domingo, 9 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Estudantes franceses promovem melhorias em escola

Estudantes franceses promovem melhorias em escola

Matéria publicada em 17 de agosto de 2015, 08:47 horas

 


jovens franceses pinheiral

Pinheiral – Nove estudantes franceses estão participando de um programa de intercâmbio, batizado de Chantier, que tem como objetivo promover a troca de experiências principalmente na área ambiental. O programa é realizado pela ONG francesa ‘Amar’ com o apoio do Idaco (Instituto de Desenvolvimento e Ação Comunitária). A associação organiza o projeto há mais de 20 anos.

Dentro da programação, o grupo promoveu, durante dois dias, melhorias na Escola Municipal Miguel Barbosa Junior, situada na área rural do município. Pintura e a implantação de uma horta foram algumas das ações realizadas pelos franceses.

Gilles Marechal, fundador da ONG Amar, revelou que atuam em busca de jovens que queiram vivenciar novas experiências.

– Do outro lado do Atlântico, procuramos jovens que queiram conhecer outras culturas, realizarem um intercâmbio no Brasil e vivenciarem o que está acontecendo neste imenso país – disse.

O jovem francês Guylain Théon, 22 anos, estudante de agronomia na Universidade de Paris, se encantou com a receptividade da cidade de Pinheiral e do povo brasileiro.

– Aprendi muito com relação ao quesito humano e vivenciei diversas demonstrações disso. A diferença entre França e Brasil é, sem dúvida, a receptividade e a acolhida que temos das pessoas – revelou.

O secretário do Ambiente e Desenvolvimento Rural, Joaquim Valim, revelou como o governo municipal conheceu o programa. “No ano passado, um grupo do município e de outras cidades da região participou do Chantier na França. Na ocasião, eu e o prefeito fizemos parte da comitiva. Após vários dias no exterior absorvendo informações sobre agricultura, a equipe retornou com a missão de organizar a vinda de franceses para o Brasil”, disse.

Cristiane Meneleu, diretora da escola, destacou a troca de experiência que vem ocorrendo com os alunos. “Sem dúvida serão dias que ficarão para sempre na memória de nossas crianças. Acompanhamos o quanto essa troca tem sido fantástica. A vinda dos jovens proporcionou grandes momentos de alegria a nossa comunidade escolar”, falou.

Os franceses também já participaram de eventos no Recanto dos Velhinhos, no Parque Fluvial e no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro), além da importante vivência na casa dos produtores rurais.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Ih, se os Direitos Humanos, o Conselho tutelar, a PM, a PF, a PC, os prefeitos, secretários de Ensino e vereadores souberem disso vão mandar prender os franceses, pois estão mexendo em patrimônio público.

    Quando é que deixam um brasileiro fazer isso no lugar dos franceses? Que eu saiba já teve até empresários presos por tentarem recuperar escola neste país. Outro foi proibido de investir em escola pública parte de sues lucros.

    • Avatar

      Interessante é o sujeito usando uma cadeira da escola no lugar de uma escada.

      Eu já vi coisa pior com um professor universitário. Na primeira fileira, ele estava sentado na mesa escolar com os pés na cadeira escolar ministrando aula para os demais universitários da sala de aula.

      Tudo a ver, pois são coisas de jovens, jovens SEM NOÇÃO da vida.

  2. Avatar

    Na França também tem negros,legal!

Untitled Document