segunda-feira, 21 de outubro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Família pede ajuda para encontrar adolescentes desaparecidas em Volta Redonda

Família pede ajuda para encontrar adolescentes desaparecidas em Volta Redonda

Matéria publicada em 13 de setembro de 2019, 16:09 horas

 


As jovens moram no bairro Candelária, em Volta Redonda e foram vistas pela última vez por volta das 9h, no bairro São Luis

 

Adolescentes foram vistas pela última vez no bairro São Luis, em Volta Redonda (Foto: Arquivo Pessoal)

Volta Redonda – Familiares de Thalya Alves Amorim, de 11 anos e Vitória Alves Cardoso, de 13, estão solicitando ajuda da população para encontrá-las. Segundo Jaqueline Adélia Alves Ladeira, mãe de Thalya, as adolescentes estão desaparecidas desde a manhã desta sexta-feira (13). As jovens moram no bairro Candelária, em Volta Redonda e foram vistas pela última vez por volta das 9h, no bairro São Luis, também em Volta Redonda.

De acordo com Jaqueline, as jovens não possuem telefone celular e sua filha, Thalya, teria saído de casa com dinheiro antes de desaparecer. Thalya estuda no período matutino, na Escola Municipal Engenheiro Sérgio de Andrade Rocha, no mesmo bairro onde mora, enquanto a amiga, Vitória, estuda no período vespertino na Escola Municipal Prefeito Juarez Antunes, no bairro São Luis.

– Minha filha estuda no período da manhã. Ela saiu de casa para ir para a escola e não chegou. A amiga dela estuda no período da tarde e elas foram vistas juntas, por volta das 9h no bairro São Luis, entrando em um ônibus – Cerâmica – e não foram mais vistas. Algumas pessoas me disseram que elas conversavam algo sobre não saberem o que fazer e para onde ir. Depois disso não foram mais vistas. Eu e a mãe dela, Gislane Alves, estamos muito preocupadas, além de todos da família, e pedimos ajuda para encontrarmos as duas – comentou.

Jaqueline disse ao DIÁRIO DO VALE que imagens de uma câmera de segurança da Escola Municipal Prefeito Juarez Antunes, feitas nesta manhã, registraram o momento em que as jovens passavam pela rua, em frente à escola. A esperança da família é que com as imagens, a população possa identificá-las e entrar em contato com a família.

– Vamos aguardar o prazo de 24 horas para registrarmos um Boletim de Ocorrência. A gente espera que elas voltem para casa antes disso. As imagens que conseguimos mostram com qual roupa elas estavam no momento em que foram vistas pela última vez – disse.

A família pede para que, caso alguém encontre Thalya Alves Amorim e Vitória Alves Cardoso, que possa entrar em contato através dos telefones: (24) 9 98801529 ou (24) 9 99241533.

Câmera de segurança de escola registra o momento em que as jovens passavam em frente à uma escola no bairro São Luis (Foto: Arquivo Pessoal)


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Avatar

    só some mulher bonita no dia que sumir uma feia pode ficar preucupados de verdade

  2. Avatar

    Já foram localizadas, no bairro Santo Agostinho! Estão bem !

  3. Avatar

    Já foram encontradas já

  4. Avatar

    Adolescente desaparecida. História mais velha que Adão e Eva…

  5. Avatar

    Essa da esperar 24 horas é um absurdo!!! A polícia Civil esta pecando pela desinformação…

    Não é necessário esperar 24 horas para registrar o desaparecimento de uma criança ou adolescente. Procure imediatamente a delegacia de Polícia Civil mais próxima a sua residência para registrar ocorrência no caso do desaparecimento de uma criança ou adolescente. A Lei nº 11.259/2005 determina a investigação policial imediata em casos de desaparecimento de crianças e adolescentes. A Lei é conhecida como “Lei da Busca Imediata”.

    Em 17 de dezembro de 2009, foi sancionada a Lei nº 12.127/2009 que cria o Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, resultante de uma ampla discussão nacional somada aos trabalhos de investigação da CPI de Crianças e Adolescente Desaparecidos.

    Oriento os familiares caso a Polícia Civil insista na negativa de se fazer o B.O e iniciar as investigações, que procurem o Ministério Publico.

    Não é necessário esperar 24 horas para fazer o Boletim de Ocorrência, a Lei nº 11.259/2005 (Lei da Busca Imediata) garante a investigação imediata de um caso de desaparecimento de criança ou adolescente.

    Fonte: Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

  6. Avatar

    Se for registar B.O. terão de ir a SP, acho melhor fazer um R.O. aqui no estado do Rio mesmo.

  7. Avatar

    que angústia para os pais

    • Avatar

      Temos que nos precaver com estes possiveis fatos no anseio familiar. Não. Pode deicar isto acontecer, tem algum problema neste casa.

  8. Avatar

    Já vi essas histórias antes

Untitled Document