segunda-feira, 16 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Mulher com transtorno mental preocupa moradores e parentes

Mulher com transtorno mental preocupa moradores e parentes

Matéria publicada em 3 de dezembro de 2018, 18:01 horas

 


Relatos em redes socais dão conta de que ela estaria agredindo as pessoas; familiares temem que ela seja alvo de alguma maldade

Volta Redonda e Barra Mansa – Parentes de uma mulher, que tem transtorno mental, estão preocupados com ela. Motivo: reclamações de que ela estaria agredindo as pessoas estão sendo feitas em redes sociais. O problema, de acordo com relatos de moradores, ocorre tanto em Volta Redonda quanto em Barra Mansa. Eles afirmam que a mulher pede dinheiro e quando não ganha faz ameaças de agressão.

Diversas postagens foram feitas no final de novembro sobre a atitude da mulher, que é acompanhada periodicamente no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), há cerca de dois anos. A mãe da dona de casa, moradora de Volta Redonda, disse que tenta impedir ela de sair, mas não consegue segurar a filha sozinha quando está agressiva. Ela completa que a filha é muito forte, e fica no portão fazendo de tudo para sair. Já aconteceram situações, conforme os relatos da família, de ela não querer tomar banho e querer vestir roupas sujas, por isso as pessoas acham que ela está em situação de rua.

– Ela tem comida, remédios e cuidados. Não precisa pedir nada na rua – ressalta a mãe.

Ela ressalta que sempre avisa aos conhecidos para não dar dinheiro a filha. A família afirma que faz tudo que pode para cuidar dela e que nada falta. Segundo parentes, a mulher não escuta de um ouvido e do outro escuta pouco, por isso ela só murmura. Além das dificuldades auditivas, a mãe informou que ela tem transtorno mental, e toma os remédios corretamente. A mãe disse ainda que a filha melhorou desde o início do acompanhamento feito pelo CAPS.

A irmã lembra de uma vez que a mulher saiu de casa e receberam uma ligação dizendo que ela estava dormindo em um banco. No mesmo dia, elas foram buscá-la, assim como sempre fazem quando recebem uma ligação. Ela anda com uma bolsa que contém uma cópia da identidade, telefone para contato e endereço. Dessa forma a família é avisada se alguma coisa acontecer. A família já recebeu reclamações sobre o comportamento dela outras vezes, mas assim como as pessoas temem que algo aconteça, a família também tem medo que alguém faça alguma maldade com ela.

A mãe ressalta que quando a filha chega com alguma coisa que não é dela elas devolvem para o dono. A irmã informa ainda que não duvida que a irmã tenha mordido alguém, mas, segundo ela, na semana do dia 26 ela estava doente e não saiu de casa, “se aconteceu foi antes dela ficar doente”, comentou a irmã.

Assistência

Em nota a Secretaria Municipal de Ação Comunitária (SMAC) informou que uma equipe de abordagem social constatou que ela possui transtorno mental. Segundo a SMAC, ela fica na rua em função desse transtorno. Para casos similares, a população pode entrar em contato com o Caps da Vila Santa Cecília, através dos telefones: (24) 3339-6316 / 3339-7292.

Relatos

Em redes sociais moradores afirmarem estar preocupados com uma mulher que anda pelas ruas pedindo dinheiro e agredindo pessoas. Duas pessoas relataram, no mesmo dia, quinta-feira (29), que foram abordadas por essa pessoa. Uma delas disse que estava com a filha, e ficou assustada. A outra diz que foi empurrada e mordida.

Uma das vítimas conta que, na noite de terça-feira (27), por volta das 22 horas, um homem andava próxima a Rodoviária de Volta Redonda, no bairro Laranjal, e foi abordado pela mulher pedindo dinheiro. O homem não deu o dinheiro e se afastou, mas a mulher o seguiu até o ponto de ônibus. Segundo relato na rede social,, quando o homem ia correr para pegar o ônibus a mulher o empurrou e ele caiu. Ela o atacou e mordeu a barriga dele. O boletim de ocorrência foi feito na 93 DP (Volta Redonda).

Outra pessoa relata que estava com a filha, de oito anos, quando foi abordada pela mesma mulher. A pedinte insistiu e não conseguiu o dinheiro, então foi em direção à criança para agredi-la, mas a mãe não deixou. As pessoas que estavam por perto impediram que a confusão aumentasse, mandando a mulher embora.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    É agora tem família é doente mental mas quando rouba e machuca as pessoas não tem responsável pois o fato aconteceu comigo e estou aquardando as filmagens da prefeitura para ter certeza de quem foi para tomar devidas providências pois por enquanto fiz só boletim de ocorrência estou resolvendo meus documentos pois estou maior prejuízo financeiro emocional e psicológico e para maiores informações para publicador desta matéria o fato foi em Barra Mansa e o boletim também lavrado nesta cidade pois se quiser saber mais esclarecimento entre contato pelo email que vai ficar no comentário pois posso fornecer matéria completa inclusive com foto como foi publicado no Facebook e também terei uma filmagem que estou aquardando da secretaria de ordem pública e não estou acusando ninquém o povo que está deduzindo pelo meu relato por isto aquardo filmagem obrigado.

  2. Avatar

    Não é mole segurar essas pessoas, sei bem como é. Os médicos dos CAPS são muito relutantes a dar medicamentos que os façam ficar uma pouco mais tranquilos e calmos. Nessas situações a família sofre.

Untitled Document