quinta-feira, 21 de outubro de 2021 - 12:57 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Famílias de baixa renda de Quatis ganham verduras e legumes

Famílias de baixa renda de Quatis ganham verduras e legumes

Matéria publicada em 12 de dezembro de 2017, 15:40 horas

 


Prefeito ressaltou que programa visa ajudar famílias que já são cadastradas em unidades do Cras

Quatis – Pelo menos 25 famílias de baixa renda da cidade acompanhadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos recebem semanalmente a doação de verduras e legumes cultivados na hora da prefeitura, que fica ao lado do escritório da Emater-RJ (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro), no bairro Jardim Pollastri. A informação foi dada ontem pelo prefeito Bruno de Souza (PMDB). Entre as hortaliças doadas estão as seguintes: couve, alface, beterraba, berinjela, jiló e cheiro-verde.

Bruno ressaltou que o Programa Sacola Verde faz parte das ações realizadas pela administração visando assistir as famílias carentes nos momentos de emergência: “Mas, ao mesmo, garantir as condições necessárias para que elas voltem a caminhar com as próprias pernas”, completou.

Para receber as verduras e legumes, as famílias precisam necessariamente estar cadastradas numa das duas unidades do Cras (Centro de Referência de Assistência Social), que funcionam no Centro e no Jardim Independência. As famílias atendidas atualmente pelas doações de verduras e legumes moram nos bairros Jardim Independência, Nossa Senhora do Rosário, São Benedito, Alto das Quaresmeiras, Centro, Jardim Pollastri e Mirandópolis.

A horta na qual acontece o cultivo das hortaliças tem aproximadamente 450 mil metros quadrados. O terreno pertence à prefeitura. Atualmente, a produção está sob a responsabilidade do funcionário da secretaria de Obras, Urbanismo e Serviços Públicos, José Roberto Vieira, e do técnico agrícola Paulo Sérgio Aguiar Coelho, encarregado da supervisão técnica do plantio.

Já a coordenação do projeto é da pedagoga Marise Rodrigues Ferrari, responsável pelo Programa Produtor Mirim, que a partir do próximo ano utilizará a horta como local para o aprendizado prático dos alunos. Segundo ela, o viveiro no qual são produzidas as mudas das hortaliças foi recuperado este mês por meio de uma parceria entre duas secretarias municipais (Assistência Social e Direitos Humanos/Obras, Urbanismo e Serviços Públicos).

Além do recebimento das verduras e legumes através do Programa Sacola Verde, as famílias cadastradas pela secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos passaram a receber este ano as mudas produzidas no próprio local da horta para fazer o cultivo das hortaliças em suas próprias casas. Elas estão ganhando ainda a doação de mandiocas obtidas gratuitamente pela prefeitura junto a uma plantadora do assentamento Irmã Dorothy, na zona rural. Só nos últimos meses foram cerca de 500 quilos doados às famílias.

Famílias de baixa renda são instruídas de como deve ser feito o cultivo da mandioca

Famílias de baixa renda são instruídas de como deve ser feito o cultivo da mandioca

Com relação às doações de mandiocas, as famílias ficaram encarregadas de fazer as colheitas no próprio local do plantio. Este ano, já foi doada cerca de meia tonelada, mas a doação é temporária, ao contrário das verduras e legumes, que são repassadas aos usuários do CRAS toda semana. Estas famílias estão participando também de uma capacitação visando à preparação de pratos derivados, entre eles, bolinho de aipi e palmito com a casca de mandioca, sendo que a capacitação é ministrada por uma técnica agrícola do escritório local da Emater-RJ de Quatis.

– Graças a uma ação integrada entre as secretarias municipais com a Emater, a nossa administração vem conseguindo colocar em prática uma política pública de assistência social voltada à valorização dos moradores de baixa renda do nosso município, que merecem e têm direito a viver com dignidade. Por isso, o nosso compromisso é com o resgate da cidadania plena em favor destes moradores. Na medida do possível, os suprimos em suas necessidades mais urgentes, porém, por outro lado, atuamos no sentido de que eles voltem a ter acesso aos seus direitos essenciais – concluiu Bruno de Souza.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document