segunda-feira, 18 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Governo vai intensificar ações para aumentar turismo no interior do Rio

Governo vai intensificar ações para aumentar turismo no interior do Rio

Matéria publicada em 28 de março de 2016, 10:39 horas

 


Entre as principais cidades da região estão Angra dos Reis, Paraty, Penedo, Itatiaia e Visconde de Mauá

PARATY- P. DIMAS (10)

No roteiro: Paraty está entre os municípios que receberão ações para intensificar movimentação durante a Olimpíada
(Foto: Paulo Dimas)

Rio – A movimentação prevista de 560 mil turistas que vão circular pelo Rio de Janeiro durante a Olimpíada, a ser iniciada dia 5 de agosto próximo levou a Secretaria Estadual de Turismo a intensificar a promoção e divulgação para os agentes estrangeiros dos principais municípios indutores de turismo no estado. Entre eles, figuram Cabo Frio e Búzios, na região dos Lagos; Angra dos Reis e Paraty, na Costa Verde; Petrópolis, na região serrana; e Penedo, Itatiaia e Mauá.
Para aumentar o fluxo de turistas durante a Olimpíada e a Paralimpíada, a secretaria está participando, desde o início do ano, do calendário oficial de feiras internacionais da Embratur e do Ministério do Turismo, visando a divulgação dos atrativos da capital fluminense e, “principalmente, do interior”, disse à Agência Brasil o secretário estadual de Turismo, Nilo Sergio Felix.
“É uma orientação do governador Luiz Fernando Pezão para que nós colocássemos nossa força de promoção e fomento nas principais cidades do interior do estado”, acrescentou. Estão sendo promovidos fóruns nas 12 regiões fluminenses, mostrando a importância da Olimpíada para o Brasil e para o Rio. Segundo o secretário, os jogos reunirão pessoas de 205 países e 25 mil profissionais de imprensa, sendo dez mil credenciados e 15 mil freelancers (autônomos).
“A cidade do Rio de Janeiro estará lotada e o interior, por sua vez, vai receber esses turistas que terão permanência de alguns dias”. O secretário informou que o turismo que mais cresce, de acordo com dados da Organização Mundial do Turismo, é o de curta distância, que representa 80% da demanda turística de um destino.
A secretaria está investindo em material de divulgação por meio do programa Rio+3, que incentiva a visita a municípios distantes até três horas do Rio. “Você tem belezas naturais, praias, serra, aventura e turismo histórico e gastronômico” no interior do estado. Foi editado o livro Rio+3 em português, inglês e espanhol, contemplando as principais cidades turísticas do estado do Rio de Janeiro.
Nilo Sergio Felix disse que a rede hoteleira entendeu a importância da Olimpíada e da Paralímpiada como um evento único e uma oportunidade de os hotéis não só manterem a cidade cheia, mas terem uma divulgação de mídia muito grande. Durante os Jogos Olímpicos, a Secretaria Estadual de Turismo terá postos de informação no Rio de Janeiro, onde será distribuído material de divulgação para os turistas.

Depois da Olimpíada

O secretário disse que, após a Olimpíada e a Paralímpiada, o governo estadual terá um grande trabalho pela frente para garantir a ocupação da totalidade de apartamentos da rede hoteleira, que subiram de 29 mil, há dois anos, para 62 mil unidades. “Nós mais que dobramos essa oferta de quartos para o movimento da Copa do Mundo, em 2014, e para a Olimpíada”, destacou.
Lembrou que o Comitê Olímpico Internacional (COI) pediu aos empresários e ao governo que houvesse investimento para que a cidade pudesse receber a Olimpíada. Os empresários responderam afirmativamente. “Só na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio), já tem mais 12 mil quartos. Vamos ter uma oferta muito boa. Mas após a Olimpíada, nós precisamos trabalhar permanentemente na divulgação e promoção, porque temos o dobro para oferta para encher”.
Salientou que o Programa de Desenvolvimento do Turismo do Estado (Prodetur-RJ), executado em convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, terá recursos que permitirão trazer para agentes de viagem dos principais destinos compradores, que são Argentina e Estados Unidos, e organizar oficinas fora do Rio, entre outras ações. Felix quer colocar o Rio de Janeiro como um destino internacional.
Ele disse que o estado recebe atualmente poucos turistas estrangeiros. No ano passado, dos 6,4 milhões de turistas estrangeiros que visitaram o Brasil, 34% (ou cerca de 2 milhões de pessoas) vieram para o Rio. “É muito pouco em função da beleza dos atrativos que nós temos”.
Com as ações em curso, a meta é elevar em 12% ao ano o número de turistas internacionais que o Rio recebe. “A meta é aumentar o fluxo turístico, aumentar a permanência dele (turista) e o seu gasto médio diário, que hoje é em torno de US$ 300 por pessoa”.
O secretário avaliou que, com a cotação do dólar em torno de R$ 3,80, o que inibe a saída dos brasileiros para o exterior e facilita a vinda de estrangeiros para o Rio, a expectativa é que  a ocupação dos hotéis no interior fluminense repita o nível médio registrado no carnaval, de 95%. Observou, ainda, que, nos feridos prolongados, o interior do Rio de Janeiro está conseguindo ocupação melhor do que a capital.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    liberdade e propriedade

    Poderiam privatizar a rodovia da Dutra até Mauá, para que a pista fique impecável e bonita enfeitada com flores nas laterais, sinalização turística e tudo mais exigido no contrato, assim como ocorre na rodovia que liga Gramado à Nova Petrópolis que tem Hortência em toda a margem, que também é privatizada. Vale a pena pagar uma merreca e ter uma rodovia impecável e enfeitada em local turístico! Privatizar rodovia é um excelente negócio, todos ganham com isso.

Untitled Document