretíssimo. Vergonha de policiais omissos que se deixam corromper por mera amigabilidade.

  6. Hoje com celulares temos mais provas perante a justiça. Que o cidadão de bem use o exemplo desse rapaz. E registre de forma ordeira e dentro da lei eventuais abusos de agentes públicos. O estado existe para proteger os direitos. Quando esses direitos são desrespeitados é dever do cidadão procurar a justiça. Nada justifica agressão física.

Untitled Document