segunda-feira, 19 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Frio altera oferta de alguns produtos na feira livre de Volta Redonda

Frio altera oferta de alguns produtos na feira livre de Volta Redonda

Matéria publicada em 21 de julho de 2019, 13:05 horas

 


Hábitos alimentares mudam com reflexos nas vendas da Feira Livre
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda- As baixas temperaturas costumam influenciar os hábitos alimentares, com reflexos diretos na forma de consumo. Um dos locais onde esta mudança fica mais clara é a Feira Livre. Há uma queda acentuada de procura pelas saladas e um aumento nas vendas de produtos que vão ao fogo. Outra mudança vem nas frutas.
De acordo com o feirante Ramon Bruno, no inverno alguns produtos da feira deixam de ser consumidos com tanta intensidade como nos dias mais quentes. É o caso de algumas frutas como a maçã, melancia, abacaxi e pera. “Nesta época o consumidor procura alimentos mais propícios para o frio ou mais pesados, como o milho, aipim, batata doce, inhame e queijos. No meu caso, as vendas de aipim, milho verde e inhame aumentaram em até 50%. O milho, acredito que sofre uma influência das festas juninas”, disse.
Esses alimentos, destaca Ramon, também são ideais para fazer caldos, sopas ou refogados, opções preferidas das pessoas em dias de frio. Já entre as frutas, o comerciante Nélio Costa Batista explica que as que saem mais em sua barraca são as frutas da época, como o poncã, laranja, uva e morango. Por outro lado, com o frio ele também vende muito milho verde, aipim e amendoim.
Para a feirante Ivania Nunes, que trabalha com verduras, no frio o cliente costuma mudar o cardápio, optando por pratos mais quentes. Com isso, as verduras que saem mais neste período são a mostarda, almeirão, repolho, couve flor, ideais para preparar pratos quentes como caldos, sopas ou refogados.
O engenheiro Carlos Frederico confirmou que os dias mais frios acabam alterando no cardápio de sua casa. “Quando está mais frio, eu e minha esposa gostamos de preparar pratos mais quentes como caldos e sopas, além de uma boa carne. Com isso, acabamos comprando produtos diferentes dos dias mais quentes”, diz.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document