Mãe reclama da falta de assistência médica à filha em Barra Mansa

Por Diário do Vale

Barra Mansa –

Cansada de procurar assistência médica para tratar a filha, que sofre de hidrocefalia, a professora Leidjane Landim buscou o DIÁRIO DO VALE para desabafar sobre as dificuldades que tem encontrado em obter auxílio médico na rede pública de saúde do município. Ela disse que a menina de 10 meses precisa passar por uma cirurgia, mas não consegue marcar o procedimento cirúrgico no SUS (Sistema Único de Saúde).
– Minha filha está precisando de uma cirurgia com urgência, mas não consigo marcar. Sempre estou correndo atrás, pedindo para eles (secretaria municipal de Saúde) acelerarem, mas não consigo – disse Leidjane.
A professora revelou ainda que devido à condição de saúde, a filha precisa de um acompanhamento médico especial, que conta com um médico, fisioterapeuta, nutricionista e um profissional de enfermagem. Além disso, ela afirmou que enfrenta dificuldades para comprar os remédios, que antes conseguia gratuitamente.
– Estou tendo que comprar remédios sem condições financeiras. Minha filha também precisa de um equipamento de sonda gástrica para se alimentar e nada é fornecido. Às vezes fico sem saber o que fazer, porque não sou médica e não estou tendo auxílio – indignou-se.
E até mesmo quando pensou que a filha poderia ser atendida pelo programa “Melhor em Casa”, oferecido pelo SUS com a proposta de atender pacientes na própria residência, ela não obteve sucesso.
– Quando eu vou ao hospital eles dizem que esse caso é responsabilidade do programa “Melhor em Casa”, mas quando corro atrás desse programa, me tratam com puro descaso, às vezes nem respondem e ainda dizem que eu devo procurar ajuda no hospital. Ou seja, é um “empurra-empurra”. Eles até chegaram a mandar um enfermeiro para a minha casa, mas não resolveu absolutamente nada – reclamou.

Prefeitura diz que criança
recebe atendimento mensal

A prefeitura de Barra Mansa, através de sua assessoria de imprensa, negou as acusações da mãe e garantiu que a Secretaria Municipal de Saúde vem acompanhando o caso. A prefeitura esclareceu que a criança nasceu apresentando hidrocefalia e ficou internada na UTI do Hospital da Mulher por dois meses.
Depois desse período ela foi transferida para a unidade infantil da Santa Casa de Misericórdia, onde fez uma cirurgia para a colocação de DVP (derivação ventrículo peritonial). Após avaliação de uma fonoaudióloga, foi indicado o procedimento de gastrostomia, que foi realizado sem problemas.
Ainda de acordo com a prefeitura, a paciente é assistida pela secretaria de Saúde de Barra Mansa desde a alta da clínica em setembro de 2014. Dois meses depois, ela teria sido admitida no programa “Melhor em Casa”, e desde então, recebe, semanalmente, atendimento médico e assistência de uma equipe multiprofissional (formada por fisioterapeuta, nutricionista, fonoaudiólogo e um técnico de enfermagem) em sua casa.
Ainda segundo a prefeitura, a última visita da equipe à paciente foi da fonoaudióloga e da nutricionista no último dia 3 e frisou que a secretaria de Saúde está à disposição da família para debater melhorias no atendimento da criança.

Advertisement
Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

6 Comentários

Malu 10 de março de 2015, 12:09h - 12:09

Leidjane, não desista, se preciso grave a situação e envie a TV, ou então vá a polícia!

solidaria 10 de março de 2015, 12:07h - 12:07

e um descaso mesmo aq em volta redonda ta tambem assim meu pai e acamado precisa de fralda e tem 4 meses q vou la e nao tem e uma pouca vergonha

Mariana 10 de março de 2015, 10:43h - 10:43

Me da nojo eles falarem na cara de pau que tem cumprido com as obrifacões e ainda por cima te colocarem de mentirosa. Fez muito bem você, ao colocar a “boca no trombone”! Que tomem logo as devidas providências.

leidjane 10 de março de 2015, 08:39h - 08:39

Ainda me colocam como mentira,é brincadeira viu,isso e descaso! Revoltada , qm axar q e mentira Eu dexo vir conferir.

SOLIDÁRIA 9 de março de 2015, 22:58h - 22:58

Leidjane sei o que você está passando, na Secretaria de Saúde o atendimento feito as crianças é precário mesmo, o descaso é total. Temos mesmo que denunciar!!! Tem todo o meu apoio!!

revoltado 9 de março de 2015, 21:50h - 21:50

É caso de polícia a saúde em Barra Mansa, falta remédios nas farmácias oficiais , compras superfaturadas, desvios de verbas da saúde para outras áreas….

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996