sexta-feira, 14 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Motoristas de transporte escolar estão há mais de três meses parados

Motoristas de transporte escolar estão há mais de três meses parados

Matéria publicada em 7 de julho de 2020, 14:48 horas

 


Por causa da pandemia do novo coronavírus, atividades escolares estão interrompidas sem previsão de retorno no município

Volta Redonda– Com a interrupção das atividades escolares em Volta Redonda devido as medidas restritivas contra o novo coronavírus, o setor de transporte escolar foi um dos mais prejudicados com a pandemia. Trabalhando há 14 anos no ramo de transporte escolar, a motorista Abigail de Souza Ferraz, não transportou mais nenhum estudante desde o dia 17 de março.

– Vivo do transporte escolar e fui pega de surpresa com a paralisação das escolas. No início cheguei a receber de alguns pais, onde cerca de 30% deles continuaram me pagando para me ajudar, mas agora somente quatro pais continuam. Tenho amigos motoristas que estão bem necessitados e precisam muito de ajuda. Acredito que como já faço este trabalho há bastante tempo e conheço muita gente, alguns pais foram solidários comigo – afirmou.

Preocupada com a situação de alguns companheiros, a motorista Abigail chegou a criar com outros motoristas uma campanha chamada: “SOS Transporte Escolar”, para arrecadar cestas básicas para os motoristas sem renda.

– Em maio conseguimos arrecadar 45 cestas básicas, e em junho também arrecadamos 45 cestas, que foram doadas aos motoristas de transporte escolar necessitados. Há mais de três meses parados, também tenho me mantido com a ajuda de familiares e recentemente recebi uma cesta da Prefeitura de Volta Redonda – declarou.

O motorista Cláudio da Silveira também foi pego de surpresa com a paralisação das atividades escolares e como Abigail, contou com a solidariedade de alguns pais de alunos.

– É uma situação muito difícil e complicada para cobrar dos pais, deixo mais na consciência de cada um. Recebi ajuda dos pais só no primeiro mês de paralisação, onde cerca de 10% deles me ajudaram. A nossa categoria foi uma das mais atingidas com a paralisação das atividades. No momento não estou fazendo nenhum serviço, o que está me ajudando a pagar as contas foi a venda de um terreno em Angra dos Reis – disse.

Trabalhando com transporte escolar há quase 30 anos, o motorista Cláudio também resolveu tentar o auxílio emergencial do governo federal.

– Eu nem quis tentar no início, por achar injusto e por pensar que logo iríamos voltar as atividades, mas depois fui vendo que a situação estava se agravando a cada dia, resolvi me cadastrar no auxílio, e vou receber a primeira parcela este mês – destacou.

O motorista Cláudio afirmou que também participou de uma carreata da categoria próximo à prefeitura, mas não se encontrou com o prefeito Samuca Silva no dia 16 de junho.

– Participei da carreata e em função disso marcaram a reunião com o prefeito. Por enquanto a única coisa que ganhamos da prefeitura foi uma cesta básica. Estou preocupado com alguns amigos motoristas que estão passando muito aperto para pagar suas contas – lamentou.

Motoristas aguardam decisão da prefeitura

Representantes do transporte escolar de Volta Redonda, através da comissão municipal do setor, ainda estão aguardando uma decisão do poder público, depois de se reunirem com o prefeito Samuca Silva, no dia 16 de junho na prefeitura.

Segundo os representantes da Comissão Municipal de Transporte Escolar, com a paralisação das aulas nas redes pública e privada, a maior parte dos motoristas estão sem qualquer tipo de renda, e dependendo da ajuda e solidariedade de terceiros para sobreviver.

No encontro com o prefeito foram apresentadas diversas propostas que segundo Samuca serão debatidas por setores técnicos da prefeitura e outros órgãos. Entre as propostas estão a permissão temporária para que possam fazer transporte de mercadorias para supermercados e lojas de departamento na cidade.

Outra possibilidade a ser estudada pelos órgãos técnicos é a de que durante o período de pandemia, os motoristas de transporte escolar pudessem prestar serviços para o município, como transporte de pacientes, entrega de materiais, entre outros.

Por Júlio Amaral 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    #botanacontadoprefack

  2. Avatar

    #ficaemcasa

    • Avatar

      As pessoas nos julgam como se nós do transporte escolar quisemos colocar nossas crianças em risco.
      Não é isso.!
      Queremos somente ter nosso valor reconhecidos.
      Pois estamos sem ajuda de ninguém.
      Tem tio que está em situação precária.
      Muitos ainda não receberam o benefício.
      Estamos a Deus dará

Untitled Document