>
segunda-feira, 23 de maio de 2022 - 05:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Margens de rios ganharão mudas nativas da Mata Atlântica

Margens de rios ganharão mudas nativas da Mata Atlântica

Matéria publicada em 7 de junho de 2018, 19:40 horas

 


Paraíba: Projeto faz parte do ‘Pacto pelas Águas’ que visa aumentar a segurança hídrica, a médio e a longo prazo no Estado do Rio (Foto: Arquivo)

Barra Mansa – Preservar as nascentes e as matas ciliares do principal manancial de abastecimento público do município de Barra Mansa, no Sul Fluminense. Esse é o objetivo do Projeto Águas de Barra Mansa que o secretário estadual do Ambiente, Marco Aurélio Porto, e o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marcus Lima, lançam nesta sexta-feira (8) em um evento que será realizado no Parque da Cidade, em Barra Mansa. O projeto prevê o plantio de mais de 50 mil mudas de espécies nativas de Mata Atlântica na bacia hidrográfica do Rio Bananal e nas margens do Rio Paraíba do Sul, promovendo a restauração florestal de área correspondente a 34,8 hectares.
O projeto faz parte do Programa Pacto pelas Águas, que visa aumentar a segurança hídrica, a médio e a longo prazo no Estado do Rio através de ações de restauração e conservação florestal de áreas prioritárias de mananciais estratégicos tais como nascentes, margens de rio, áreas de recarga de mananciais e áreas úmidas.
O projeto será executado pela Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), em parceria com a Prefeitura de Barra Mansa. Os recursos para a ação de restauração florestal são oriundos do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), celebrado entre SEA, CECA, o INEA e CSN Usina Presidente Vargas, no âmbito do Mecanismo Financeiro para a Conservação da Biodiversidade no estado do Rio de Janeiro – FMA/RJ.
A iniciativa também conta com uma parceria fundamental: a adesão e a participação dos proprietários rurais inseridos na bacia do Rio Bananal. Até o momento, 12 proprietários rurais aderiram ao projeto para contribuir com a restauração de 32 hectares de nascentes e matas ciliares em suas propriedades.
Com duração de quatro anos, a ação de recuperação ambiental irá contribuir para promover a oferta de água, em qualidade e quantidade, para as atuais e futuras gerações. Estudos publicados por diversas instituições, como a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) e a WWF (Fundo Mundial para a Natureza), comprovam que as áreas recobertas por florestas garantem maior infiltração da água no solo e recarregam os aquíferos que alimentam os cursos d’água. Além disso, evita o processo de erosão que acaba causando o assoreamento dos rios e o aumento de correntezas.
Os rios Paraíba do Sul, Bananal e Açude Vista Alegre constituem os principais mananciais de abastecimento de Barra Mansa, sendo responsáveis pelo atendimento de mais de 175 mil habitantes ou aproximadamente 98% da população do município.
O lançamento do projeto será marcado pelo plantio de mudas nativas realizado por estudantes, moradores, convidados e instituições parceiras, nas margens do rio Paraíba do Sul, no Parque da Cidade, em Barra Mansa.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document