terça-feira, 23 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Filhos falam de pais que usam celular em excesso

Filhos falam de pais que usam celular em excesso

Matéria publicada em 16 de junho de 2019, 08:45 horas

 


Pesquisa mostra que pais também extrapolam na hora de usar o celular (Foto: Fotos Públicas)

Volta Redonda – Uma pesquisa realizada com 500 famílias, entre fevereiro a março deste ano, mostrou que 39% dos adolescentes acham que os pais extrapolam no uso da tecnologia, fazendo uso excessivo principalmente dos celulares. O estudo chama atenção para um fato interessante, pois em geral o que se questiona é o tempo que crianças e adolescentes passam diante dos aparelhos. O fenômeno, como se percebe, é mundial e tem seus reflexos em Volta Redonda.

Os próprios adultos já reconhecem este fato, pois de acordo com a mesma pesquisa 45% dos pais entrevistados se disseram dependentes de seus aparelhos telefônicos.

A comerciante Edilaine Cavalcante, mãe de uma menina de três anos, admite que em alguns momentos excede no uso de seu celular.

– Uso bastante para o social e no bate papo em grupos de família, grupo de amigos e de academia. Já me deparei por diversas vezes que não estava dando muita atenção para a minha filha por causa do celular. E ela costuma cobrar esta atenção, principalmente quando prometo algo e não cumpro. Nesse caso, se eu pegar no celular ela reclama – afirmou.

Edilaine afirma que antes conseguia ficar mais tempo no celular, mas como a filha já consegue se manifestar mais claramente, a situação está mudando.

– Algumas amigas até reclamam que não estou respondendo as suas chamadas imediatamente quando fico com a minha filha. Acredito que isso pode sim afastar um pouco os pais dos filhos – ressalta.

A auxiliar de serviços gerais Daylaini Cristina da Silva, mãe de um bebê de quatro meses, uma criança de nove e outra de doze anos, se considera uma usuária assídua de celular. Além do telefone, ela usa o aparelho para acessar as redes sociais.

– Admito que as vezes acabo não dando tanta atenção aos meus filhos, mas quando exagero a de nove anos me cobra bastante. Para evitar desapontá-las, estou tentando mudar e me policio mais. Agora, quando chego em casa desligo a internet para só voltar a usar quando vou dormir. Penso que em casos extremos essa dependência por celular pode prejudicar o relacionamento com os filhos – opinou.

De acordo com a psicóloga Alexandra Marília, pais que passam grande parte do tempo em família no celular ou na TV não fazem ideia do mal que provocam aos seus filhos. Entre eles, está a temível perda do vínculo familiar.

– Como consequência desse desamparo, encontramos crianças mais birrentas, irritadas, hiperativas, tentando chamar a atenção dos pais. Além disso, essas crianças também apresentam maior tendência em se sentirem mais frustrada, depressivas ou estressadas – explicou.

Outra preocupação importante, afirma Alexandra, é em relação às crianças menores. Com a falta de estímulos, como o olhar, o toque, a motivação, apresenta atrasos no seu desenvolvimento cognitivo motor, além do emocional.

– Assim, podemos entender que essa interferência tecnológica produz um grande ciclo vicioso, ou seja, os pais exageram no tempo destinado ao uso da tecnologia com a desculpa que estão trabalhando ou relaxando, e com isso filhos desamparados se sentem frustrados, apresentam comportamentos rebeldes e inadequados – explica.

Por Júlio Amaral

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Verdade,uma geração de retardados formando mais retardados!!!

Untitled Document