domingo, 26 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Estudo de plantas medicinais é tema de curso em Volta Redonda

Estudo de plantas medicinais é tema de curso em Volta Redonda

Matéria publicada em 27 de janeiro de 2017, 20:53 horas

 


Objetivo da capacitação, que termina em março, é introduzir o tratamento fitoterápico no município

Volta Redonda – Funcionários da rede municipal de Saúde participaram na manhã desta sexta-feira (27), do curso de Introdução ao Estudo de Plantas Medicinais e Fitoterápicas, no auditório da secretaria de Saúde. O objetivo da capacitação, que termina em março, é introduzir o tratamento fitoterápico no município, por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs).

De acordo com a coordenadora da área técnica de Práticas Integrativas da secretaria, Fabíola Angelita Martins, o curso é financiado pelo Ministério da Saúde e realizado em parceria com o Instituto Vital Brasil, com sede em Niterói (RJ).

– Conquistamos os recursos para a capacitação após o município apresentar o Projeto de Arranjo Produtivo Local, que é o projeto da Farmácia Viva, que prevê a manipulação das plantas desde o cultivo até a dispensação na farmácia – falou Fabíola.

Nesta sexta-feira, a aula foi ministrada pela farmacêutica Bettina Ruppelt, da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que também atua na FioCruz Rio de Janeiro e na UFF (Universidade Federal Fluminense). Ela explicou que já promoveu capacitações em cerca de 30 municípios da Bacia do Paraná III por ter participado do Programa Itaipu Binacional – Cultivando Água Boa.

– Capacitando agentes comunitários de saúde, garantimos o sucesso do programa, já que eles estão mais próximos do dia a dia dos pacientes – disse Fabíola Martins, acrescentando que, com a capacitação, eles passam identificar as plantas medicinais e plantas nocivas à saúde, podem ensinar o uso correto dos chás, além de orientar quando o uso do chá pode interferir no tratamento alopático – com remédios convencionais.

Em Volta Redonda, porém, o curso é extensivo a outros profissionais da rede como funcionários da assistência farmacêutica, do Laboratório Municipal e até para membros do Conselho Municipal de Saúde.

– Além deles, são capacitados agricultores, já que a proposta é cultivar as plantas medicinais – disse Fabíola, lembrando que uma das aulas da capacitação foi ministrada pelo técnico agrícola da Farmácia Viva, Luciano Villarinho, que falou sobre horta orgânica, cultivo e produção de mudas.

A próxima aula está marcada para o dia 7 de fevereiro e o encerramento da capacitação será no próximo mês de março.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document