sexta-feira, 22 de outubro de 2021 - 12:51 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Marinha e prefeitura se aliam para combater o Aedes

Marinha e prefeitura se aliam para combater o Aedes

Matéria publicada em 16 de fevereiro de 2016, 15:05 horas

 


Quatro mil e quinhentos imóveis foram visitados na região central de Angra e na Vila do Abraão

Militares da Marinha visitam residências em Angra dos Reis  (Foto: Divulgação)

Militares da Marinha visitam residências em Angra dos Reis (Foto: Divulgação)

Angra dos Reis – O governo federal, por meio do Ministério da Defesa, realizou no sábado (13), em parceria com a secretaria de Saúde, mobilização para a conscientização sobre a importância de eliminar os focos do mosquito Aedes aegypti. No município, a Marinha disponibilizou 300 militares, que visitaram 4.550 imóveis, sendo 4.186 na região central do município e 364 na Vila do Abraão, na Ilha Grande. Além dos militares, 10 agentes comunitários de Saúde, quatro agentes de Endemias, sete agentes Sanitários e um médico participaram da grande mobilização de educação em saúde.

As equipes se basearam no Colégio Naval. O vice-ministro de Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, participou da atividade, após ser designado pela presidente Dilma Rousseff para acompanhar a mobilização, que ocorreu em 356 cidades do Brasil, e contou com a presença de 220 mil militares das três Forças Armadas.

– O nome Zika Zero já diz tudo. O zika é uma doença que inspira cuidados em todo mundo e não podemos deixar de combater o vetor Aedes. Tenho a plena convicção que se cada um de nós fizermos a nossa parte, venceremos esta batalha. Por isso é importante que cada um olhe o seu quintal, uma vez que está mais do que comprovado que os focos se concentram nas residências – destacou o vice-ministro de Minas e Energia.

De 1º de dezembro de 2015 a 5 de fevereiro deste ano, foram notificados 15 casos suspeitos de zika vírus em gestantes, sendo que o material patológico foi colhido e enviado para o Laboratório Central (LaCen) para análise. É importante ressaltar que as gestantes apresentam bom estado de saúde. Com relação à dengue, foram 42 casos suspeitos notificados, sendo 28 confirmados, nove descartados e cinco seguem em investigação. No que tange à febre chikungunya, dois casos foram confirmados e um encontra-se em investigação.

– Neste momento é importante nos mobilizarmos e não medirmos esforços para combater o Aedes, que tem sido nosso grande vilão. As doenças transmitidas pelo vetor são capazes de trazer sérios riscos ao cidadão. Contamos com a mobilização de toda a sociedade para que Angra não passe por mais uma epidemia – disse a prefeita Conceição Rabha.

A Vigilância em Saúde do município realiza diariamente busca ativa de casos suspeitos dessas doenças e dos demais agravos de notificação obrigatória em todas as unidades de pronto atendimento no município e no Hospital Geral da Japuíba. A Secretaria de Saúde ressalta que é dever de todo profissional de saúde notificar essas suspeitas e agir de forma transparente.

– É importante frisar que as mulheres que foram notificadas com suspeita de zika se encontram em bom estado de saúde, e os testes para zika vírus são feitos somente em gestantes, devido à probabilidade de o bebê desenvolver microcefalia. Portanto, nenhuma ficha de notificação de qualquer Secretaria de Saúde irá constar que o paciente está com zika, uma vez que a doença só é constatada após análise laboratorial. Nossa missão é promover o extermínio dos focos do vetor Aedes – disse Rodrigo Oliveira, secretário de Saúde.

A ação teve caráter educativo, porém, nesta segunda-feira (15) teve início a semana de combate efetivo aos focos do mosquito. As ações estão sendo concentradas no Parque Mambucaba e Vila do Abraão, que no ano passado apresentaram os maiores índices de infestação do Aedes aegypti e também de casos de dengue.

– Até sexta-feira nossos militares estarão nestas duas localidades e acompanhados de um agente de combate à endemias, sendo que este aplicará o larvicida quando necessário. É importante somarmos forças neste momento e conscientizarmos a população sobre a importância da manutenção de uma residência sem foco do mosquito – destacou o comandante do Colégio Naval, o capitão-de-mar-e-guerra Fabrício Fernando.

O presidente da Eletronuclear, Pedro Figueiredo; o secretário municipal de Governo, Robson Marques; o presidente da Câmara Municipal, Marco Aurélio Vargas; e demais autoridades também participaram do evento de mobilização.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Corretíssimo… O mosquito se reproduz na água, quem deve supervisionar isso é a Marinha… Depois que ele vira mosquito já é função da Aeronáutica.. kkkkk

Untitled Document