segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Lar dos Velhinhos de Volta Redonda lança projeto ‘Escutador de Histórias’

Lar dos Velhinhos de Volta Redonda lança projeto ‘Escutador de Histórias’

Matéria publicada em 31 de maio de 2016, 22:17 horas

 


Objetivo é promover a interação entre os idosos e visitantes, através da conversa e o bate-papo

Nova hóspede: 'Princesa', de oito meses, ajudará na interação com os idosos (Foto: Franciele Bueno)

Nova hóspede: ‘Princesa’, de oito meses, ajudará na interação com os idosos (Foto: Franciele Bueno)

Volta Redonda – O asilo Lar dos Velhinhos de Volta Redonda lançou nesta semana o projeto “Escutador de Histórias”, que visa à melhoria da qualidade de vida dos residentes, além do convívio social com voluntários e visitantes. A ação tem como objetivo promover a interação entre os idosos e visitantes, através da conversa e o bate-papo.

De acordo com o idealizador do projeto e presidente do asilo, João Batista Barbosa, qualquer pessoa pode participar disponibilizando um pouco do seu tempo para ouvir as histórias dos idosos. Basta agendar um horário, de segunda a domingo, na parte da tarde, através do telefone (24) 3348-9444. O Lar dos Velhinhos fica na Rua Maurílio Gomes da Silveira, nº 620, no bairro Monte Castelo.
– Ser um escutador de histórias é sem dúvida um ato de amor e solidariedade. É muito importante a interação dos visitantes com os idosos que principalmente no período da tarde ficam mais ociosos. Quem puder tirar um tempinho e ouvir as histórias fará um bem estar enorme na vida dos internos, que sentem muita falta de ter alguém ao seu lado para ouvir suas experiências – afirmou.
O presidente destacou ainda que 60% dos idosos não têm acompanhamento familiar, alguns perderam os parentes e outros simplesmente foram deixados apenas sob os cuidados da instituição. Atualmente, o asilo atende 89 idosos e conta com uma equipe formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, entre outros profissionais que prestam assistência 24 horas aos internos.

Novos espaços e novidades

Durante o lançamento do projeto, novos espaços foram inaugurados como a Sala de Convivência I e II, Sala de Psicologia e Assistência Social e Enfermagem. Além de proporcionar mais conforto direcionado aos atendimentos especializados, a direção do asilo inseriu novidades na rotina dos internos, como a interação com o meio ambiente, a criação de uma capela e até o convívio com um cachorro.
Um canteiro suspenso foi criado nos fundos da instituição destinado ao plantio e colheita de hortaliças. Essa terapia conhecida como hortoterapia, de acordo com João Batista, irá reativar o contato dos internos com a natureza através do manuseio com as plantas.
– Acredito que essa nova terapia com a horta relembrará aos idosos a sensação de estarem em casa, plantando e colhendo as hortaliças que poderão ser servidas em sua alimentação – falou.
De acordo com o presidente, alguns religiosos de igrejas costumam frequentar o asilo para fazer celebrações, no entanto, não havia um local reservado para a atividade. A partir de agora, tanto os internos quanto os visitantes poderão exercitar sua fé diariamente, de forma íntima. Além disso, uma sala de carpintaria para os idosos manusearem e restaurarem objetos diversos foi criada também no asilo. O objetivo é que o que for produzido por eles seja vendido no bazar da instituição. O presidente comentou que essa será mais uma terapia para melhorar a qualidade de vida dos internos.

Terapia com cães

A nova hóspede do espaço é a cachorra vira-lata “Princesa”, de oito meses. O animal foi doado por uma ONG (Organização Não Governamental) ao asilo e receberá adestramento do Corpo de Bombeiros para atender aos comandos dos funcionários e interagir de acordo com as condições dos idosos, já que muitos são debilitados e ficam a maior parte do tempo em cadeiras de rodas. Princesa, que foi castrada, também receberá cuidados, como constantemente ser avaliada por um veterinário.

Campanha de doações

As pessoas que quiserem contribuir financeiramente com a instituição podem entrar em contato com o asilo pelo telefone (24) 3348-9444. O dinheiro doado é revertido na compra de fraldas e outros materiais. De acordo com o presidente, João Batista Barbosa, o Lar dos Velhinhos realiza constantemente campanhas de doações através de telemarketing.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar
    JÁ ESTOU LIGANDO AGORA AMEI O PROJETO.

    GENTE É PRECISO SER VOLUNTÁRIO SOMENTE NO EXERCÍCIO VOLUNTÁRIO NOS MELHORAMOS COMO SERES HUMANOS. O SERVIÇO VOLUNTÁRIO É UMA GENEROSA FORMA DE FAZER FLUIR A CARIDADE NO UNIVERSO.

  2. Avatar

    Interessante a matéria sobre o Lar dos Velhinhos…inclusive já estava ha muito me programando para uma visita a eles. Entretanto fico a pensar sobre as Campanhas de Arrecadação de dinheiro, doações de materiais … Sei que para um Velhinho estar ali ele tem que pagar, deixar seus benefícios…e não é pouco…Lamentável !
    A matéria estápa ótima, cheia de benfeitorias e cuidados, mas muito empirismo…..

    • Avatar

      Se for conhecer pessoalmente o asilo, terá a noção da dificuldade que é tratar os idosos, muitos com doenças degenerativas. Vários tem que comer comida totalmente diferente dos outros, em horários diferentes, remédios controlados em horários diferentes, etc… imagina 89 idosos e cada um com seus problemas diferentes. O governo não ajuda com nada e só o trabalho dos profissionais também não dão conta, o que exige um esforço enorme para conseguir voluntários e doadores, de forma a conseguir tratar os idosos da melhor forma possível, isso sem ganhar nada, apenas dando o seu tempo, seu trabalho e seu esforço em prol de uma sociedade melhor.
      Muitos só sabem falar e nada fazem pra ajudar. Não quer doar dinheiro? Doe com alimentos, doe com produtos de limpeza, doe com produtos de higiene pessoal, doe seu tempo… alguns idosos precisam apenas de um abraço e de conversar. Se puder fazer isso, faça, será de grande ajuda.

    • Avatar

      Daniele, uma pergunta de leigo: há entre os esses idosos aqueles que bem carentes que não têm nem direito a receber benefício do INSS? A pergunta é porque, você deve saber, para os idosos nessa situação existe o benefício assistencial da LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social), chamado Benefício de Prestação Continuada, no valor um salário mínimo mensal, voltado para idosos carentes que não tenham contribuído para o INSS ao longo da vida. No mais, meus cumprimentos pelo trabalho do Lar dos Velhinhos.

Untitled Document