domingo, 17 de outubro de 2021 - 19:27 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Pela primeira vez, mulheres poderão ingressar no curso de cadete da Aman

Pela primeira vez, mulheres poderão ingressar no curso de cadete da Aman

Matéria publicada em 17 de maio de 2016, 17:57 horas

 


Agora elas poderão alcançar o posto mais alto da instituição, a de general do Exército

Resende – Pela primeira vez na história da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, mulheres poderão alcançar o posto mais alto da instituição, o de general do Exército. É que estão abertas as inscrições para o sexo feminino para ingressarem no curso de cadete da academia. Estão sendo oferecidas 40 vagas para o quadro de material bélico e o serviço de intendência. As inscrições devem ser feitas pela internet até 28 de junho.

A taxa cobrada é de R$ 90. As candidatas devem ser brasileiras natas, ter entre 17 e 22 anos, completados até 31 de dezembro do ano da matrícula, e ter concluído ou estar cursando (no ano da inscrição) o 3º ano do Ensino Médio.
Para que sejam admitidas na Aman, as interessadas deverão passar pelo concurso de admissão da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx). Assim como no processo masculino, a seleção inclui exame intelectual, teste de saúde e de aptidão física.
Após um ano na EsPCEx, as alunas poderão entrar pelo Portão Monumental da Aman como cadetes, para concluírem os próximos quatro anos de formação como oficiais do Exército.

Mulheres no Exército

Com a inserção do sexo feminino na Aman, em 2021 estarão formadas as primeiras Aspirantes a Oficial da área bélica, que poderão alcançar até o mais alto posto da instituição, o de General de Exército.
A presença de mulheres no Exército vem desde o século XIX. No entanto, elas atuavam apenas em áreas administrativas, de saúde e de ensino.

Como funciona a EsPCEx

Com sede em Campinas, em São Paulo, a EsPCEx é o estabelecimento de ensino militar do Exército responsável por selecionar e preparar os jovens para o ingresso no curso de formação de oficiais das armas, do quadro de material bélico ou do serviço de intendência.
A seleção é feita anualmente, por meio de um concurso de admissão de âmbito nacional, no qual são oferecidas cerca de 400 vagas para o sexo masculino e 40 vagas para o sexo feminino. As provas acontecem geralmente em setembro, e os classificados serão convocados em janeiro do ano seguinte, para as etapas seguintes do concurso.
Após a aprovação, o candidato é matriculado e passa a ser militar da ativa, na condição de aluno da EsPCEx. Se concluir o curso com aproveitamento, prosseguirá para a Aman. Após quatro anos, concluirá o curso de formação e será declarado aspirante-a-oficial das armas, do quadro de material bélico ou do serviço de intendência do Exército Brasileiro.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. PARABÉNS TEM QUE ABRIR MAIS VAGAS GUANDO CHEGAMOS NO SETOR MILITAR SO TEM MULHERES PRECISANDO DE SER SUBSTITUIÇÃO.JA CANSADAS PRECISANDO DE SER APOSENTADAS….

  2. Parabéns para o exército Brasileiro.

  3. Eu gostaria de entra,quero ter essa oportunidade de entrar..

  4. TAIANE ALVES DOS SANTOS

    – QUE SITE ENTRO PRA FAZER INSCRICAO

  5. MUITO LEGAL. AGORA, TEM Q HAVER PUNIÇÃO EXEMPLAR CASO APAREÇA UM IMBECIL IGUAL A ESTE AI DE BAIXO.

  6. Ridículo o seu comentário. Isso vai dar merda. Sabe pq? Pq o brasileiro não sabe respeitar nada!

  7. Queria voltar a ser Padioleiro para apoiar o campo delas! ( ficaria só aplicando no voltarém!!! )

Untitled Document