sexta-feira, 14 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Mais de 100 pacientes foram atendidos no Hospital de Campanha em dois meses

Mais de 100 pacientes foram atendidos no Hospital de Campanha em dois meses

Matéria publicada em 7 de julho de 2020, 17:07 horas

 


Jean Carlos Leite Santos teve alta nesta segunda-feira, dia 06, após seis dias de internação
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda– Aproximadamente 107 pacientes receberam atendimento no Hospital de Campanha de Volta Redonda, desde sua implantação em 22 de abril deste ano. Montado no Estádio Raulino de Oliveira, a unidade médica atua no tratamento de média complexidade da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O Hospital de Campanha, que possui 114 leitos de enfermaria, passa atualmente por reestruturação para implantação de dez leitos de UTI/CTI. O prefeito Samuca Silva acredita que a decisão de investir na implantação de um hospital de campanha logo no início da pandemia pela Covid-19 foi acertada.

– A medida foi fundamental para que nosso sistema de saúde não ficasse sobrecarregado – disse o prefeito, lembrando que a unidade de mil metros quadrados, com salas climatizadas e iluminadas de acordo com padrões hospitalares, registra atualmente pouco mais de 10% de taxa de ocupação.

Samuca ressaltou, porém que, mais que uma estrutura bem montada, o que faz a diferença no Hospital de Campanha de Volta Redonda é a equipe de profissionais que está na linha de frente no combate ao novo coronavírus.

– Oferecer atendimento humanizado nas unidades da Rede Municipal de Saúde sempre foi meta a ser alcançada nesta gestão. E todo treinamento recebido pelos profissionais se torna ainda mais importante no momento de pandemia. Tão ou mais importante que cuidar da doença, é preciso garantir bem-estar ao paciente – falou, agradecendo a equipe da unidade.

Os pacientes que tiveram alta destacaram o profissionalismo e dedicação da equipe multidisciplinar que atua na unidade. A recuperação do autônomo Jean Carlos Leite Santos, morador do bairro Açude, de 35 anos, que teve alta nesta segunda-feira, dia 06, após seis dias de internação, foi a mais recente comemoração da equipe no Hospital de Campanha.

– O isolamento da internação é amenizado pela dedicação dos profissionais que trabalham lá. Eles são 100%. A todo momento uma pessoa vem saber que como estamos nos sentindo. Médicos, enfermeiros, psicólogo, todos dão atenção em tempo integral – contou Jean, que fez questão de mandar mensagem de agradecimento à equipe no dia seguinte de sua alta do hospital.

Laís da Costa Campos, de 25 anos, que trabalha justamente analisando dados da Covid-19 para o Hospital Regional; e Etelvina Martinha dos Santos, dona de casa de 65 anos; foram internadas e tiveram alta do Hospital de Campanha no mês passado. Laís, que é moradora do bairro Siderlândia e ficou por seis dias internada, classificou como excelente o tratamento recebido na unidade.

– É um hospital de campanha, instalado num campo de futebol, e oferece tratamento de excelência com profissionais muito competentes – disse.

Etelvina é moradora do bairro Eucaliptal e esteve no Hospital de Campanha por oito dias.

– Crédito a Deus e à equipe do hospital a minha recuperação. Faço parte do grupo de risco e posso comemorar por ter vencido o novo coronavírus. Fui muito bem tratada por todos da unidade. E destaco também a atenção dedicada aos familiares que buscam notícias sobre nós doentes – ressaltou.

A secretária de Saúde de Volta Redonda, Flávia Lipke, endossa as palavras dos pacientes do Hospital de Campanha e também parabeniza a equipe pela dedicação diária aos pacientes e ao combate à Covid-19 no município.

– Eles estão na linha de frente, sempre com um sorriso no rosto para amenizar o sofrimento dos pacientes – afirmou, lembrando que atuam na unidade médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistente social, fisioterapeuta, nutricionista e farmacêutica, além de funcionários administrativos.

A enfermeira e coordenadora do Hospital de Campanha, Vanessa de Lima Huguenin, reafirmou que todos os profissionais atuam em prol de um bem comum, pensando na melhor assistência possível aos pacientes e familiares.

– Assim que o paciente é admitido na unidade, um representante da família é chamado ao hospital para reunião presencial com assistente social e membros da equipe que explicam detalhadamente o funcionamento de um Hospital de Campanha e os protocolos de segurança adotados em caso de pandemia como a proibição de acompanhantes. O objetivo é passar tranquilidade à família enquanto o paciente está em tratamento – contou Vanessa.

O Hospital de Campanha de Volta Redonda recebe pacientes encaminhados pelos hospitais do Retiro e São João Batista; Cais Aterrado e Cais Conforto, UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Santo Agostinho e pelas quatro Unidades de Triagem para atendimento aos casos suspeitos da Covid-19, que ficam nos bairros 249, São João, Volta Grande e Vila Mury.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Parabéns aos profissionais de saúde , e a gestão do prefeito de Volta Redonda.Hospital de campanha nota 10 .

Untitled Document